Abrir menu principal

António Gedeão

Russo
António Gedeão
Rómulo Vasco da Gama de Carvalho
Conhecido(a) por António Gedeão
Nascimento 24 de novembro de 1906
Lisboa
Morte 19 de fevereiro de 1999 (92 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Português
Cônjuge Natália Nunes
Prêmios Medalha de Mérito Cultural (1996)
Campo(s) Química, poesia

Rómulo Vasco da Gama de Carvalho (Lisboa, 24 de novembro de 1906 — Lisboa, 19 de fevereiro de 1997) foi um professor e poeta português.[1][2]

BiografiaEditar

Foi professor de Físico-Química do ensino secundário no Liceu Pedro Nunes, Liceu D. João III (Coimbra) e no Liceu Camões, pedagogo, investigador da história da ciência em Portugal, divulgador da ciência e poeta, sob o pseudónimo de António Gedeão.

Pedra Filosofal e Lágrima de Preta são dois dos seus mais célebres poemas.

Encontra-se colaboração da sua autoria na rubrica Panorama Científico do semanário Mundo Literário[3] (1946-1948).

Foi académico efetivo da Academia das Ciências de Lisboa e diretor do Museu Maynense da Academia das Ciências de Lisboa.

A data do seu nascimento foi adoptada, em Portugal, em 1996, como Dia Nacional da Cultura Científica.[4]

Teve dois filhos, Frederico de Carvalho, também formado em ciências, e Cristina Carvalho, escritora (esta última do seu segundo matrimónio, com a escritora Natália Nunes).

Jaz no Jazigo dos Escritores Portugueses, no Talhão dos Artistas do Cemitério dos Prazeres, em Lisboa, junto de outros vultos notáveis das letras portuguesas, como José Cardoso Pires ou Fernando Namora[1][2].

HomenagensEditar

Principais publicaçõesEditar

História da ciência e da educaçãoEditar

  • "No primeiro centenário de Lorentz". Gazeta de Física. 2, 10 (1952) 275-278.
  • Ferreira da Silva, Homem de Ciência e de Pensamento 1853-1923. Porto, 1953.
  • "A pretensa descoberta da lei das acções magnéticas por Dalla Bella em 1781 na Universidade de Coimbra". Coimbra, 1954. Sep. Revista Filosófica, vol. 4, fasc. 11.
  • Portugal nas ‘Philosophical Transactions’ nos séculos XVII e XVIII. Coimbra, 1956. Sep. Revista Filosófica, 15-16.
  • "Albert Einstein (1879-1955)". Gazeta de Física. 3, 4 (1956) 89-96.
  • "Joaquim José dos Reis, construtor das máquinas de física do Museu Pombalino da Universidade de Coimbra". Vértice. 177 (1958).
  • História da Fundação do Colégio Real dos Nobres de Lisboa [1765-1772]. Coimbra, 1959.
  • "Posição histórica de invenção do nónio de Pedro Nunes". Palestra. 4 (1960).
  • "Homenagem a Pascal, 3.º centenário". Palestra. 16 (1962) 21-37.
  • "Apontamentos sobre Martinho de Mendonça de Pina e de Proença [1693-1742]". Ocidente. 56 (1963) 5-36.
  • "Leonis de Pina e Mendonça, Matemático Português do Século XVIII". Ocidente. 66 (1964) 170-175.
  • "Breve desenho de educação de um menino Nobre". Palestra. 24 (1965) 40-44.
  • Relações científicas do astrónomo francês Joseph-Nicolas de L’Isle com Portugal. Coimbra, 1967.
  • História do Gabinete de Física da Universidade de Coimbra [1772-1790] desde a sua fundação em 1772 até ao Jubileu do Prof. Giovani António Dalla Bella. Coimbra, 1978.
  • Relações entre Portugal e a Rússia no Século XVIII. Lisboa, 1979.
  • A Actividade Pedagógica da Academia das Ciências de Lisboa nos Séculos XVIII e XIX. Lisboa, 1981.
  • A Física Experimental em Portugal no Século XVIII. Lisboa, 1982.
  • A Astronomia em Portugal no Século XVIII. Lisboa, 1985.
  • "A Fisica na Reforma Pombalina". in História e Desenvolvimento da Ciência em Portugal. Lisboa, 1986. pp. 143–168.
  • História do Ensino em Portugal, desde a fundação da nacionalidade até ao fim do regime de Salazar-Caetano. Lisboa, 1986.
  • A História Natural em Portugal no Século XVIII. Lisboa, 1987.
  • D. João Carlos de Bragança, 2º duque de Lafões, fundador da Academia das Ciências de Lisboa. Lisboa, 1987.
  • História dos balões. Lisboa: Relógio d'água, 1991.
  • O material didáctico dos séculos XVIII e XIX do Museu Maynense da Academia das Ciências de Lisboa. Lisboa, 1993.
  • O material etnográfico do Museu Maynense da Academia das Ciências de Lisboa. Lisboa, 2000.

PoesiaEditar

  • 1956 - Movimento Perpétuo
  • 1958 - Teatro do Mundo
  • 1959 - Declaração de Amor
  • 1961 - Máquina de Fogo
  • 1964 - Poesias Completas
  • 1967 - Linhas de Força
  • 1980 - Soneto
  • 1982 - Poema para Galileu
  • 1983 - Poemas Póstumos
  • 1985 - Poemas dos textos
  • 1990 - Novos Poemas Póstumos

FicçãoEditar

  • 1942 - Bárbara Ruiva (1ª edição: Abril 2009)
  • 1973 - A poltrona e outras novelas

TeatroEditar

  • 1978 - RTX 78/24
  • 1981 - História Breve da Lua

EnsaioEditar

  • 1965 - O Sentimento Científico em Bocage
  • 1985 - Ay Flores, Ay flores do verde pinho

Referências

  1. a b c Cf. «Rómulo de Carvalho». cvc.instituto-camoes.pt  na página do Instituto Camões.
  2. a b c TRINDADE, António (coord); PEREIRA, Teresa Sancha (textos). António Gedeão : 1906-1997 : Poeta. Lisboa : Câmara Municipal de Lisboa, Comissão Municipal de Toponímia, 2004.
  3. Helena Roldão (27 de janeiro de 2014). «Ficha histórica: Mundo literário : semanário de crítica e informação literária, científica e artística (1946-1948).» (PDF). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 3 de Novembro de 2014 
  4. Cf. «Ciência Viva». www.cienciaviva.pt .
  5. a b c «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Rómulo Vasco da Gama de Carvalho". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 21 de março de 2018 
  6. Cf. em «Comissão Municipal de Toponímia». www.cm-lisboa.pt  de Lisboa, pesquisa por António Gedeão, freguesia de Marvila.
  7. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.fenprof.pt 
  8. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.citi.pt 
  9. «Título ainda não informado (favor adicionar)». purl.pt 
  10. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.citi.pt 
  11. «Título ainda não informado (favor adicionar)». purl.pt 

Ligações externasEditar