Triatlo nos Jogos Pan-Americanos

modalidade esportiva que integra o programa dos Jogos Pan-Americanos

O triatlo é um dos esportes disputado nos Jogos Pan-Americanos em três eventos: feminino, masculino e o mais recente revezamento misto. Ele foi adicionado ao programa pan-americano em 1993, estreando dois anos depois na edição de Mar del Plata, e, desde então, o esporte compareceu em todas as edições realizadas. O revezamento misto, por sua vez, estreou mais de duas décadas depois; o evento foi adicionado na edição de 2019, em Lima.

Natação
Ciclismo
Corrida
Imagens das competições de natação, ciclismo e corrida realizadas nos eventos de triatlo dos Jogos Pan-Americanos de 2015.

Os triatletas Karen Smyers e Leandro Macedo foram os primeiros vencedores dos eventos em 1995. O Canadá conquistou o maior número de medalhas nas duas primeiras edições, incluindo o ouro de Sharon Donnelly, as pratas de Kristie Otto e Mark Bates, além dos bronzes de Carol Montgomery, Fiona Cribb e Simon Whitfield. No entanto, os Estados Unidos ultrapassaram os adversários nas duas edições seguintes, incluindo três medalhas de ouro. Em 2011, Sarah Haskins adicionou mais um título para a nação norte-americana; no mesmo ano, Reinaldo Colucci deu o segundo ouro ao Brasil. Nas duas últimas edições, Brasil e México obtiveram duas medalhas de ouro cada, enquanto o Chile alcançou seu primeiro título em 2015.

Estados Unidos e Canadá são as duas nações que mais conquistaram medalhas: onze. Os norte-americanos, no entanto, lideram o quadro de medalhas com cinco ouros, cinco pratas e um bronze. Logo atrás desses, o Brasil é detentor de dez medalhas; contudo, os sul-americanos aparecem na frente dos canadenses por terem dois ouros a mais. O México é o quarto colocado, seguido por Chile e Venezuela. As duas últimas posições do quadro pertencem à Argentina, que obtém três bronzes e Bermudas (um bronze).

HistóriaEditar

O triatlo foi incluído no calendário pan-americano em 1993, quando teve a sua estreia programada na edição de 1995.[1] Quatro anos depois, a sede foi Winnipeg, com as provas sendo realizadas em 24 de julho.[2] Prosseguindo com as edições de Santo Domingo (2003) e Rio de Janeiro (2007).[3][4] Em 2011, a cidade de Puerto Vallarta sediou as provas do esporte, que ocorreram em 23 de outubro no Terminal Marítimo API. No enanto, a cidade sede dos Jogos foi Guadalajara.[5]

Na edição de 2015, em Toronto, a competição feminina ocorreu às 8 horas e 30 minutos do sábado, 11 de julho. No dia seguinte, realizou-se o evento elite masculina às 8 horas e 30 minutos.[6] O circuito da natação, primeira disciplina do esporte, iniciou em um canal fechado do lago Ontário, enquanto que as competições de ciclismo e corrida aconteceram nas seis faixas da avenida Lake Shore. Todo o percurso foi fechado para a proteção dos atletas.[7] Em 2019, a organização programou dois dias no calendário de Lima para a realização dos eventos de triatlo: um dia para as competições individuais e outro para a competição por equipes. O primeiro evento disputado foi a prova femininas às 10 horas do sábado, 27 de julho, seguido pela prova masculina às 13 horas e finalmente, já na segunda-feira, 29 de julho, o revezamento misto com início às 9 horas.[8][9] As provas se iniciaram na Praia de Água Doce, no distrito de Chorrillos e a disputa estendeu-se até a praia Los Pavos, no distrito de Barranco.[8][10][11]

MedalhistasEditar

A edição de Mar del Plata, em 1995, foi a primeira que implementou o triatlo no cronograma da competição. Nesta, o Canadá foi a nação que mais conquistou medalhas; contudo, os seus representantes não venceram os eventos: Mark Bates obteve a medalha de prata no masculino, enquanto Kristie Otto e Fiona Cribb protagonizaram uma dobra canadense no pódio com a conquista de prata e bronze, respectivamente. No feminino, o ouro ficou com Karen Smyers, dos Estados Unidos. Entre os homens, o vencedor foi o brasileiro Leandro Macedo enquanto o argentino Oscar Galíndez terminou com o bronze.[12][13] O Canadá manteve o desempenho na edição de Winnipeg, conquistando três medalhas: um ouro (Sharon Donnelly) e dois bronzes (Carol Montgomery e Simon Whitfield). Brasil e Estados Unidos terminaram com uma prata (Carla Moreno e Hunter Kemper, respectivamente). Por fim, o venezuelano Gilberto González ficou com o ouro da competição masculina.[12] Na década de 2000, canadenses e norte-americanas predominaram nas duas edições realizadas. Os triunfos dos Estados Unidos aconteceram com as representantes Julie Ertel (ouro em 2007), Sheila Taormina (prata em 2003) e Sarah Haskins (prata em 2007) e Becky Gibbs (bronze em 2003). Por outro lado, o Canadá obteve os feitos de Jill Savege (ouro em 2003) e Lauren Groves (bronze em 2007).[14][15] Já no cenário masculino, os norte-americanos Hunter Kemper e Andy Potts venceram os eventos de 2003 e 2007, respectivamente. As medalhas de pratas ficaram com Virgílio de Castilho e Brent McMahon, enquanto os bronzes com Oscar Galíndez e Juraci Moreira.[16][17]

Nos Jogos Pan-Americanos de 2011, na cidade mexicana de Guadalajara, as norte-americanas Sarah Haskins e Sara McLarty, além da brasileira Pâmella Oliveira terminaram a primeira transição nas primeiras posições, com uma diferença de um segundo. Haskins e Oliveira manteve um desempenho homogêneo e terminaram com o ouro e o bronze, respectivamente. A chilena Barbara Riveros completou o pódio, conquistando a medalha de prata.[18][19] No masculino, o representante do Brasil, Reinaldo Colucci se manteve nas primeiras colocações nas duas primeiras etapas e conseguiu ultrapassar os adversários durante a corrida, vencendo a prova. O norte-americano Manuel Huerta, que terminou na segunda posição, também se recuperou durante a última etapa. Por fim, o bronze ficou com o canadense Brent McMahon.[19][20] Em 2015, Pâmella Oliveira liderou a transição entre natação e ciclismo, sendo seguida pela bermudense Flora Duffy. Esta última manteve o bom desempenho e encerrou o ciclismo na primeira colocação; contudo, foi ultrapassada pela chilena Barbara Riveros na segunda transição. Esta liderou o restante do evento, conquistando a medalha de ouro. Paola Díaz, do México, avançou sete posições na reta final do percurso e ficou com a segunda colocação. Por fim, o pódio foi completado por Duffy.[21][22] No masculino, o mexicano Irving Pérez assumiu a liderança da primeira transição com 19 minutos e 10 segundos, mas perdeu posições durante o ciclismo. O norte-americano Kevin McDowell e o mexicano Crisanto Grajales estabeleceram uma disputa equilibrada na reta final. Grajales venceu a prova com um segundo de vantagem sobre o adversário. Pérez, por sua vez, recuperou-se na corrida e conquistou a medalha de bronze.[23][24]

 
Triatletas brasileiros que conquistaram a medalha de ouro no revezamento misto. O país liderou o quadro de medalhas com dois ouro e duas pratas

Quatro anos depois, a brasileira Vittória Lopes liderou a transição de natação e ciclismo, enquanto que sua compatriota Luisa Baptista se manteve na oitava posição. Esta última, contudo, avançou sete posições na corrida e ultrapassou Vittória Lopes no trecho final do percurso. A mexicana Cecilia Pérez, por sua vez, completou o pódio ao conquistar a medalha de bronze.[25][26] No mesmo dia, o triatlo masculino foi realizado.[27] Na primeira transição, o canadense Charles Paquet assumiu a liderança com 18 minutos e 26 segundos, mas perdeu posições no decorrer da competição.[28] O mexicano Crisanto Grajales, por sua vez, terminou a prova com uma hora, cinquenta minutos e trinta e nove segundos.[28] Este tempo foi suficiente para que o triatleta vencesse a competição, conquistando o ouro, repetindo seu feito nos Jogos Pan-Americanos de 2015 em Toronto.[29] Dezesseis segundos depois, o brasileiro Manoel Messias encerrou a prova na segunda posição.[28][30] Por fim, o argentino Luciano Franco Taccone, que havia terminado a segunda transição na primeira colocação, completou o pódio com a medalha de bronze.[28] Dois dias depois, o revezamento misto foi disputado. Na estreia da modalidade, a brasileira Luisa Baptista saiu das águas na primeira colocação, mas perdeu posições no ciclismo. O brasileiro Kauê Willy também foi ultrapassado, desta vez na natação; contudo, Vittória Lopes reassumiu a liderança que foi mantida por Manoel Messias até o final da prova.[31] O quarteto canadense, que estava disputando a primeira colocação com o brasileiro, terminou conquistando a prata, enquanto que o México ficou com a terceira posição.[32]

FemininoEditar

Ano Sede Ouro Prata Bronze Ref.
1995 Mar del Plata  USA Estados Unidos
Karen Smyers
 CAN Canadá
Kristie Otto
 CAN Canadá
Fiona Cribb
[33]
1999 Winnipeg  CAN Canadá
Sharon Donnelly
 BRA Brasil
Carla Moreno
 CAN Canadá
Carol Montgomery
[34]
2003 Santo Domingo  CAN Canadá
Jill Savege
 USA Estados Unidos
Sheila Taormina
 USA Estados Unidos
Becky Gibbs
[14]
2007 Rio de Janeiro  USA Estados Unidos
Julie Ertel
 USA Estados Unidos
Sarah Haskins
 CAN Canadá
Lauren Groves
[15]
2011 Guadalajara  USA Estados Unidos
Sarah Haskins
 CHI Chile
Bárbara Riveros
 BRA Brasil
Pâmella Oliveira
[35]
2015 Toronto  CHI Chile
Bárbara Riveros
 MEX México
Paola Díaz
 BER Bermudas
Flora Duffy
[36]
2019 Lima  BRA Brasil
Luisa Baptista
 BRA Brasil
Vittória Lopes
 MEX México
Cecilia Pérez
[37]

MasculinoEditar

Ano Sede Ouro Prata Bronze Ref.
1995 Mar del Plata  BRA Brasil
Leandro Macedo
 CAN Canadá
Mark Bates
 ARG Argentina
Oscar Galíndez
[38]
1999 Winnipeg  VEN Venezuela
Gilberto González
 USA Estados Unidos
Hunter Kemper
 CAN Canadá
Simon Whitfield
[39]
2003 Santo Domingo  USA Estados Unidos
Hunter Kemper
 BRA Brasil
Virgílio de Castilho
 ARG Argentina
Oscar Galíndez
[16]
2007 Rio de Janeiro  USA Estados Unidos
Andy Potts
 CAN Canadá
Brent McMahon
 BRA Brasil
Juraci Moreira
[17]
2011 Guadalajara  BRA Brasil
Reinaldo Colucci
 USA Estados Unidos
Manuel Huerta
 CAN Canadá
Brent McMahon
[40]
2015 Toronto  MEX México
Crisanto Grajales
 USA Estados Unidos
Kevin McDowell
 MEX México
Irving Pérez
[41]
2019 Lima  MEX México
Crisanto Grajales
 BRA Brasil
Manoel Messias
 ARG Argentina
Luciano Franco Taccone
[42]

Revezamento mistoEditar

Ano Sede Ouro Prata Bronze Ref.
2019 Lima  BRA Brasil
Luisa Baptista
Kauê Willy
Manoel Messias
Vittória Lopes
 CAN Canadá
Desirae Ridenour
Charles Paquet
Hannah Rose Henry
Alexis Lepage
 MEX México
Cecilia Pérez
Crisanto Grajales
Claudia Rivas
Irving Pérez
[43]

Quadro de medalhasEditar

 Ordem  País        
1  USA Estados Unidos 5 5 1 11
2  BRA Brasil 4 4 2 10
3  CAN Canadá 2 4 5 11
4  MEX México 2 1 3 6
5  CHI Chile 1 1   2
6  VEN Venezuela 1     1
7  ARG Argentina     3 3
8  BER Bermudas     1 1

Referências

  1. Steve Katai; Colin Barr (6 de jan. de 2015). Triathlon Training (em inglês). [S.l.]: Penguim. 256 páginas. ISBN 9781615645176 
  2. «Results: 1999 Winnipeg Pan American Games» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 2 de julho de 2020. Cópia arquivada em 8 de agosto de 2017 
  3. «Results: 2003 Santo Domingo Pan American Games» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 2 de julho de 2020. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  4. «Results: 2007 Rio de Janeiro Pan American Games» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 2 de julho de 2020. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  5. «Triatlón» (em espanhol). guadalajara2011.org.mx. Consultado em 2 de julho de 2020. Arquivado do original em 22 de março de 2015 
  6. «2015 Toronto Pan American Games» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 12 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 7 de janeiro de 2018 
  7. «Team Guide TRIATHLON» (PDF) (em inglês). triathlon.org. Consultado em 20 de outubro de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 21 de outubro de 2019 
  8. a b «Juegos Panamericanos Lima 2019: Acceso libre para alentar a competidores en la Triatlón» (em espanhol). 27 de julho de 2019. Consultado em 27 de julho de 2019. Cópia arquivada em 27 de julho de 2019 
  9. Totti, Iúri (25 de julho de 2019). «Triathlon: Brasileiros prontos para o Pan de Lima». Terra. Consultado em 23 de agosto de 2019 
  10. «Playa Chorrillos». Lima 2019 (em espanhol). Consultado em 23 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 28 de julho de 2019 
  11. Redacción Lima 2019 (29 de julho de 2019). «BRASIL SE QUEDÓ CON EL ORO EN EL TRIATLÓN POR RELEVOS». Lima 2019 (em espanhol). Consultado em 23 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 23 de agosto de 2019 
  12. a b Steven Olderr (14 de setembro de 2009). The Pan American Games/Los Juegos Panamericanos (em inglês). [S.l.]: McFarland. pp. 284–285. ISBN 9780786443369 
  13. Ignácio Aronovich (maio de 1995). «Bikeando». Trip. 8 (40). ISSN 1414-350X 
  14. a b «Results: 2003 Santo Domingo Pan American Games | Elite Women» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  15. a b «Results: 2007 Rio de Janeiro Pan American Games | Elite Women» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 13 de maio de 2019 
  16. a b «Results: 2003 Santo Domingo Pan American Games | Elite Men» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  17. a b «Results: 2007 Rio de Janeiro Pan American Games | Elite Men» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  18. «Women's» (em inglês). Guadalajara2011.org.mx. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 26 de outubro de 2011 
  19. a b Herbert Krabel (23 de outubro de 2011). «Colucci, Haskins take PanAm Gold» (em inglês). Slowtwitch.com. Consultado em 1 de julho de 2020. Cópia arquivada em 26 de setembro de 2018 
  20. «Men's» (em inglês). Guadalajara2011.org.mx. Consultado em 1 de julho de 2020. Arquivado do original em 1 de outubro de 2014 
  21. «OFFICIAL RESULTS» (PDF) (em inglês). results.toronto2015.org. Consultado em 12 de outubro de 2019. Arquivado do original (PDF) em 29 de agosto de 2015 
  22. «Pennock claims top Canadian spot at Pan Ams». Triathlon Magazine. 11 de julho de 2015. Consultado em 12 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2015 
  23. «OFFICIAL RESULTS» (PDF). results.toronto2015.org. Consultado em 12 de outubro de 2019. Arquivado do original (PDF) em 29 de agosto de 2015 
  24. «Mexicano mete corazón y gana oro en triatlón» (em espanhol). posta.com.mx. 12 de julho de 2015. Consultado em 12 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2015 
  25. «Resultados Oficiales: Triatlon Femenino Individual» (PDF) (em espanhol). wrsd.lima2019.pe. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 27 de julho de 2019 
  26. «Cecilia Pérez se cuelga el bronce en el triatlón de Lima 2019» (em espanhol). marca.com. 27 de julho de 2019. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 28 de julho de 2019 
  27. «Cronograma diario de competencias: Triatlón» (em espanhol). wrsd.lima2019.pe. Cópia arquivada em 23 de julho de 2019 
  28. a b c d «Resultados Oficiales» (PDF). wrsd.lima2019.pe. 27 de julho de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 27 de julho de 2019 
  29. «Lima 2019: Crisanto Grajales gana la medalla de oro para México, en el triatlón» (em espanhol). publimetro.com.mx. 27 de julho de 2019. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 28 de julho de 2019 
  30. «Triatlo: Com dobradinha brasileira no pódio, Luisa Baptista conquista o 1º ouro do Brasil em Lima». globoesporte.globo.com. 27 de julho de 2019. Consultado em 27 de julho de 2019. Cópia arquivada em 27 de julho de 2019 
  31. «Brasil leva o ouro em estreia da prova de revezamento misto do triatlo nos Jogos Pan-Americanos». globoesporte.globo.com. 29 de julho de 2019. Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada em 29 de julho de 2019 
  32. «Medallistas: Triatlon Relevo Mixto Equipos» (PDF) (em espanhol). wrsd.lima2019.pe. Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 29 de julho de 2019 
  33. «Results: 1995 Mar del Plata Pan American Games | Elite Women» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  34. «Results: 1999 Winnipeg Pan American Games | Elite Women» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  35. «Results: 2011 Guadalajara Pan American Games | Elite Women» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 13 de maio de 2019 
  36. «Results: 2015 Toronto Pan American Games | Elite Women» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 13 de maio de 2019 
  37. «Cecilia Pérez se cuelga el bronce en el triatlón de Lima 2019» (em espanhol). marca.com. 27 de julho de 2019. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 28 de julho de 2019 
  38. «Results: 1995 Mar del Plata Pan American Games | Elite Men» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  39. «Results: 1999 Winnipeg Pan American Games | Elite Men» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 26 de julho de 2019 
  40. «Results: 2011 Guadalajara Pan American Games | Elite Men» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 22 de julho de 2019 
  41. «Results: 2015 Toronto Pan American Games | Elite Men» (em inglês). triathlon.org. Consultado em 28 de julho de 2019. Cópia arquivada em 19 de julho de 2019 
  42. «Triatlo: Com dobradinha brasileira no pódio, Luisa Baptista conquista o 1º ouro do Brasil em Lima». globoesporte.globo.com. 27 de julho de 2019. Consultado em 27 de julho de 2019. Cópia arquivada em 27 de julho de 2019 
  43. «Medallistas: Triatlon Relevo Mixto Equipos» (PDF) (em espanhol). wrsd.lima2019.pe. Consultado em 29 de julho de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 29 de julho de 2019