Abrir menu principal

Virgílio de Morais

Advogado, promotor, jornalista e escritor brasileiro
Virgílio de Morais
Nome nativo Virgílio Augusto de Morais
Nascimento 21 de dezembro de 1845
Sobral
Morte 6 de maio de 1914 (68 anos)
Fortaleza
Cidadania Brasil
Alma mater Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pernambuco
Ocupação advogado, promotor de justiça, jornalista, escritor
Prêmios Academia Cearense de Letras
Empregador Liceu do Ceará, Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará
Causa da morte aneurisma da aorta

Virgílio Augusto de Morais (Sobral, 21 de dezembro de 1845 - Fortaleza, 6 de maio de 1914), foi um advogado, promotor, jornalista e escritor brasileiro.[1]

BiografiaEditar

Filho do Major Manuel Francisco de Morais e de D. Carlota Maria da Glória de Morais, O pai era pernambucano e o mandou estudar em Recife, onde cursou o Ginásio Pernambucano, onde fez os preparatórios, e, depois, a Faculdade de Direito de Recife, nesta recebendo o diploma de bacharel em ciências jurídicas e sociais, no ano de 1867.[2]

Exerceu as funções de Promotor de Justiça de Baturité, Procurador da Fazenda Provincial, Diretor da Instrução Pública e professor do Liceu do Ceará e um dos fundadores da Faculdade de Direito do Ceará, da qual foi um dos primeiros professores. Com Pergentino da Costa Lobo redigiu a ‘Gazeta Forense’, fundada em Fortaleza no ano de 1876. Jurisconsulto, especializado em Direito Comercial, e advogado criterioso, conquistou merecido renome perante os seus conterrâneos. Amava as letras jurídicas e as belas letras.[3][4][5]

Mordomo da Santa Casa de Misericórdia, foi um dos fundadores do Instituto do Ceará, membro e fundador da Academia Cearense de Letras, publicou vários trabalhos, escritos por exigências da sua profissão de causídico. O seu nome ilustre está mencionado nas ‘Memórias de Viagem de D. Pedro II pelas províncias do Norte’, à pág. 120, II volume, conforme refere Guilherme Studart no seu ‘Dic. Bio-Bibliográfico Cearense’.[6] Faleceu de aneurisma da aorta ás 8 horas da noite de 6 de Maio de 1914.[7][8][9][10][11]

Obras principaisEditar

  • Responsabilidade Civil do Estado,
  • Jurisprudência - Juízo Arbitral,

Referências

  1. «Academia Cearense de Letras - Site oficial». www.ceara.pro.br. Consultado em 27 de agosto de 2018 
  2. «Virgílio Augusto de MORAIS». portal.ceara.pro.br (em inglês). Consultado em 27 de agosto de 2018 
  3. 1001 cearenses notáveis. [S.l.]: Casa do Ceará Editora. 1996 
  4. Chuva, Márcia (10 de setembro de 2012). Patrimônio cultural. [S.l.]: Mauad Editora Ltda. ISBN 9788574784960 
  5. Os 40 da Casa do Barão: primeiro centenário do Instituto do Ceará. [S.l.]: Senado Federal, Centro Gráfico. 1993 
  6. «Virgilio Augusto de Moraes». portal.ceara.pro.br (em inglês). Consultado em 27 de agosto de 2018 
  7. Meio séculuo de existência: (subsídio para a história do Instituto do Ceará) 1887-1937. [S.l.]: Tipografia Minerva, Asis Bezerra. 1937 
  8. Revista das Academias de Letras. [S.l.: s.n.] 1957 
  9. Nirez (2001). Cronologia ilustrada de Fortaleza: roteiro para um turismo histórico e cultural. [S.l.]: UFC, Casa de José de Alencar Programa Editorial 
  10. Ceará, Instituto do; de.), Ghilherme Studart (barão (1959). Revista Trimensal do Instituto do Ceará. [S.l.]: O Instituto 
  11. Girão, Raimundo (1984). Pequena história do Ceará. [S.l.]: Universidade Federal do Ceará