Vilaiete da Albânia

Vilaiete da Albânia (em turco otomano: ولايت ارناود, Vilâyet-i Arnavid) foi um vilaiete projetado no Império Otomano na Península dos Balcãs ocidental, que deveria incluir os quatro vilaietes otomanos com substanciais populações de etnia albanesa: Vilaiete de Kosovo, Vilaiete de Shkodër, Vilaiete de Monastir e Vilaiete de Ioannina. Às vezes, incluía o Vilaiete de Salônica também.[1][2][3] A criação do vilaiete foi confirmada em setembro de 1912, mas as negociações foram interrompidas um mês depois, em outubro, com o início da Primeira Guerra Balcânica. Os planos para um vilaiete albanês seriam frustrados com a Partição da Albânia.

História da Albânia
Coat of arms of Albania.svg
Proposta para formar o vilaiete albanês

Um super-vilaiete albanês separado foi parte da agenda de muitas organizações e sociedades da Albânia desde 1877, durante o período conhecido como Despertar nacional da Albânia. O estabelecimento de tal vilaiete foi acordado entre os rebeldes albaneses e os representantes autorizados do governo otomano em 4 de setembro de 1912, após a revolta albanesa de 1912. Logo depois desse acordo, no entanto, a Primeira Guerra Balcânica estourou e a maior parte do território europeu remanescente do Império Otomano foi ocupado pelos Estados membros da Liga Balcânica. Depois que o exército do Reino da Sérvia capturou Skopje, Ismail Qemali convidou um grupo de albaneses dos quatro vilaietes otomanos que haviam concordado em se unirem sob o vilaiete albanês para participar do Congresso Toda a Albânia em Valona. Ali, declararam a independência em 28 de novembro de 1912 e estabeleceram o Governo Provisório da Albânia.

Os mesmos territórios seriam reivindicados pelas nações que viviam nessa região, que já haviam despertado o seu desenvolvimento nacional a um Estado independente: o vilaiete de Escodra foi reivindicado pelos sérvios e montenegrinos, o vilaiete de Kosovo pelos sérvios, montenegrinos e búlgaros, o vilaiete de Monastir pelos sérvios, gregos e búlgaros e o vilaiete de Janina pelos gregos.[4] Poucas semanas após o início da Primeira Guerra Balcânica, a maior parte dos territórios destinados ao vilaiete albanês estavam nas mãos dos Estados membros da Liga dos Bálcãs, como um condomínio.[5] As fronteiras definitivas entre os membros da Liga dos Bálcãs e o novo Principado da Albânia foram decididas pelos tratados de Londres e Bucareste, e ignoraram as fronteiras do vilaiete albanês, deixando substanciais populações albanesas vivendo fora do recém-criado Estado-nação da Albânia.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Clayer, Nathalie (2007). Aux origines du nationalisme albanais: la naissance d'une nation majoritairement musulmane on Europe. [S.l.]: Karthala. p. 463. ISBN 9782845868168. Contrairement à ce qui est souvent affirmé, la revendication d'un territoire englobant le vilayet de Salonique fut assez fréquente 
  2. Bataković, Dušan T. «Part2». The Kosovo Chronicles. Belgrade, Serbia: Knižara Plato. ISBN 86-447-0006-5. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2011. Plans were then already voiced for including even of the Salonika vilayet 
  3. Jelavich, Charles; Jelavich, Barbara (1986). The establishment of the Balkan national states, 1804-1920. [S.l.]: University of Washington Press. p. 86. ISBN 9780295964133. The first, more moderate, wanted the five vilayets (this would include Thessaloniki) that were inhabted by Albanians to be united in the single province... plan receives support of the conservatives. The more radical group desired unification of just four vilayets, but with full administrative autonomy 
  4. Sellers, Mortimer; Tomaszewski, Tadeusz (15 de abril de 2010). Sellers, Mortimer; Tomaszewski, Tadeusz, eds. The Rule of Law in Comparative Perspective. London: Springer Dordrecht Heidelberg. p. 202. ISBN 978-90-481-3748-0. doi:10.1007/978-90-481-3749-7. However, the same regions were also claimed by those nations living in area that had started their national developments and risen to nation statehood level somewhat before Albanians. The vilayets of Shkodra (part of present Albania) and Kosovo (an independent state now) were claimed by Serbs and Montenegrins, Monastir by Serbs and Bulgarians and Ioaninna by the Greek. 
  5. Redlich, Josef; d'Estournelles, Baron; Godart, M. Justin; Shucking, Walter; Hirst, Francis W.; Brailsford, H. N.; Milioukov, Paul; Dutton, Samuel T. (1914). «Report of the International Commission to Inquire into the Causes and the Conduct of the Balkan Wars». Washington D.C.: Carnegie Endowment for International Piece. p. 49. In a few weeks the territories of Turkey in Europe .. by the Balkan allies ... in their hands as condominium