Abrir menu principal
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a Universidade de Uppsala. Para outros significados, veja Uppsala (desambiguação).
Universidade de Uppsala
Universidade de Upsália
Uppsala universitet
Latim:'Universitas Regia Upsaliensis,Academia Regia Upsaliensis'
Lema Gratiae veritas naturae
Fundação 1477
Tipo de instituição Pública, Pesquisa
Localização Uppsala, Suécia
Funcionários técnico-administrativos 2.000
Reitor(a) Anders Hallberg
Docentes 4.000
Total de estudantes 43.591
Graduação 34.846
Pós-graduação 12.622
Doutorado 2.289
Campus Urbano
Cores da escola      marrom      branco
Afiliações Grupo Coimbra, EUA, Rede de Universidades Matariki, The Guild
Orçamento anual 4,3 bilhões SEK (2007)[1]
Página oficial www.uu.se

A Universidade de Uppsala ou Universidade de Upsália [2](em sueco: Uppsala universitet) é uma universidade pública localizada na cidade de Uppsala, na Suécia. A mais antiga universidade na Escandinávia, fundada em 1477, por iniciativa do arcebispo Jakob Ulvsson, destaca-se nas áreas da investigação e ensino superior. Oito dos seus professores e investigadores foram galardoados com o Prémio Nobel e no total quinze pessoas, que de alguma forma estão relacionadas com a universidade, também receberam o prémio.

HistóriaEditar

 
Universidade de Uppsala

Fundada por iniciativa do arcebispo de Uppsala Jakob Ulfsson e do regente sueco Sten Sture, com uma bula do Papa Sisto IV em 1477, inicialmente o ensino consistia em filosofia, direito e teologia. Após o turbulento período que sucedeu à reforma, com fases de extinção virtual, a universidade tomou novos ares a partir do final do século XVI, com o surgimento da Suécia como potência regional e estado luterano, tendo alcançado mais tarde relativa estabilidade financeira, graças a um grande donativo feito pelo Rei Gustavo Adolfo II no século XVII.

No século XVIII a Universidade de Uppsala ganhou destaque com seus cientistas: matemático e físico Samuel Klingenstierna (1698-1765) nomeado professor em 1728, o físico e astrónomo Anders Celsius em 1729, e Carlos Lineu que foi professor de medicina e botânica a partir de 1741.

Durante a segunda metade do século XIX, ocorreram grandes investimentos nas ciências naturais. Um observatório astronômico, um laboratório químico e físico foram estabelecido e ampliaram o Hospital Acadêmico foi ampliado. Svedberg recebeu o Prêmio Nobel de 1926 por sua pesquisa molecular em uma ultracentrífuga, o qual se tornou o Acelerador de Partículas no Laboratório Svedberg da Universidade.

Durante a segunda metade do século XX, grandes esforços políticos foram feitos para ampliar o recrutamento para a academia. A universidade e o número de estudantes cresceram consideravelmente. MNovos edifícios universitários e unidades de alojamento estudantil foram construídos por toda a cidade. Entretanto, com a abertura de novas universidades pelo país, também caiu a procura por essa instituição.

Hoje, existem aproximadamente 24.000 estudantes e 2.400 estudantes de doutorado matriculados.

A Universidade de Uppsala realiza formação e investigação em farmácia, ciências humanas, direito, medicina, cuidados de saúde, ciências sociais, línguas, tecnologia, teologia e na área da educação.

OrganizaçãoEditar

A universidade tem nove faculdades distribuídas em três grandes áreas. Recebeu, em 2007, cerca de 41.000 estudantes, entre eles 2.400 candidatos a doutorado. Dos seus 6.000 empregados, 3.800 são professores.

Mantém alianças com a European University Association, pertencendo também ao Grupo Coimbra de universidades europeias. Possui intercâmbio com cerca de 50 universidades na Europa, Canadá e Estados Unidos.

Do Campus Universitário consistem diversos edifícios, muitos dos quais históricos, dispersos por toda a cidade de Uppsala.

BibliotecaEditar

A Biblioteca da Universidade de Uppsala tem cerca de 5,25 milhões de volumes de livros e periódicos (131.293 metros lineares de prateleira), 61.959 manuscritos, 7.133 músicas digitais, e 345.734 mapas e outros documentos gráficos. A colecção de manuscritos inclui, entre outros, o manuscrito gótico da Bíblia Codex Argenteus e o Codex Upsaliensis contendo o texto da Edda em prosa.

O edifício mais conhecido é o da biblioteca universitária Carolina Rediviva, assim chamada em referência a Academia Carolina, tendo esta mais 18 filiais espalhadas pela cidade.

PosiçãoEditar

A Universidade de Uppsala é geralmente classificado como uma das principais da Suécia, e estando em posição de destaque na Europa e no mundo[3]. </ref> Por mais de uma década está classificada entre as 80 melhores universidades do mundo pela Academic Ranking of World Universities.[4]Os seus investigadores e alunos publicam cerca de 5.000 artigos e livros científicos por ano.

Ranking (year) Classificação mundial Classificação europeia Classificação sueca
Academic Ranking of World Universities (2015)[5] # 61 # 23 # 2
THES - QS World University Rankings (2017)[6] # 86 # 22 # 2
Web Ranking of European Universities (2009)[7] # 80 # 14 # 1
Top Study Links University Rankings (2010) # 107 # 21 # 2

Pessoas ligadas à Universidade de UppsalaEditar

 
Universidade de Uppsala

Laureados com o NobelEditar

Como parte do tradicional protocolo Prêmio Nobel, seus laureados de cada ano dão uma palestra na universidade.

RealezaEditar

ReligiososEditar

  • Emanuel Swedenborg (1688-1772), cientista, filósofo e místico religioso
  • Lars Levi Laestadius (1800–1861) clérigo e botânico, fundador do movimento laestadiano
  • Nathan Söderblom (1866–1931) professor de religião comparativa, mais tarde arcebispo de Uppsala e prêmio Nobel da Paz em 1931.

EmpresáriosEditar

BrasileirosEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Årsredovisning 2007"» (PDF). Consultado em 1 de abril de 2010. Arquivado do original (PDF) em 17 de dezembro de 2008 
  2. Luft 2014.
  3. «QS Top Universities: Schools». Consultado em 1 de abril de 2010. Arquivado do original em 19 de julho de 2008 
  4. [1]
  5. [2]
  6. [3]
  7. «Webomatrics 2009». Consultado em 1 de abril de 2010. Arquivado do original em 8 de maio de 2009 

BibliografiaEditar

  • Luft, Celso Pedro (2014). «Uppsala». Novo guia ortográfico. Rio de Janeiro: Globo Livros 

Ligações externasEditar