Abrir menu principal

António da Trindade de Vasconcelos Pereira de Melo

Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2010). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

António da Trindade de Vasconcelos Pereira de Melo (Amarante, Santa Cristina de Figueiró, 28 de agosto de 18126 de dezembro de 1895) foi um bispo católico português.

BiografiaEditar

Filho de António de Vasconcelos Pereira de Carvalho Carneiro e Melo e de sua mulher Teresa de Jesus da Cunha Sousa e Silva, Senhores da Casa de São Bento, em Santa Cristina de Figueiró, Amarante.[1]

Ingressou a 20 de Março de 1830 na Congregação dos Cónegos Regrantes da Santa Cruz de Coimbra, professando no ano seguinte. Com a extinção das Ordens Religiosas (1834), voltou à casa paterna dedicando-se ao estudo, até que se matriculou em 1841 na Faculdade de Teologia da Universidade de Coimbra. Foi ordenado sacerdote em 1843 e concluída a sua formatura em 1846 regressou de nova à casa da sua família.

Em 1849 aceitou ser secretário particular do Cardeal-Patriarca D. Guilherme Henriques de Carvalho, ao mesmo tempo que ficou encarregue de reger a cadeira de teologia dogmática e teologia moral no Paço de S. Vicente, em Lisboa.

Em 1854 acompanhou a Roma D. Guilherme, por ocasião da proclamação do Dogma da Imaculada Conceição, e regressando em Maio de 1855 com a dignidade de camarista secreto supra-numerário de Sua Santidade.

Terá sido apresentado em 1859 para Arcebispo de Goa Primaz, porém não foi confirmado por decreto papal.

Bispo de BejaEditar

A 22 de Outubro de 1860 foi transferido para a Diocese de Beja e confirmado por Bula Papal de Pio IX datada de 16 de Março de 1861. Tomou posse por procuração a 8 de Março e foi sagrado a 26 de Maio do mesmo ano. Chegou a Beja a 3 de Setembro e fez a sua entrada solene na Sé de Beja a 8 do mesmo mês de 1861. Ainda nesse mesmo ano organizou um Curso de Ciências Eclesiásticas para a formação dos candidatos à vida clerical.

SucessãoEditar

Em 1864 foi apresentado para bispo de Beja D. João de Aguiar. No entanto não foi confirmado por consequência do abandono em que deixara por seis anos a Diocese de Bragança.

Foi escolhido para governar a Diocese de Beja como Vigário Pro-capitular o Dr. José Dias Correia de Carvalho, que governou até 1871, quando foi nomeado bispo da Diocese de Santiago de Cabo Verde.

Sucedeu-lhe por nomeação do Arcebispo de Évora, D. José António Pereira Bilhano, o Dr. António José Boavida como Vigário Pró-Capitular e Governador do Bispado.

Bispo de LamegoEditar

Por Decreto de 23 de Outubro de 1862, D. António foi apresentado para Bispo de Lamego, o que foi confirmado no Consistório de 1 de Outubro de 1863.

Referências

  1. "Anuário da Nobreza de Portugal – 1985", Direção de Manuel de Mello Corrêa, Instituto Português de Heráldica, 1.ª Edição, Lisboa, 1985, Tomo II, p. 257
  Este artigo sobre Episcopado (bispos, arcebispos, cardeais) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Precedido por
D. José António da Mata e Silva
 
Bispo de Beja

18601862
Sucedido por
D. Antonio Xavier de Sousa Monteiro
Precedido por
D. José de Moura Coutinho
 
Bispo de Lamego

18621895
Sucedido por
D. António Tomás da Silva Leitão e Castro