Sukhoi Su-57

Caça de 5a geração russo
(Redirecionado de Sukhoi PAK FA)

O Sukhoi Su-57 (em russo: Сухой Су-57; Designações da OTAN: Felon)[8] é um caça bimotor stealth multiúso desenvolvido pela empresa russa Sukhoi.[9] É um produto do programa PAK FA (em russo: ПАК ФА, em russo: Перспективный авиационный комплекс фронтовой авиации, transl. Perspektivnyy Aviatsionnyy Kompleks Frontovoy Aviatsii), que foi iniciado em 1999 como uma alternativa mais moderna e acessível ao projeto MFI (Mikoyan 1.44/1.42). A designação interna da Sukhoi para a aeronave é T-50. O Su-57 é a primeira aeronave no serviço militar russo projetada com tecnologia furtiva e destina-se a ser a base para uma família de aeronaves de combate furtivas.

Sukhoi Su-57
Descrição
Tipo / Missão Caça de superioridade aérea / Avião furtivo multimissão
País de origem  Rússia
Fabricante Sukhoi (KnAAPO)
Período de produção 2009–presente
Quantidade produzida 21 (10 de teste[1] e 11 de série[2])
Primeiro voo em 29 de janeiro de 2010[3][4][5]
Introduzido em 25 de dezembro de 2020 (data da primeira aeronave operacional em serviço militar; primeiro regimento operacional Su-57 deve ser equipado até 2025)
Tripulação 1
Especificações
Dimensões
Comprimento 19,8 m (65,0 ft)
Envergadura 13,95 m (45,8 ft)
Altura 4,74 m (15,6 ft)
Área das asas 78,8  (848 ft²)
Alongamento 2.5
Peso(s)
Peso vazio 18 000 kg (39 700 lb)
Peso carregado 29 270 kg (64 500 lb)
Peso máx. de decolagem 35 000 kg (77 200 lb)
Propulsão
Motor(es) 2 x turbofans vetorados de pós-combustão NPO Saturn izdeliye 117 (AL-41F1) (protótipos e estágio inicial de produção), izdeliye 30 para o aparelho final
Empuxo:
  • Empuxo seco: 9 493 kgf (93 100 N)/ 10 911 kgf (107 000 N)/
  • Empuxo pós-combustão: 14 500 kgf (142 000 N)/ 17 947 kgf (176 000 N)
Performance
Velocidade máxima 2 600 km/h (1 400 kn)
Velocidade de cruzeiro 1 700 km/h (918 kn)
Velocidade máx. em Mach 2,12 Ma
Alcance bélico 3 500 km (2 170 mi)
Alcance (MTOW) 5 500 km (3 420 mi)
Teto máximo 20 000 m (65 600 ft)
Aviônica
Tipo(s) de radar(es) Sistema de Rádio Eletrônico Integrado Multifuncional Sh121 (en: MIRES)
Sistema eletro-optico 101KS Atoll
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 1 x canhão de 30 mm (1,18 in) 9A1-4071K (GSh-301)
Mísseis
  • Ar-ar:
    • K-77M or 4× izdeliye 810
    • K-74M2 or 2× izdeliye 300
  • Ar-terra
    • Kh-38M or 4× Kh-58UShK or 8× KAB-250 or 4× KAB-500
    • 2× K-74M2 or 2× izdeliye 300
  • Ar-mar:
    • Kh-35
    • 2× K-74M2 or 2× izdeliye 300
  • Outros:
Notas
Dados de: Aviation News,[nota 1] Aviation Week[6] e Air International[7]

Um caça multifuncional capaz de combate aéreo, bem como ataque terrestre e marítimo, o Su-57 incorpora furtividade, supermanobrabilidade, supercruzeiro, aviônicos integrados e substancial capacidade de carga útil interna.[10] Esta aeronave deverá substituir o MiG-29 e o Su-27 no serviço militar russo e também poderá ser comercializado para exportação. O primeiro protótipo de aeronave voou em 2010, mas o programa passaria por um desenvolvimento prolongado devido a vários problemas estruturais e técnicos que surgiram durante os testes, incluindo a destruição da primeira aeronave de produção em um acidente antes de sua entrega. Após repetidos atrasos, o primeiro Su-57 entrou em serviço com as Forças Aeroespaciais da Rússia (VKS) em dezembro de 2020.[11] Espera-se que o caça tenha uma vida útil de até 35 anos.[12]

Características gerais (estimativa)Editar

 
Diagrama
  • Tripulação: 1 piloto
  • Comprimento: 27,0 m (72 pés 2 pol)
  • Envergadura: 14,2 m (46 pés 7 pol)
  • Altura: 6,05 m (19 pés 10 pol)
  • Área da asa: 78,8 m² (848 pés²)
  • Peso vazio: 18.500 quilogramas (40.786 libras)
  • Peso carregado: 34.000 quilogramas (57.320 libras)
  • Carga útil: 9.500 quilogramas (20.535 libras)
  • Peso de decolagem máximo: 37.000 quilogramas (81.571 libras)
  • Motores: 2× Saturn-Lyulka AL-41F turbofan para os protótipos e produção inicial; Izdeliye 30 para produção do aparelho final.
  • Empuxo seco: 9.493 kgf / 93,1 kN - 10.911 kgf / 107 kN cada um.
  • Empuxo com pós-combustão: 14.500 kgf / 143 kN - 17.947 kgf / 176 kN cada um.

DesempenhoEditar

  • Velocidade máxima: Mach 2,60 na altura (2.600 km/h)
  • limites de carga G: +10 a +11 pés/s² de m/s² de g (+98,1 a +107,9, +321,7 a +353,9)
  • Velocidade do cruzeiro: 1.700 km/h
  • Alcance: 4.000 a 5.500 quilômetros (2.485 a 3.418 milhas)
  • Teto de serviço: 20.000 m (65.617 pés)
  • Taxa da subida: 350 m/s (68.898 pés/min)
  • Carregamento da asa: 470 kg/m² (96,3 libra/pés²)
  • Empuxo/peso: 0,84 (sem pós combustão)
  • Empuxo/peso mínimo com pós combustão: 1,19
  • Exigência do comprimento da pista de decolagem: 350 m (1.148 pés)
  • Resistência: 3,3 horas (198 min)

ArmamentoEditar

 
Um Sukhoi T-50 em 2011.
  • 1 canhão interno de 30 milímetros (provavelmente um GSh-30-1) e quatro pontos duros em baías internas centrais, sendo dois lado a lado na frente, e mais dois lado a lado mais atrás.

AviônicosEditar

  • Radar: N050(?)BRLSAESA/ PESA (realce de IRBIS-E) em SU-35
  • Freqüência: 3 milímetros (0.118 pol)
  • Diâmetro: 0.7 m (2 pés 4 pol)
  • Alvos: 32 seguidos, 8 acoplados
  • Escala: 400 quilômetros (248 milhas)
  • Epr: 3 m² (32.3 ft²) em 160 quilômetros (99.4 milhas)
  • RCS: 0,01 m² em 90 quilômetros (55 milhas)
  • Azimute: +/−70°, +90/−50°
  • Potência: 5.300 W
  • Peso: 65 a 80 quilogramas (143 a 176 libras)

Guerra da UcrâniaEditar

Em junho de 2022 foi noticiado que a Rússia teria feito uso de caças Su-57 contra alvos de defesa antiaérea na Ucrânia. Foi supostamente empregado com êxito uma esquadrilha composta por pelo menos quatro caças Su-57, interligados a uma rede de informações unificada. O emprego destes caças teria como objetivo a destruição de infraestrutura de defesa antiaérea em território ucraniano.[13]

Em 19 de outubro de 2022, o general Sergey Surovikin, comandante de todas as Forças Armadas Russas na Ucrânia, afirmou que o Su-57 foi usado tanto em funções de combate ar-ar quanto ar-solo durante a guerra na Ucrânia e que marcou vitórias em ambas as funções.[14] Posteriormente, algumas fontes russas afirmaram que um Su-57 abateu um Su-27 ucraniano com um míssil R-37.[15] No entanto, nenhuma evidência para essas alegações surgiu. Ainda não existem muitos caças Su-57 em operação e seu custo de fabricação e de operação tornaria a aeronave inviável no curto prazo para uso extensivo, segundo algumas autoridades ocidentais.[16][17] Em 2022, os russos teriam apenas três destas aeronaves no seu serviço ativo.[18]

OperadoresEditar

Lista de países que operaram ou assinaram contrato de compra do Sukhoi Su-57.

  •   Rússia - foi realizado um pedido de 76 caças.[19][20] De acordo com o fabricante United Aircraft Corporation, cerca de 10 foram entregues em dezembro de 2022.[2][21]

Brasil no projeto PAK-FA T-50Editar

 
Sukhoi T-50

Algumas notícias vinculadas na internet deram a entender que o Governo brasileiro haveria assinado com a Rússia um acordo para a construção conjunta de uma aeronave de combate de 5ª geração, que deveria ser desenvolvida pelas empresas Sukhoi russa, Hindustan Aeronautics Limited indiana e Embraer brasileira. O acordo também previa que as empresas brasileiras Embraer e a Avibras seriam as responsáveis pela montagem dos caças no Brasil.

A viagem do presidente russo Dmitri Medvedev ao Brasil em 25 de novembro de 2008 não resultou na assinatura de nenhum acordo relacionado ao projeto.[22] O Comandante da Força Aérea brasileira, Juniti Saito, justificou: "Não quero denegrir a imagem do Sukhoi, mas o projeto não se encaixou nas nossas necessidades."[22] A Força Aérea brasileira alegou que a exclusão dos aviões da Sukhoi ocorreram pela falta de comprometimento em repassar tecnologia. Contudo, o Itamaraty e fontes russas alegaram o contrário, que a venda dos aviões Su-35 para o Projeto FX-2 não só resultaria na transferência de tecnologia, como também incluiria o Brasil no desenvolvimento do projeto PAK-FA.[23]

Em outubro de 2013, uma delegação russa voltou ao Brasil para tentar fechar um acordo para retomar o projeto do PAK-FA no Brasil nos moldes antigos. Aparentemente isso foi motivado pela aproximação do Brasil com as empresas bélicas da Rússia, e o recente escândalo de espionagem de empresas brasileiras pelos norte-americanos. Fontes asseguram que, como não mais se poderia alterar a licitação de caças FX-2, que concluiu pela vitória do caça Saab JAS 39 Gripen NG, não seria retomado tal acordo com os russos sobre o T-50.[24]

Notas

  1. Butowski 2012, p. 48-52.

BibliografiaEditar

  • Butowski, Piotr. "T-50 Turning and Burning over Moscow". Air International, Vol. 85, No 4, October 2013, pp. 79–82. Stamford, UK: Key Publishing.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Совершил первый полет последний Су-57, — источник». News.rambler.ru. Consultado em 3 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 26 de dezembro de 2017 
  2. a b «ВКС России получили четыре новых серийных истребителя Су-57». bmpd.livejournal.com. 28 de dezembro de 2022 
  3. "Russia to start flight tests of fifth-generation in 2009" (April 3, 2008). RIA Novosti.
  4. «"Русский Raptor" впервые взлетит через три дня». Life news. Consultado em 25 de janeiro de 2010 
  5. «Российский истребитель пятого поколения поднялся в воздух». Lenta.ru. Consultado em 29 de janeiro de 2010 
  6. "Sukhoi T-50 Shows Flight-Control Innovations".
  7. Butowski, Piotr. "Raptorski's Maiden Flight". Air International, Vol. 78, No 3, March 2010, pp. 30–37. Stamford, UK: Key Publishing.
  8. «NATO assigns new reporting name for Su-57 5th generation jet fighter». ruaviation.com. 1 de novembro de 2019. Consultado em 2 de novembro de 2019 
  9. «Russia's 5th-generation fighter jet named as Su-57» (em inglês). TASS. Consultado em 11 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 12 de agosto de 2017 
  10. «Sukhoi Company launches flight tests of PAK FA advanced tactical frontline fighter». Sukhoi.org (Nota de imprensa). 29 de janeiro de 2010. Consultado em 26 de janeiro de 2011. Cópia arquivada em 1 de maio de 2011 
  11. Cohen, Ariel (16 de janeiro de 2009). «Russia bets on new Sukhoi fighter to match F-35». United Press International. Consultado em 11 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2010 
  12. Druzhinin, Alexei. «Russian Air Force to buy over 60 fifth-generation fighters». RIA Novosti. Consultado em 26 de janeiro de 2011. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2010 
  13. Brasil, Sputnik. «Rússia teria utilizado caças Su-57 contra alvos de defesa antiaérea na Ucrânia». Sputnik Brasil. Consultado em 10 de junho de 2022 
  14. «Russia Confirms Using Su-57 Fighters In Ukraine War As They Destroy Targets, Punch Holes In Western Myths». eurasiantimes.com. 19 de outubro de 2022 
  15. «First Kill? Russian Su-57 Stealth Fighter Downs Ukrainian Su-27 Jet With New Long-Range Missile – Media Claims». eurasiantimes.com. 19 de outubro de 2022 
  16. Suciu, Peter (26 de outubro de 2022). «Russia says an upgraded version of its struggling Su-57 stealth jet finally made its debut flight». Business Insider 
  17. «Fact-check: Did Russia use the Su-57 stealth fighter in Ukraine?». Aerotime.aero. Consultado em 26 de dezembro de 2022 
  18. «Russia forms the first Su-57 squadron near Komsomolsk on Amur». 4 de dezembro de 2022 
  19. «Rússia assina contrato para fornecimento de caças Sukhoi Su-57». Aéreo. Consultado em 15 de outubro de 2019 
  20. Embraer, In association with. «2023 World Air Forces directory». Flight Global (em inglês). Consultado em 28 de dezembro de 2022 
  21. «ОАК передала Минобороны очередную партию серийных самолётов пятого поколения Су-57». uacrussia.ru. 28 de dezembro de 2022 
  22. a b «O que os russos querem do Brasil, eles tentam vender», Terra, Isto é dinheiro (582) .
  23. Mídia independente, novembro de 2008 .
  24. «Mas é PAK FA ou tipo PAK FA?», Aéreo, 14 de outubro de 2013 .

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma aeronave é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.