Tsesarevich

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Tsarevich, nem com Tsesarevich (couraçado).

Tsesarevich (em russo: Цесаревич, IPA: [tsɨsɐˈrʲevʲɪtɕ]; às vezes transliterado como Cesarevich ou Caesarevich) era o título do herdeiro aparente ou presuntivo no Império Russo. Ele precedia ou substituía o nome fornecido e o patronímico.

Estandarte Imperial do Tsesarevich.

UsoEditar

É frequentemente confundido com "tsarevich", que é uma palavra distinta com um significado diferente: tsarevich era o título para qualquer filho de um czar, incluindo filhos de governantes não russos com esse título, por ex. Crimeia, Sibéria, Geórgia.[1][2] Normalmente, havia apenas um tsesarevich por vez (uma exceção era o grão-duque Constantino Pavlovich, que recebeu o título até a morte, embora a lei o desse a seu sobrinho), e o título era usado exclusivamente na Rússia.

O título passou a ser usado invariavelmente em conjunto com o estilo formal "Sucessor" (em russo: Наследник, transl. Naslednik), como em "Sua Alteza Imperial o Sucessor Tsesarevich e Grão-Duque". A esposa do Tsesarevich era o Tsesarevna (em russo: Цесаревна).[3]

HistóriaEditar

Em 1721, Pedro, o Grande, interrompeu o uso de "czar" como título principal e adotou o de Imperator (imperador), após o que o título de czarevich (e "czarevna", retido por toda a vida pelas filhas de Ivan V) caiu em desuso.[1] As filhas do imperador passaram a ser chamadas de "tsesarevna" (Pedro não tinha filho vivo nessa época). Em 1762, ao suceder ao trono imperial, Pedro III concedeu a seu único filho Paulo Petrovich (pela futura Catarina, a Grande) o novo título de tsesarevich, sendo ele o primeiro dos nove herdeiros Romanov que o carregariam.[1] No entanto, na época em que o título foi conferido, Paulo foi reconhecido como filho legal de Pedro, mas não como seu herdeiro legal. Nem seria oficialmente reconhecido como tal por sua mãe após sua usurpação do trono.

Mais frequentemente, ele era internacionalmente referido por seu outro título de "Grão-duque" (o significado real na língua russa é "Grão-Príncipe"), que antecedeu tsesarevich, sendo um remanescente dos dias Rurikid antes de os grão-duques de Moscóvia adotarem o título do czar. Quando Paulo subiu ao trono em 1796, ele imediatamente declarou seu filho Aleksandr Pavlovich tsesarevich, e o título foi confirmado por lei em 1797 como o título oficial para o herdeiro do trono (incorporado ao Artigo 145 das Leis Fundamentais).[1] Em 1799, Paulo I concedeu o título de tsesarevich a seu segundo filho, Constantino Pavlovich, que, estranhamente, manteve o título mesmo depois de renunciar ao trono em 1825 em favor de seu irmão mais novo, Nicolau I.[1]

Daí em diante, cada filho mais velho do Imperador carregou o título até 1894, quando Nicolau II o conferiu a seu irmão, o Grão-Duque Jorge Aleksandrovich, com a estipulação de que seu direito a ele terminaria com o nascimento de um filho de Nicolau, que então estava prometido a Alice de Hesse. Quando George morreu em 1899, Nicholas não conferiu o título a seu irmão sobrevivente mais velho, Miguel Aleksandrovich, embora o único filho de Nicholas só nascesse dentro de cinco anos. Esse filho, Alexei Nikolaevich (1904–1918), tornou-se o último tsesarevich do Império Russo.

Tsesarevich da RússiaEditar

Imagem Nome Herdeiro de Nascimento Tornou-se Herdeiro do Trono Tsesarevich criado Deixou de ser Tsesarevich Morte Tsesarevna
  Tsesarevich Paulo Petrovich
(Paulo I)
Catarina II 1 de outubro de 1754 9 de julho de 1762 7 de janeiro de 1762 17 de novembro de 1796

tornou-se imperador

24 de março de 1801 Guilhermina Luísa de Hesse-Darmestádio

Sofia Doroteia de Württemberg

  Tsesarevich Alexandre Pavlovich
(Alexandre I)
Paulo I 23 de dezembro de 1777 17 de novembro de 1796 28 de novembro de 1796 24 de março de 1801 tornou-se imperador 1 de dezembro de 1825 Luísa de Baden
  Tsesarevich Constantino Pavlovich Alexandre I 8 de maio de 1779 24 de março de 1801 8 de novembro de 1799 27 de junho de 1831 Juliana de Saxe-Coburgo-Saalfeld
  Tsesarevich Alexandre Nikolaevich
(Alexandre II)
Nicolau I 29 de abril de 1818 1 de dezembro de 1825 10 de setembro de 1831 2 de março de 1855

tornou-se imperador

13 de março de 1881 Maria de Hesse e Reno
  Tsesarevich Nicolau Alexandrovich Alexandre II 20 de setembro de 1843 2 de março de 1855 24 de abril de 1865
  Tsesarevich Alexandre Alexandrovich
(Alexandre III)
10 de março de 1845 24 de abril de 1865 13 de março de 1881

tornou-se imperador

1 de novembro de 1894 Dagmar da Dinamarca
  Tsesarevich Nicolau Alexandrovich
(Nicolau II)
Alexandre III 18 de maio de 1868 13 de março de 1881 1 de novembro de 1894

tornou-se imperador

17 de julho de 1918
  Tsesarevich Jorge Alexandrovich Nicolau II 9 de maio de 1871 1 de novembro de 1894 10 de julho de 1899
  Tsesarevich Alexei Nikolaevich 12 de agosto de 1904 15 de março de 1917 Monarquia abolida 17 de julho de 1918

Tsesarevna da RússiaEditar

A esposa de um herdeiro-tsesarevich carregava o título Tsesarevna (em russo: Цесаревна) – Grã-duquesa. Nos primeiros anos do Império Russo, as herdeiras de Pedro I da Rússia portavam este título - suas filhas Isabel da Rússia (nascida em 1709), Ana Petrovna (1708–1728) e Natalia Petrovna (1718–1725). Não deve ser confundido com Tsarevna (usado apenas antes do século XVIII) para todas as filhas do czar.

Muitas princesas da Europa Ocidental, que se converteram ao Cristianismo Ortodoxo e mudaram seus nomes de acordo, receberam o patronímico Fyodorovna não porque seus pais foram chamados de "Teodoro", mas como uma alegoria baseada no nome de Teotokos de Santo Teodoro, o ícone do patrono da família Romanov.[4]

Imagem Nome Pai Nascimento Casamento Tornou-se Tsesarevna Deixou de ser Tsesarevna Morte Cônjuge
  Maria Alexandrovna
nascida Maria de Hesse e Reno
Luís II, Grão-Duque de Hesse
(Hesse-Darmstadt)
8 de agosto de 1824 28 de abril de 1841 2 de março de 1855

tornou-se imperatriz

3 de junho de 1880 Tsesarevich Alexandre Nikolaevich
  Maria Feodorovna
nascida Dagmar da Dinamarca
Cristiano IX da Dinamarca
(Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg)
26 de novembro de 1847 9 de novembro de 1866 13 de março de 1881

tornou-se imperatriz

13 de outubro de 1928 Tsesarevich Alexandre Alexandrovich

Pós-monarquiaEditar

Depois de reivindicar o trono russo no exílio em 1924, o grão-duque Cyril Vladimirovich da Rússia designou seu filho, o grão-duque Vladimir Cyrillovich da Rússia, Tsesarevich.[1] Desde 1997, o título é atribuído ao neto de Vladimir, George Mikhailovich Romanov, cuja mãe, Maria Vladimirovna, o conferiu na qualidade de pretendente ao trono.[1] Aqueles que se referem a ele por um título dinástico, no entanto, geralmente o chamam de "grão-duque".[carece de fontes?]

Até o fim do império, a maioria das pessoas na Rússia e no exterior, verbalmente e por escrito, continuou a se referir ao soberano como "czar". Talvez por essa razão o título de tsesarevich tenha sido usado com menos frequência para se referir ao herdeiro aparente do que "tsarevich" ou "grão-duque".[carece de fontes?]

Referências

  1. a b c d e f g Macedonsky, Dimitry (junho de 2005). «Hail, Son of Caesar! A Titular History of Romanov Scions». Arturo E. Beeche. European Royal History Journal. 8.3 (XLV): 19–27 
  2. Burke's Royal Families of the World II. [S.l.]: Burke's Peerage Ltd. 1980. 65 páginas. ISBN 0-85011-029-7 
  3.   Chisholm, Hugh, ed. (1911). «Cesarevich». Encyclopædia Britannica (em inglês) 11.ª ed. Encyclopædia Britannica, Inc. (atualmente em domínio público) 
  4. «Елисавета Феодоровна». Православная энциклопедия. Consultado em 23 de março de 2010