Adamantina

município brasileiro do estado de São Paulo

Adamantina, um município brasileiro situado no interior do estado de São Paulo, emerge como um testemunho vivo da tenacidade humana e do espírito pioneiro. Com uma área total abrangendo pouco mais de 411 quilômetros quadrados, esta terra abriga não apenas uma cidade, mas uma narrativa vibrante de colonização, desenvolvimento e identidade cultural.

Adamantina
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Adamantina
Bandeira
Brasão de armas de Adamantina
Brasão de armas
Hino
Gentílico adamantinense
Localização
Localização de Adamantina em São Paulo
Localização de Adamantina em São Paulo
Localização de Adamantina em São Paulo
Adamantina está localizado em: Brasil
Adamantina
Localização de Adamantina no Brasil
Mapa
Mapa de Adamantina
Coordenadas 21° 41' 06" S 51° 04' 22" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Municípios limítrofes Norte: Valparaíso;

Sul: Mariápolis;
Leste: Lucélia;
Oeste: Flórida Paulista.

Distância até a capital 582 km[1]
História
Fundação 24 de dezembro de 1948 (75 anos)
Administração
Prefeito(a) Márcio Cardim[2] (UNIÃO [3], 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [4] 411,781 km²
População total (Estimativa: IBGE/2019[5]) 35 068 hab.
 • Posição SP: 176º
Densidade 85,2 hab./km²
Clima Tropical de Altitude (Cwa)
Altitude [6] 401 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[7]) 0,790 alto
PIB (IBGE/2011[8]) R$ 598 647,267 mil
PIB per capita (IBGE/2011[8]) R$ 17 705,70

História

editar

Origens

editar

A história de Adamantina remonta à década de 1930, quando a Companhia de Agricultura, Imigração e Colonização (CAIC), em parceria com a Boston Castle Company Limited, lançou os alicerces do que viria a ser esta cidade. O engenheiro Alberto Aldwini liderou o desbravamento da densa mata em 1938, abrindo novos caminhos que ligavam a cidade de Tupã a Adamantina. Esse empreendimento visionário não apenas possibilitou a colonização da região, mas também incentivou o estabelecimento de propriedades rurais interligadas por estradas e abastecidas por água, criando um mosaico de desenvolvimento sustentável.

 
Planta do Núcleo Boston de colonização, incluindo Adamantina.

O ciclo cafeeiro e a chegada da ferrovia que terminava no município proporcionaram um rápido crescimento da cidade e da região que ia até o Rio Paraná. Em 24 de dezembro de 1948, foram criados o distrito e o município de Adamantina com território desmembrado do distrito sede de Lucélia e do distrito de Aguapeí do Alto, atual município de Flórida Paulista.[9]

Fatos históricos

editar
  • Durante a década de 1930, Adamantina testemunhou o influxo inicial de habitantes, com funcionários da Companhia Agrícola Imigração e Colonização - CAIC - estabelecendo-se na região. Esses pioneiros, liderados pela visão da CAIC e da Boston Castle Company Limited, abriram caminho pela densa vegetação em 1938, conectando Tupã a Adamantina. Esse marco histórico não só facilitou a colonização, mas também estimulou o surgimento de loteamentos na área. O crescimento populacional de Adamantina ganhou impulso em 1946, impulsionado pela próspera produção de café e a produção de cereais. Este período de expansão viu também o surgimento de infraestruturas essenciais, como o primeiro cinema e outras edificações, em 1947. O ápice dessa fase ocorreu em 24 de dezembro de 1948, quando foi sancionada a Lei nº 233, criando oficialmente o Município de Adamantina. No ano seguinte, em 2 de abril de 1949, ocorreu a instalação do município, marcada pela primeira eleição municipal, que elegeu Antonio Goulart Marmo como o primeiro prefeito da cidade. A década de 1950 foi marcada por avanços significativos na infraestrutura e no desenvolvimento social de Adamantina. Em 1950, foi criada e instalada a paróquia de Santo Antônio, refletindo a importância da religião na vida da comunidade. Além disso, a chegada da estrada de ferro trouxe consigo melhorias substanciais, como a instalação de uma delegacia de polícia, um posto de saúde, a ampliação da rede elétrica, a construção de um ginásio e uma escola normal, além da pavimentação de vias, todos elementos essenciais para a qualidade de vida dos habitantes. O ano de 1955 marcou um marco legal importante para Adamantina, com a criação da Comarca, estabelecida pela Lei n.º 2.456, de 31 de dezembro de 1953. Esse evento foi um reconhecimento do crescimento e desenvolvimento da cidade, consolidando sua importância regional.
 
Planta da cidade (1948).

Toponímia

editar

A palavra adamantina é um adjetivo feminino singular de adamantino, que foi substantivado como nome próprio e provém do grego antigo ἀδαμάντινος (adamántinos), de ἀδάμᾱς (adámās, "diamante"; "aço") + -ῐνος (-inos, um sufixo formador de adjetivos), através do latim adamantinus que quer dizer, em relação às coisas, que tem as qualidades de "inquebrável", "inflexível", "indissolúvel", "impenetrável"; e, em relação às pessoas, que em sua ética foram lapidadas como diamantes e tem as elevadas qualidades morais de "incorruptibilidade", "determinação", "intrepidez", "resiliência" e "altivez de caráter".

O nome dado ao município respeitou o critério utilizado pela Companhia Paulista de Estrada de Ferro, segundo o qual aos locais de parada deveriam ser atribuídos nomes femininos, de acordo com uma sequência alfabética.[10] Outra vertente histórica[11] liga o nome da cidade a uma pessoa ligada a um dos membros da referida Companhia.

Demografia

editar

População

editar
Crescimento populacional
Ano População Total
195035 223
195829 228−17,0%
196034 20617,0%
197031 798−7,0%
198032 0490,8%
199132 0910,1%
199632 7662,1%
200033 4972,2%
201033 7970,9%
202234 6872,6%
Fontes:[12][13][14]
Censos Demográficos IBGE e Estimativas Fundação SEADE

Dados demográficos

editar

Dados do Censo - 2000

População total: 33.497

  • Urbana: 30.368
  • Rural: 3.129
    • Homens: 16.321
    • Mulheres: 17.176

Densidade demográfica (hab./km²): 81,34

Mortalidade infantil até um ano (por mil): 14,96

Expectativa de vida (anos): 71,71

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,98

Taxa de alfabetização: 90,52%

  • Índice de Desenvolvimento Humano ([IDH]): 0,812
  • IDH-M Renda: 0,753
  • IDH-M Longevidade: 0,779
  • IDH-M Educação: 0,903

População residente de dez anos ou mais de idade

  • Total: 28.808
  • Alfabetizada: 26.326
  • População estimada em 1 de Julho de 2005 (IBGE): 34.378 habitantes.

(Fonte: IPEADATA)

Geografia

editar
  • CEP: 17800-000
  • Altitude: 453 m
  • Área Total: 411,8 km²
  • Latitude: sede do município: 21º41'07" sul
  • Longitude: sede do município: 51º04"21" oeste

Cwa (invernos brandos e secos seguidos de verões muito quentes)

Hidrografia

editar
  • Rio Aguapeí ou Feio
  • Ribeirão Emboscada
  • Ribeirão Tucuruvi
  • Ribeirão Lajeado ou Aguapeí-Mirim
  • Ribeirão dos Ranchos
  • Ribeirão taipu

Rodovias

editar
  • SP-294 - Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros.

Infraestrutura

editar

Comunicações

editar

A cidade era atendida pela Cia. Telefônica Rio Preto[15][16], empresa administrada pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB)[17], até que em 1973 passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[18], que inaugurou a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[19], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[20] para suas operações de telefonia fixa.

Educação e Pesquisas

editar
 Ver artigo principal: Centro Universitário de Adamantina

Transportes

editar
 Ver artigo principal: Aeródromo de Adamantina
  • Aeródromo de Adamantina, aeroporto para aviões de pequeno porte, com aproximadamente 1 km de extensão de pista. Na região, com exceção das grandes cidades locais, é o único aeroporto com pista asfaltada.
  • Transporte Circular, atendido por inciativa privada pela empresa Guerino Seiscento, atendendo Adamantina, pelo sistema circular dentro da cidade.
  • Para pouso de helicópteros pode ser utilizado o Centro Esportivo, mediante autorização da prefeitura.

Religião

editar
 
Torre Igreja Matriz

Adamantina possui diversas religiões, predominante cristãs IBGE/2011:

Filhos ilustres

editar

Ver também

editar

Referências

  1. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 26 de janeiro de 2011 
  2. «Eleições 2012 – Confira quem são os Prefeitos Eleitos no Estado de São Paulo». Portal Bragança. 2012. Consultado em 28 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 19 de novembro de 2015 
  3. «Representantes». União Brasil. Consultado em 29 de setembro de 2022 
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  5. «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NO BRASIL E UNIDADES DA FEDERAÇÃO COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1 DE JULHO DE 2014» (PDF). IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 3 de janeiro de 2015 
  6. Embrapa Monitoramento por Satélite. «São Paulo». Consultado em 21 de julho de 2011. Arquivado do original em 27 de julho de 2013 
  7. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 19 de setembro de 2013 
  8. a b «Produto Interno Bruto – PIB Municipal». Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Consultado em 12 de janeiro de 2014. Arquivado do original em 12 de Janeiro de 2014 
  9. «Adamantina». IBGE. Consultado em 8 de janeiro de 2018 
  10. «Adamantina» (PDF). Centro Universitário de Adamantina. Consultado em 8 de janeiro de 2018 
  11. ALVES, Tiago (2019). Breves Ensaios Sobre a História de Adamantina. São Paulo: Cartola. 122 páginas 
  12. «Censos Demográficos (1991-2022) | IBGE». www.ibge.gov.br 
  13. «Censos Demográficos (1872-1980) | IBGE». biblioteca.ibge.gov.br 
  14. «Biblioteca Digital Seade | Fundação Seade». bibliotecadigital.seade.gov.br 
  15. «Relação do patrimônio da Cia. Telefônica Rio Preto incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  16. «Telesp assume controle da Cia. Telefônica Rio Preto e da Empresa Telefônica Paulista». Acervo O Estado de São Paulo 
  17. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  18. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  19. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  20. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas

editar
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Adamantina