Ínclita Geração

Ínclita Geração é o epíteto dado na História de Portugal aos filhos do rei João I de Portugal (1357-1433) e de Filipa de Lencastre (1360-1415).[1] Foi cunhado pelo poeta Luís de Camões em "Os Lusíadas" (Canto IV, estância 50):

"Mas, pera defensão dos Lusitanos,
Deixou, quem o levou, quem governasse
E aumentasse a terra mais que dantes:
Ínclita geração, altos Infantes."

A expressão refere-se ao valor individual destes príncipes — os que chegaram à idade adulta, uma vez que os dois primeiros filhos do casal morreram ainda crianças[2] — que se destacaram em sua época pelo seu elevado grau de educação, valor militar, grande sabedoria e predominância na vida pública portuguesa. Foram eles:

Retrato Nome

Cargo

Nascimento Morte Descrição
D. Duarte I

Rei de Portugal

31 de outubro de 1391

Viseu, Portugal

9 de setembro de 1438

Tomar, Portugal

Rei de Portugal (1433-1438)

Conhecido como "o Eloquente".

Infante D. Pedro

Duque de Coimbra

9 de dezembro de 1392

Lisboa, Portugal

20 de maio de 1449

Vialonga, Vila Franca de Xira, Portugal

Senhor de grande cultura e muito viajado, conhecido como "Príncipe das Sete Partidas" e considerado o príncipe mais culto da sua época.

Regente do Reino de Portugal em nome de D. Afonso V (1439-1448)

Veio a falecer em combate na Batalha de Alfarrobeira.

Infante D. Henrique

Duque de Viseu

4 de março de 1394

Porto, Portugal

13 de novembro de 1460

Sagres, Vila do Bispo, Portugal

Conhecido como "Henrique, O Navegador".

Foi o grande promotor e impulsionador dos Descobrimentos portugueses

Infanta D. Isabel

Duquesa de Borgonha

21 de fevereiro de 1397

Évora, Portugal

17 de dezembro de 1471

Dijon, França

Casada com Filipe III, Duque da Borgonha.

Atuou em nome do marido em vários encontros diplomáticos e é considerada como a verdadeira governante da província francesa da Borgonha no seu tempo.

Em honra deste casamento, o Duque criou a Ordem do Tosão de Ouro.

Infante D. João

Condestável de Portugal

13 de janeiro de 1400

Santarém, Portugal

18 de outubro de 1442

Alcácer do Sal, Portugal

Designado em 1418, mestre da Ordem de Santiago.

Condestável de Portugal (1431-1442)

Avô da rainha Isabel de Castela e do rei Manuel I de Portugal;

Infante D. Fernando

Infante Santo

29 de setembro de 1402

Santarém, Portugal

5 de junho de 1443

Fez, Marrocos

Faleceu como refém no cativeiro muçulmano em Fez, diante da recusa do Infante D. Henrique em devolver Ceuta, sacrificado assim aos interesses do país.

Referências

  1. As núpcias tiveram lugar na cidade do Porto, a 2 de fevereiro de 1387. D. Filipa de Lencastre era filha de John of Gaunt, Príncipe de Inglaterra, 2º duque de Lancaster, duque de Aquitania, 5º conde de Lancaster e conde de Richmond, e de sua esposa, Blanche of Lancaster.
  2. Foram eles a Infanta D. Branca (Santarém, 30 de julho de 1388 - Março de 1389), e o Infante D. Afonso (Santarém, 30 de julho de 1390 - Braga, 22 de dezembro de 1400. Este foi Infante de Portugal e jurado sucessor e herdeiro do Reino.

Ligações externas editar