Abrir menu principal

Atlantida (revista)

revista lusobrasileira (1915-1920)
Atlantida : mensário artístico literário e social para Portugal e Brazil
Periodicidade mensal
Fundação 1915
Director João de Barros / João do Rio
Idioma Português europeu
Término de publicação 1920


Atlantida: mensário artístico, literário e social para Portugal e Brasil foi uma revista publicada em Portugal e no Brasil entre 1915 e 1920, que resultou de um projeto idealizado pelos seus diretores João de Barros e João do Rio, com vista à criação de um órgão de aproximação estreita e reciproca entre os dois países. Esta proximidade entre “povos irmãos” ocupa o tema central da revista a par com a 1ª Guerra Mundial, aqui entendida como "momento adequado para criar laços entre estados, baseados na raça, nas tradições e história comum, e na noção de latinidade", e ainda, as culturas portuguesa e brasileira, nas suas múltiplas formas de expressão.[1]

Como colaboradores neste projeto encontram-se os nomes de:[1]

Colaboraram ainda Camilo Pessanha, Delfim Guimarães, Fausto Guedes Teixeira, Afonso Lopes Vieira, Henrique de Vasconcelos.

A Atlantida teve como diretor correspondente em Paris Graça Aranha que anunciou as colaborações de Camille Mauclair, Edmond Jaloux, Gaston Riou e Francis de Miomande.

No que respeita às artes plásticas a Atlantida reproduz nas suas páginas quadros e desenhos de Alberto de Sousa, Almada Negreiros, António Carneiro, António Soares, Columbano Bordalo Pinheiro, João Vaz, José Malhoa, José Pacheco, Mário Navarro da Costa, Raul Lino, Soares dos Reis e Veloso Salgado. De sublinhar, ainda, as ilustres colaborações de Gabriele D’Annunzio, Guglielmo Ferrero e Salomon Reinach.[1]

Referências

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Textos originais no Wikisource
  Base de dados no Wikidata

Ver tambémEditar