Abrir menu principal
Su-9
(OTAN: Fishpot)
Caça
Três Su-9
Descrição
Tipo / Missão Interceptador
País de origem  União Soviética
Fabricante Sukhoi
Quantidade produzida 1150
Primeiro voo em 24 de junho de 1956 (63 anos)
Introduzido em 1959
Aposentado em Década de 1970
Variantes Sukhoi Su-11
Tripulação 1
Especificações
Dimensões
Comprimento 17,37 m (57,0 ft)
Envergadura 8,43 m (27,7 ft)
Altura 4,88 m (16,0 ft)
Área das asas 34  (366 ft²)
Alongamento 2.1
Peso(s)
Peso vazio 8 620 kg (19 000 lb)
Peso carregado 12 250 kg (27 000 lb)
Peso máx. de decolagem 13 500 kg (29 800 lb)
Propulsão
Motor(es) Lyulka AL-7
Força de empuxo (por motor) 9 000 kgf (88 300 N)
Performance
Velocidade máxima 2 135 km/h (1 150 kn)
Velocidade máx. em Mach 1.73 Ma
Alcance (MTOW) 1 125 km (699 mi)
Teto máximo 16 760 m (55 000 ft)
Razão de subida 136.7 m/s
Armamentos
Mísseis mísseis ar-ar K-5
Notas
Além dos míssies citados acima, possuía 2 pilones sob a fuselagem para tanques externos de combustível e 4 pilones sob a asa para 500 kg de armamentos

O Sukhoi Su-9 (Designação OTAN: Fishpot) foi uma aeronave monomotora de interceptação desenvolvido pela União Soviética.

DesenvolvimentoEditar

O Su-9 surgiu a partir de estudos aerodinâmicos feitos pelo TsAGI, o centro aerodinâmico soviético, durante a Guerra da Coreia, que concebeu várias configurações ideais para caças. O projeto voou pela primeira vez em 1956, conhecido como T-405. O Su-9 foi desenvolvido na mesma época do Su-7 "Fitter", e ambos foram vistos pela primeira vez pelo ocidente no Dia da Aviação em Tushino, no dia 24 de Junho de 1956, onde o Su-9 foi apelidado de Fitter-B. Entrou em serviço no ano de 1959.

A produção total de Su-9 foi de aproximadamente 1.100 aeronaves. Acredita-se que pelo menos alguns Su-9 foram atualizados para o Su-11 "Fishpot-C". Nenhuma aeronave deste modelo foi exportado para qualquer estado cliente da União Soviética ou para as nações do Pacto de Varsóvia. Os Su-9 e Su-11 foram posteriormente retirados de serviço durante a década de 1970. Alguns permaneceram como veículos de teste ou convertidos para veículos pilotados remotamente para uso como VANTs. Foi substituído pela versão atualizada Su-11 e os muito superiores Su-15 "Flagon" e MiG-25 "Foxbat".

Não há histórico de combate conhecido para o "Fishpot". É possível que tenha se envolvido na interceptação (ou abatimento) de missões de reconhecimento cujos detalhes permanecem confidenciais, mas nada é publicamente admitido.

Foi relatado que um Su-9 se envolveu na interceptação do Lockheed U-2 de Francis Gary Powers em território soviético em 1 de Maio de 1960. Um Su-9 que acabara de ser fabricado estava em voo de translado próximo ao U-2 de Powers. O Su-9 estava desarmado e foi ordenado que atingisse o U-2. Uma tentativa foi feita e o Su-9 errou o U-2, primariamente devido a diferença de velocidade das duas aeronaves. Não foi realizada outra tentativa devido à falta de combustível do Su-9.

Em 4 de Setembro de 1959 um Su-9 modificado (designado T-431 pela Sukhoi) pilotado por Vladimir Sergeievitch Ilyushin atingiu o recorde mundial de altura absoluta, a 28.852 m (94.658 ft). Em novembro do mesmo ano Ilyushin atingiu vários recordes de velocidade/altitude na mesma aeronave. Este recorde foi posteriormente alcançado em 6 de Dezembro de 1959 por Lawrence E. Flint, Jr., que alcançou uma altura de 98.557 ft (30.040 m) em um F4H-1 Phantom.[1]

ProjetoEditar

 
Sukhoi Su-9 no Museu de Monino

A fuselagem e cauda do Su-9 relembram o Su-7, mas ao invés de possuírem a asa enflechada desta aeronave, o "Fishpot" utilizaca uma asa em delta a 53° com um stabilator convencional. Compartilhava uma série de recursos da Sukhoi, como o freio aerodinâmico na parte de trás da fuselagem além do motor turbojato Lyulka AL-7 do Su-7 e sua entrada de ar. O cone de choque (no nariz) continha os equipamentos de radar.

O Su-9 foi desenvolvido de trabalhos em uma aeronave experimental designada T-3, com a qual o Su-9 era praticamente idêntico. Internamente na Sukhoi, o Su-9 era conhecido como T-43.

A asa em delta do Su-9 foi adotada devido a seu menor arrasto no regime de voo supersônico. Seu maior volume também permitiu um aumento na capacidade de combustível se comparado ao Su-7. O Su-9 era capaz de atingir Mach 1.8 em altitude ou cerca de Mach 1.14 com mísseis. Sua fração de combustível permaneceu mínima, entretanto, o raio operacional era limitado. Além disso, as velocidades de decolagem eram ainda maiores que as do Su-7, que já eram de 360 km/h (194 kt). Diferente do Su-7, que tinha controles muito pesados mas características dóceis, o "Fishpot" tinha controles leves e com resposta rápida, mas não aceitava erros do piloto.

O Su-9 tinha um radar primitivo R1L (Designação OTAN "High Fix") no cone de choque e era armado com quatro mísseis ar-ar K-5 (AA-1 "Alkali"). Como todos os mísseis baseados em radar, o K-5 era limitado a ponto de ser quase inútil para combate ar-ar. Diferente do Su-7 e posterior Su-15, o Su-9 não tinha canhões apesar dos dois pilones da fuselagem serem reservados para tanques ejetáveis.

Uma versão de treinamento com dois assentos, designada Su-9U, foi também produzida em número limitado (cerca de 50 aeronaves). Recebeu a designação OTAN "Maiden". Tinha armamento completo e sistema de radar com monitores em ambas as cabines, permitindo aos alunos treinarem todos os aspectos de uma missão de interceptação, mas pelo fato de adicionar uma cabine, reduzia-se muito sua capacidade de combustível, não sendo possível sua utilização em combate.

O Su-9 tem sido frequentemente confundido com o MiG-21 devido às suas várias similaridades. Os fatores primários de distinção são o tamanho e o canopy em bolha do Su-9.

VariantesEditar

T-405
Protótipo do Su-9.
Su-9
Versão principal de produção, com cerca de 1.100 aeronaves construídas.
Su-9U
Versão de treinamento, armado e equipado com todos os sistemas operacionais, mas não pronto para combate. Cerca de 50 aeronaves construídas.
T-431
Su-9 modificado para bater o recorde mundial de altura absoluta em 1962.
Sukhoi Su-11
Desenvolvimento do Su-9.

OperadoresEditar

  União Soviética
894º Regimento de Aviação de Caça, Ozernoye, Ucrânia, de 1959 a 1979.[2]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «F-4 A Phantom, 16 world records» (em inglês). Arquivado do original em 23 de Agosto de 2013 
  2. Michael Holm. «894th Fighter Aviation Regiment PVO» (em inglês). Consultado em 22 de Fevereiro de 2018 

Ligações externasEditar