Abrir menu principal
Alberto III da Baviera
Duque da Baviera-Munique
Albrecht III von Bayern lehnt Königskrone ab.jpg
Alberto III rejeita a Coroa da Boêmia; quadro de J.G.Hiltensberger, Hofgarten em Munique
Reinado 1467–15460
Consorte (1) Agnes Bernauer/
(2) Ana de Brunsvique-Grubenhagen-Einbeck
Dinastia Wittelsbach
Nascimento 27 de março de 1401
  Munique, Baviera
Morte 29 de fevereiro de 1460 (58 anos)
  Munique, Baviera
Filho(s) João IV
Sigismundo
Margarida, Marquesa de Mântua
Isabel, Eleitoras da Saxónia
Alberto IV
Cristovão
Wolfgang (eclesiástico)
Bárbara (freira)
Pai Ernesto, Duque da Baviera
Mãe Isabel Visconti

Alberto III da Baviera, cognominado o Pio (em alemão: Albrecht III. von Bayern, der Fromme), (Munique, 27 de Março de 1401 – Munique, 29 de fevereiro de 1460), foi Duque da Baviera-Munique desde 1438, até à sua morte. Era filho de Ernesto, Duque da Baviera-Munique, e de Isabel Visconti, filha de Barnabé Visconti.

Índice

BiografiaEditar

Em 1249, Alberto ficou noivo de Isabel, filha de Eberhard III, Conde de Württemberg, mas ela fugiu e casou com o Conde de Werdenberg, um pagem na corte de seu pai.

Em 1432, enquanto administrava, em nome de seu pai (o duque Ernesto), o antigo ducado da Baviera-Straubing, Alberto casou secretamente com Agnes Bernauer, uma criada de Augsburgo. O pai era contra este casamento e, em 1435, Ernesto ordenou o assassinato de Agnes Bernauer. Ela foi acusada de bruxaria, atirada ao rio Danubio e afogada enquanto Alberto estava ausente numa caçada. Após a sua morte, Alberto refugiu-se na corte do seu primo Luís VII da Baviera, duque da Baviera-Ingolstadt, acabando por se reconciliar com o pai alguns meses mais tardes, em Novembro desse ano.

Após a reconciliação com o pai, Alberto casou com Ana de Brunswick-Grubenhagen-Einbeck de quem teve dez filhos.

Em 1438 sucedeu ao seu pai como duque da Baviera-Munique. Em 1440 recusou a oferta da coroa da Boémia. Em 1444 e 1445 iniciou duas campanhas contra os "Cavaleiros Saqueadores" (Raubritter)[1].

Após a extinção dos duques da Baviera-Ingolstadt (seus primos) ele também desistiu desses territórios, em 1447, a favor dum outro primo, Henrique XVI, duque da Baviera-Landshut.

Morreu em Munique, em 1460, estando sepultado no mosteiro Beneditino de Andechs, que fundara cinco anos antes.

Casamento e descendênciaEditar

Em 22 de janeiro de 1437 em Munique, casou com Ana de Brunsvique-Grubenhagen-Einbeck, filha do duque Érico I de Brunsvique-Grubenhagen e de Isabel de Brunsvique-Göttingen, de quem teve dez filhos:

  1. João IV (Johann) (1437-1463), duque da Baviera-Munique, sem aliança e sem sucessão;
  2. Ernesto (Ernest) (1438-1460);
  3. Sigismundo (Siegmund) (1439-1501), Duque de Baviera-Munique e, depois, duque da Baviera-Dachau, sem sucessão legítima;
  4. Alberto (Albert) (1440-1445);
  5. Margarida (Margarete) (1442-1479), casou com Frederico I Gonzaga, Marquês de Mântua, com sucessão;
  6. Isabel (Elisabeth) (1443-1486), casou com Ernesto, Eleitor da Saxónia, com sucessão;
  7. Alberto IV (Albrecht) (1447-1508), duque da Baviera-Munique, com sucessão;
  8. Cristovão (Christoph) (1449-1493), sem aliança e sem sucessão;
  9. Wolfgang (1451-1514), eclesiástico;
  10. Bárbara (Barbara) (1454-1472), freira.

Alberto III também teve, pelo menos, três filhos ilegítimos.

AscendênciaEditar

ReferênciasEditar

  1. os "Cavaleiros Saqueadores" ou "Barões-ladrões" (em alemão: Raubritter), eram proprietários feudais que, procurando aliviar as suas dificuldades financeiras, recorriam ao banditismo protegidos pelo seu estatuto legal de senhor feudal. ver: Robber baron

Ligações externasEditar

BibliografiaEditar


Precedido por
Ernesto I
 
Duque da Baviera-Munique

1438–1460
Sucedido por
João IV