Bombardeiro

Aeronave militar
(Redirecionado de Bombardeio)

Bombardeiro é uma aeronave militar projetada para atacar alvos terrestres, através principalmente do lançamento de bombas.

Bombardeiro
Tupolev Tu-95 Bear
(URSS)
Descrição

HistóriaEditar

O primeiro uso de uma bomba lançada do ar (na verdade, quatro granadas de mão especialmente fabricadas pelo arsenal naval italiano) foi realizada pelo segundo-tenente italiano Giulio Gavotti[1] em 1º de novembro de 1911 durante a Guerra Ítalo-Turca na Líbia - embora seu avião não foi projetado para a tarefa de bombardeio, e seus ataques improvisados a posições otomanas tiveram pouco impacto. Essas esferas de aço cheias de ácido pícrico foram apelidadas de "bailarinas" pelas fitas de tecido esvoaçantes anexadas.[2]

Primeiros bombardeirosEditar

 
Um Handley Page Type O
britânico, 1918.

Em 16 de outubro de 1912, o observador Prodan Tarakchiev lançou duas dessas bombas na estação ferroviária turca de Karağaç (perto da sitiada Edirne) de um avião Albatros F.2 pilotado por Radul Milkov, pela primeira vez nesta campanha.[3][4] Este é considerado o primeiro uso de uma aeronave como bombardeiro.[3][5]

As primeiras aeronaves mais pesadas que o ar propositadamente projetadas para bombardeio foram o italiano Caproni Ca.30 e o britânico Bristol T.B.8, ambos de 1913.[6] O Bristol T.B.8 foi um biplano monomotor britânico construído pela Bristol Aeroplane Company. Eles foram equipados com uma mira prismática no cockpit dianteiro e um porta-bomba cilíndrico na fuselagem dianteira inferior capaz de transportar doze bombas de 10 lb (4,5 kg), que poderiam ser lançadas individualmente ou como uma salva, conforme necessário.[7]

A aeronave foi comprada para uso tanto pelo Royal Naval Air Service quanto pelo Royal Flying Corps (RFC), e três TB8s, que estavam sendo exibidos em Paris em dezembro de 1913, equipados com equipamentos de bombardeio, foram enviados para a França após a eclosão da guerra. Sob o comando de Charles Rumney Samson, um bombardeio contra baterias de armas alemãs em Middelkerke, Bélgica, foi executado em 25 de novembro de 1914.[8][9]

O dirigível, foi desenvolvido no início do século XX. Os primeiros dirigíveis eram propensos a desastres, mas lentamente o dirigível tornou-se mais confiável, com uma estrutura mais rígida e uma pele mais forte. Antes da eclosão da guerra, os Zeppelins, uma forma maior e mais simplificada de aeronave projetada pelo conde alemão Ferdinand von Zeppelin, foram equipados para transportar bombas para atacar alvos a longa distância. Estes foram os primeiros bombardeiros estratégicos de longo alcance. Embora o braço aéreo alemão fosse forte, com um total de 123 aeronaves até o final da guerra, eles eram vulneráveis ​​a ataques e falhas de motor, bem como problemas de navegação. Dirigíveis alemães causaram poucos danos em todos os 51 ataques, com 557 britânicos mortos e 1.358 feridos. A Marinha Alemã perdeu 53 de seus 73 dirigíveis, e o Exército Alemão perdeu 26 de seus 50 navios.[10]

O Caproni Ca 30 foi construído por Gianni Caproni na Itália. Era um biplano de fuselagem dupla com três motores giratórios Gnome de 67 kW (80 hp) e voou pela primeira vez em outubro de 1914. Os voos de teste revelaram que a potência era insuficiente e o layout do motor impraticável, e Caproni logo adotou uma abordagem mais convencional instalando três 81 kW (110 cv) Fiat A.10s. O design melhorado foi comprado pelo exército italiano e foi entregue em quantidade a partir de agosto de 1915.

Embora usado principalmente como treinador, os Avro 504 também foram brevemente usados ​​como bombardeiros no início da Primeira Guerra Mundial pelo Royal Naval Air Service (RNAS) quando foram usados ​​para ataques nos galpões de dirigíveis alemães.[11]

ClassificaçãoEditar

  • Bombardeiros táticos são aviões menores que operam missões de alcance mais curto, tipicamente em conjunto com tropas terrestres. Esta função é realizada por vários tipos de plataformas, incluindo as listadas abaixo. Em termos modernos, qualquer avião de combate e ataque ao solo que não seja um bombardeiro estratégico projetado especificamente para tal fim, pode ser classificado nesta categoria.
 
B-52 dos EUA.
 
B-29
Superfortress (EUA).
 
Aeronaves B-17 bombardeando a Alemanha, em 1944.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Johnston, Alan (10 de maio de 2011). «Libya 1911: How an Italian pilot began the air war era». BBC News. Consultado em 24 de janeiro de 2022 
  2. Stephenson, Charles. A Box of Sand. The Italo-Ottoman War 1911-12. [S.l.: s.n.] p. 107. ISBN 978-0-9576892-2-0 
  3. a b Capt Arthur H. Wagner Uscg (Ret), Arthur H. Wagner, Leon E. Braxton, Ltcol Leon E. (Bill) (2012). Birth of a Legend. [S.l.]: Trafford Publishing. p. 27. Consultado em 28 de julho de 2015 
  4. «The Balkan Wars: Scenes from the Front Lines». TIME. 8 de outubro de 2012. Consultado em 24 de janeiro de 2022. Cópia arquivada em 27 de março de 2016 
  5. I.Borislavov, R.Kirilov: The Bulgarian Aircraft, Vol.I: From Bleriot to Messerschmitt. Litera Prima, Sofia, 1996 (in Bulgarian)
  6. Mark (Julho de 1995). Aerial Interdiction: Air Power and the Land Battle in Three American Wars. [S.l.: s.n.] pp. 9–10. ISBN 978-0-7881-1966-8. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  7. Mason, Francis K (1994). The British Bomber since 1914. London: Putnam Aeronautical Books. ISBN 0-85177-861-5 
  8. Taylor, Michael J. H. (1989). Jane's Encyclopedia of Aviation. London: Studio Editions. 204 páginas 
  9. Thetford, Owen (1994). British Naval Aircraft since 1912 Fourth ed. London: Putnam. ISBN 0-85177-861-5 
  10. Roadman, LTC Julian A. (2013). A Combat Nightmare in WWII. [S.l.]: Triumph Press. pp. 11–12. ISBN 9781484911846 
  11. Mason, Francis K. The British Bomber since 1914. London: Putnam Aeronautical Books, 1994. ISBN 0-85177-861-5. p.21

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Bombardeiro
  Este artigo sobre aviação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.