Abrir menu principal
Adelmo Genro Filho
Nascimento 25 de dezembro de 1951
São Borja, RS
Morte 11 de fevereiro de 1988 (36 anos)
Florianópolis, SC
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Jornalista, teórico e político

Adelmo Genro Filho (São Borja, 25 de dezembro de 1951Florianópolis, 11 de fevereiro de 1988) foi um jornalista, teórico e político brasileiro. É autor do livro O Segredo da Pirâmide: Para uma teoria marxista do jornalismo, uma das principais referências sobre a teoria do jornalismo. O Centro Acadêmico do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - onde Adelmo Filho lecionou - é batizado em sua homenagem [1].

Índice

BiografiaEditar

Adelmo Genro filho nasceu em 25 de dezembro de 1951, na cidade de São Borja, interior do Rio Grande do Sul. Em 1953, mudou-se com a família para a cidade de Santa Maria, também no interior do estado, onde viria a residir até 1982.

A partir da adolescência, Adelmo passou a exercer intensa atividade política, tanto como líder estudantil quanto membro de organizações clandestinas de resistência à ditadura militar. Formou-se em 1975 pela Faculdade de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Como jornalista, atuou no jornal A Razão, de Santa Maria; no Semanário de Informação Política, de Ijuí e no Jornal Informação, de Porto Alegre.

Em 1976 foi eleito vereador de Santa Maria, pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), exercendo mandato até 1982. Naquele ano, foi candidato a deputado estadual pelo PMDB, não conseguindo se eleger. Em seguida, quando transferiu-se para Florianópolis e ingressou, através de concurso público, como professor do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Na UFSC cursou o mestrado em Ciências Sociais, concluído em 1986, apresentando como dissertação um trabalho que resultou na publicação do livro O segredo da pirâmide, uma das principais referências sobre teoria do jornalismo na América Latina.

Em 1987 licenciou-se da UFSC e, transferindo-se para Porto Alegre, foi um dos fundadores do Centro de Estudos de Filosofia e Política (CeFiP), vivendo um período de intensa produção. Em 1988, Adelmo continuaria licenciado da UFSC para desenvolver pesquisas e atividades no CeFiP. Em fevereiro de 1988, entretanto, veio a falecer tragicamente, em Florianópolis, no Hospital da UFSC, em decorrência de uma virose que, em poucos dias o levou à morte.

Vida familiarEditar

Adelmo foi casado com Letícia Pasqualini, com quem teve duas filhas, Júlia e Bruna. Posteriormente casou-se com Márcia Soares, com quem viveu até falecer. Era irmão de Tarso Genro.

Trajetória políticaEditar

Adelmo militou no MDB, depois no PMDB e, posteriormente, no Partido dos Trabalhadores (PT), junto com o irmão Tarso. Na clandestinidade, atuou no Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e, posteriormente, no Partido Revolucionário Comunista (PRC), dissidência do PCdoB que ingressaria no PT em 1985.

ObrasEditar

Adelmo publicou sete livros, sendo três em conjunto com outros autores.

  • 1980: Hora do povo - uma vertente para o fascismo (com Marcos Rolim e Sérgio Weigert)
  • 1985: Lênin/coração e mente (com Tarso Genro)
  • 1986: Marxismo, filosofia profana
  • 1987: Fazendo o amanhã - partido de vanguarda, política revolucionária e crítica da economia
  • 1987: Contra o socialismo legalista
  • 1987: O segredo da pirâmide - para uma teoria marxista do jornalismo
  • 1988: Filosofia e práxis revolucionária - Karl Marx, Friedrich Engel, Ernest Bloch e Karl Korsch

Referências

  1. Centro Acadêmico Livre de Jornalismo Adelmo Genro Filho "CALJ leva o nome de Adelmo Genro Filho" Arquivado em 24 de junho de 2016, no Wayback Machine.. CALJ-UFSC, 02/05/2008

Ligações externasEditar