Abrir menu principal

Usina Hidrelétrica de Boa Esperança

Usina Hidrelétrica de Boa Esperança
Localização
Localização Rio Parnaíba, Brasil Editar isso no Wikidata
Rio Rio Parnaíba
Coordenadas 43° 34' Oeste e 6° 45' Sul
Dados gerais
Empresa operadora Chesf
Empresa distribuidora Eletrobras
Operador Chesf
Obras 08/1964-?
Data de inauguração 04/1970
Custo de construção R$ 230 Milhões
Características
Tipo lago
Altura 141 m
Capacidade de geração 272 MW MW
Website
[[1]]

A Usina Hidrelétrica de Boa Esperança é uma usina que fornece energia ao estado do Piauí, operada pela CHESF. Anteriormente, a usina tinha a designação de Usina Hidrelétrica Marechal Castelo Branco, mas recentemente tem a nomenclatura de Boa Esperança.

As obras foram iniciadas em agosto de 1964 e o início da sua operação se deu em abril de 1970.

LocalizaçãoEditar

A Usina Hidrelétrica de Boa Esperança está situada entre a cidade piauiense de Guadalupe, a 380 km da capital Teresina, e o município Maranhense de São João dos Patos, 540 km de São Luís.

Lago ArtificialEditar

A Usina forma um lago artificial grande, atingindo alto volume de água até a cidade de Porto Alegre do Piauí. No Maranhão, a única cidade que se situa às margens do rio Parnaíba e que é banhada pelo lago artificial do mesmo é Nova Iorque. Na cidade de Guadalupe, às margens do lago, há hotéis e balneários.

RepresaEditar

Represamento de Boa Esperança é feito por uma barragem do tipo mista terra-enrocamento, com altura máxima de 53 m, e comprimento total da crista de 5.212 m, associada a estruturas de concreto tais como: vertedouro dotado de 6 comportas.

O Aproveitamento de Boa Esperança tem uma área de drenagem de 87.500 km², e está instalado no rio Parnaíba, cuja bacia hidrográfica tem uma área da ordem de 300.000 km²

PotênciaEditar

A vazão máxima é de 12000 m³/s (incluindo o vertedouro com 6 comportas). Possui casa de força do tipo semi-abrigada, com 4 unidades geradoras acionadas por turbinas Francis, sendo 2 unidades de 55.000 kW cada, e 2 unidades de 63.650 kW cada, totalizando uma capacidade instalada de 237,3 MW.

O sistema utilizado para disponibilizar a energia gerada é composto por uma subestação elevadora com 03 transformadores de 70 MVA e 01 de 60 MVA, que elevam a tensão de 13,8 kV para 230 kV. A partir desse ponto é feita a conexão com o sistema de transmissão da CHESF através da Subestação de Boa Esperança II - 500/230 kV.[1]

Rio ParnaíbaEditar

Nicolau Resende descobriu o Rio Parnaíba por volta de 1640, quando sofreu um naufrágio nas proximidades de sua foz. Foi bastante explorado pelo bandeirante Domingos Jorge Velho, dando-lhe o seu nome atual.

O rio nasce da Chapada das Mangabeiras, que atualmente é preservada pelo Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba, numa altitude da ordem de 700 metros, da confluência principalmente de três cursos d'água. Percorre cerca de 1.450 km até sua desembocadura no Oceano Atlântico, onde forma o Delta do Rio Parnaíba. Compreende três cursos: Alto Parnaíba, Médio Parnaíba e Baixo Parnaíba.

O rio Parnaíba situa-se em uma área de transição entre o Nordeste Árido e a região amazônica. O regime do Parnaíba é pluvial, tendo declividade acentuada de sua nascente até o município de Santa Filomena, sofrendo a partir daí uma redução gradativa.

O Vale do Parnaíba possui mais de três mil quilômetros de rios perenes, centenas de lagoas e a metade da água de subsolo do Nordeste.

Ligações externasEditar

  1. «Sistema Chesf Boa Esperança». www.chesf.gov.br. Consultado em 14 de agosto de 2018  line feed character character in |titulo= at position 14 (ajuda)