Abrir menu principal

Alcanede

freguesia de Santarém, Portugal
Portugal Portugal Alcanede 
  Freguesia  
Brasão de armas de Alcanede
Brasão de armas
Alcanede está localizado em: Portugal Continental
Alcanede
Localização de Alcanede em Portugal
Coordenadas 39° 24' 50" N 8° 49' 24" O
País Portugal Portugal
Concelho STR.png Santarém
Fundação Século XII
Administração
- Tipo Junta de freguesia
- Presidente Manuel Joaquim Vieira (PPD/PSD)
Área
- Total 106,18 km²
População (2011)
 - Total 4 547
    • Densidade 42,8 hab./km²
Gentílico Alcanedense
Código postal 2025
Orago Nossa Senhora da Purificação
Website https://www.jf-alcanede.pt/

Alcanede, é uma freguesia portuguesa com 106,18 km² de área e 4 547 habitantes (2011), pertencente ao concelho de Santarém. com uma densidade populacional de 42,8 hab/km². A localidade sede de freguesia, Alcanede, detém a categoria de vila.

Foi sede de concelho, entre 1163 e 1855, constituído pelas freguesias de Louriceira, Malhou, Alcobertas, Fráguas, Abrã, Alcanede e Arneiro das Milhariças. Tinha, em 1801, 6 408 habitantes. Após as reformas administrativas do início do liberalismo, foram-lhe desanexadas as freguesias de Louriceira, Malhou e Arneiro das Milhariças e incorporada a freguesia de Tremês. Tinha, em 1849, 4 565 habitantes. Em 1985 foi-lhe desanexada a freguesia de Gançaria.

Índice

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Alcanede [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
2 568 2 925 3 341 3 547 4 122 4 456 5 046 5 798 6 116 6 343 5 444 5 630 5 075 5 048 4 547

Com lugares desta freguesia foi criada em 1985 a freguesia de Gançaria

Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 700 707 2 573 1 068 13,9% 14,0% 51,0% 21,2%
2011 612 439 2 362 1 134 13,5% 9,7% 51,9% 24,9%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

Aldeias da freguesia de Alcanede:

Aldeia de Além, Aldeia da Ribeira, Alqueidão do Mato, Alqueidão do Rei, Bairro dos Murtais, Barreirinhas, Casais da Charneca, Casal de Além, Covão dos Porcos, Espinheira, Mata do Rei, Mosteiros, Murteira, Prado, Pé da Pedreira, Vale da Trave, Várzea, Vale do Soupo, Valverde, Viegas e Xartinho.

HistóriaEditar

Na época romana a região de Alcanede constituía o limite ocidental do território da colónia escalabitana, ponto de passagem de um percurso romano secundário.

D. Afonso Henriques doou a vila de Alcanede a Gonçalo Mendes de Sousa e os respectivos direitos eclesiásticos ao Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, no ano de 1163.

Em 1179 a guarnição do castelo ajuda D. Fuas Roupinho a desbaratar a incursão almóada ao Castelo de Porto de Mós e em 1187 D. Sancho I faz doação do castelo de Alcanede à Milícia de Évora, futura Ordem de Avis.

D. Fernando ordena a realização de obras no Castelo de Alcanede, as quais decorriam em 1370. Não obstante a nomeação, em 1372, de Vasco Fernandes de Camões (presumível ascendente de Luís de Camões) como Alcaide-mor do Castelo de Alcanede, a vila levanta-se em favor do Mestre de Avis, tal como referido pelo cronista Fernão Lopes.

D. Manuel confere-lhe foral em 1514. Em 1580 o município faz a entrega da vila a Filipe II de Espanha. Por essa época, D. António, Prior do Crato, terá sido acolhido em Alcanede, na sua fuga para fora do país. Em Julho de 1679 o Padre António Vieira estadia em Alcanede, como é revelado pela sua correspondência com o diplomata Duarte Ribeiro de Macedo.

Em 16 de Julho de 1719, o povo de Alcanede amotina-se contra os impostos exigidos pela Ordem de Avis, marchado sobre Lisboa, onde obtém o favor de D. João V. Não sofreu danos de monta no terramoto de 1755.

No decurso da 3ª invasão francesa, entre Novembro de 1810 e Março de 1811, a vila é ocupada e pilhada pelas tropas de do 8º corpo do exército de Massena.

Após a revolução de 1820 a Câmara de Alcanede adere ao novo regime liberal e jura as bases da Constituição. Durante a Patuleia (1846) Alcanede e a sua região foram palco de confrontos entre as forças cartistas e setembristas.

GeografiaEditar

LocalizaçãoEditar

A freguesia de Alcanede é delimitada pelas freguesias de Abitureiras, Azoia de Cima e Tremês, Abrã e Gançaria. Confina, ainda, com freguesias dos concelhos vizinhos de Alcanena (freguesia de Malhou, Louriceira e Espinheiro), Porto de Mós (freguesias de Arrimal e Mendiga e São Bento) e Rio Maior (freguesias de Fráguas e Outeiro da Cortiçada e Arruda dos Pisões).

PatrimónioEditar

  • Castelo de Alcanede
  • Igreja Matriz de Alcanede
  • Capela da Misericórdia
  • Pelourinho de Alcanede
  • Ponte Romana/Medieval
  • Jazidas de Vale de Meios e Algar de Potes com pegadas de dinossáurios terópodes.
  • Cruzeiro de Alcanede
  • Ruínas da forca

ServiçosEditar

  • Meio - Formação e Alojamento
  • Centro Social Serra do Alecrim IPSS (Creche, Lar de Idosos, Centro de Dia, Apoio Domiciliário, Banco Alimentar e Banco de Ajudas Técnicas) - 243409210
  • Banco BPI
  • Caixa agrícola
  • Mundial Seguros
  • CTT correios
  • Centro Escolar
  • Agência Funerária Xavier
  • E.B. 2,3 de Alcanede
  • Junta de Freguesia
  • Centro de Saúde de Alcanede
  • Bombeiros
  • Farmácia Apolinário
  • Centro de Dia, apoio domiciliário, lar de idosos (geridos pela Santa Casa da Misericórdia de Alcanede)
  • Campo Desportivos
  • Super mercados
  • Cafés (O Abatanado, Café Central,)
  • Restaurantes (O Alcaide, Sabores da Serra, O Tempero do Frango…)
  • Portal de Alcanede[1]

EconomiaEditar

A freguesia de Alcanede destaca-se pela importante concentração de atividade extrativa de pedra. No sentido de regular essas atividades e, em paralelo, minimizar os impactos ambientais dessas indústrias, foi criada a Zona de Desenvolvimento Económico de Alcanede (Pé da Pedreira).[2]

Referências

BibliografiaEditar

  • Notícia Histórica e Topográfica da Vila de Alcanede, Simão Froes de Lemos, manuscrito (1726)
  • Monografia de Alcanede, Armando da Silva Duarte, ed. da Junta de Freguesia de Alcanede (1936)
  • A Vila de Alcanede, Joaquim do Vale Cruz, ed. Câmara Municipal de Santarém (1995)
  • Nova Monografia de Alcanede, João Duarte de Melo Ataíde e Luís Duarte de Melo, ed. de autor (2005); Versão actualizada n/ed. (2009)