Abrir menu principal

Altair Gomes de Figueiredo

futebolista brasileiro

Altair Gomes de Figueiredo (Niterói, 22 de janeiro de 1938São Gonçalo, 9 de agosto de 2019)[2] foi um futebolista brasileiro que atuou como lateral-esquerdo e zagueiro, além de treinador.[3]

Altair
Informações pessoais
Nome completo Altair Gomes de Figueiredo
Data de nasc. 22 de janeiro de 1938
Local de nasc. Niterói (RJ), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 9 de agosto de 2019 (81 anos)
Local da morte São Gonçalo (RJ), Brasil
Altura 1,73 m
canhoto
Informações profissionais
Posição zagueiro e lateral-esquerdo
Função treinador
Clubes de juventude
Manufatora
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1955–1971 Fluminense 00551 0000(2)
Seleção nacional
1959–1966 Brasil 00019 0000(0)[1]
Times/Equipas que treinou
1992
1996
1997
1998
Fluminense (interino)
Fluminense (interino)
Fluminense (interino)
Fluminense (interino)

Índice

FluminenseEditar

Revelado nas categorias de base do Manufatora de Niterói, chegou ao Fluminense Football Club para atuar como quarto-zagueiro, mas como só havia vaga na lateral-esquerda, aceitou trocar de posição.

Lateral de boa técnica e jogador leal, Altair era um ótimo marcador que dificilmente perdia uma dividida, apesar de seu corpo magro em relação a sua altura, pois tinha 1,73 m e pesava 59 kg, tendo sido considerado por muitos o melhor marcador de Garrincha.[4][5][6]

Atuou pelo clube em 551 partidas e feito dois gols, tendo sido campeão do Torneio Rio-São Paulo de 1957 e de 1960, campeão carioca em 1959, 1964 e 1969 e da Taça Guanabara em 1966 e 1969, quando estas eram competições independentes do Campeonato Carioca, não tendo jogado na de 1969, mas fazendo ainda parte do elenco tricolor nessa época.[3]

Seleção BrasileiraEditar

Pela Seleção Brasileira foi campeão da Copa do Mundo de 1962 - sendo reserva de Nílton Santos e da Taça Bernardo O'Higgins em 1959, 1961 e 1962, tendo disputado também a Copa do Mundo de 1966 como titular. Jogou vinte e duas partidas pela Seleção Brasileira, com 16 vitórias, 2 empates e quatro derrotas.[7][8]

TreinadorEditar

Ao terminar a sua carreira jogando unicamente pelo seu clube do coração, Altair retornou à Niterói, sua terra natal, onde foi empresário lotérico e prestou serviços à prefeitura desta cidade em projetos educacionais ligados ao futebol. Nos anos 1990, voltou ao Tricolor onde participou de várias comissões técnicas do elenco profissional, chegando a dirigir o time de maneira interina algumas vezes como também a equipe B na Copa Rio e na conquista do título estadual de 1995 do famoso gol de barriga, quando Altair era o auxiliar-técnico.

Doença e morteEditar

Com esposa e filha já falecidas, Altair foi diagnosticado com Doença de Alzheimer, que afeta principalmente a memória.[9] Durante uma homenagem em Brasília em 2013, perdeu-se da comitiva, sendo encontrado após mais de dez horas.[10]

Faleceu em 9 de agosto de 2019 no Hospital de Clínicas de São Gonçalo, na cidade com o mesmo nome, com o enterro sendo realizado nesse mesmo dia, no Cemitério de Maruí, em Niterói. O Fluminense decretou por isso luto oficial de três dias, tendo solicitado a CBF que se respeite um minuto de silêncio em todas as partidas da rodada seguinte do Campeonato Brasileiro de 2019, com a CBF tendo concordado com a petição.[11][12]

TítulosEditar

Referências

  1. «Todos os brasileiros 1962». Folha de S.Paulo. 9 de dezembro de 2015. Consultado em 8 de novembro de 2018 
  2. «Fluminense lamenta falecimento do ídolo Altair». Site oficial do Fluminense Football Club. 9 de agosto de 2019. Consultado em 9 de agosto de 2019 
  3. a b DE FREITAS LIMA, Ricardo. «Jogadores - Letra A - Altair-1970». Fluzão.info. Consultado em 25 de novembro de 2016 
  4. Site ONCE-ONZE, página disponível em 25 de novembro de 2016, em língua russa.
  5. «Fluminense lamenta falecimento do ídolo Altair». Site oficial do Fluminense Football Club. 9 de agosto de 2019. Consultado em 9 de agosto de 2019 
  6. José Caros Luck (19 de janeiro de 2019). «ALTAIR: uma vida dedicada ao Fluminense». Site Memória do Esporte. Consultado em 9 de agosto de 2019 
  7. Livro Seleção Brasileira 1914-2006, página 229.
  8. «Site Museu dos Esportes.». Consultado em 5 de março de 2007. Arquivado do original em 29 de setembro de 2007 
  9. «Altair: um ídolo esquecido e abandonado». ESPN Brasil. 22 de janeiro de 2018. Consultado em 8 de novembro de 2018 
  10. «Sede, lágrimas, Flu e Copa de 62 na cabeça: o resgate de Altair em Brasília». GE. 16 de junho de 2013 
  11. «Fluminense lamenta falecimento do ídolo Altair». Site oficial do Fluminense Football Club. 9 de agosto de 2019. Consultado em 9 de agosto de 2019 
  12. «Campeão mundial com a Seleção e ídolo do Flu, Altair morre aos 81 anos». Site Lancenet. 9 de agosto de 2019. Consultado em 9 de agosto de 2019 

Ligações externasEditar