No Brasil Tarimbeiro, até algum tempo, era um termo pejorativo utilizado pelos oficiais formados por academias militares, hoje Academia Militar das Agulhas Negras - AMAN) em Resende - RJ, portanto, de formação superior, para designar Oficiais do Exército que não frequentaram aquele tipo de escola, os oficias de carreira eram considerados inferiores e de menos inteligência.

Na época do Segundo Império tarimbeiros eram oficiais que chegavam até altos cargos da hierarquia por bravura, e heroísmo em combate, não tinham o "refinamento intelectual" dos oficiais formados nas escolas, daí o preconceito com o "soldado velho", termo que substituiu o outro até os dias de hoje.

Termo que utilizavam "Os Cientistas", oficiais da Escola Militar da Praia Vermelha, instalações atualmente ocupadas pelo Instituto Militar de Engenharia - IME) no Rio de Janeiro, para se referir pejorativamente ao Marechal Deodoro da Fonseca e outros Oficiais de carreira, por não terem estudado a arte militar em Escolas Militares.

Aquele que dorme em tarimba, diz-se do oficial que passou pelos postos de soldado, cabo e sargento, sem haver cursado estudos superiores, considerado pelos oficiais de academia como grosseiro, incivil.