Casa dos Médici

família nobre
Disambig grey.svg Nota: "Médici" redireciona para este artigo. Para o militar e político brasileiro, veja Emílio Garrastazu Médici.
Família Médici
O Brasão da Casa de Medici
País: Florença, Toscana
Títulos: Papa
Grão-duque da Toscana
Duque de Florença
Duque de Urbino
Duque de Némours
Duque de Rovere e Montefeltro
Governador de Siena
Rainha da França
Fundador: Cosme de Médici
Ano de fundação: século XIV
Etnia: Caucasianos

Médici (em italiano: Medici) foi uma dinastia política italiana. A família teve origem na região de Mugello na Toscana. O poder político dos Médici aumentou, até que passaram a governar Florença - embora oficialmente eles fossem apenas cidadãos comuns, em vez de monarcas. Da Casa de Médici provieram quatro papas[1] e, a partir de 1531, os Médici tornaram-se os líderes hereditários do Ducado de Florença, e em 1569, o ducado foi elevada à categoria de grão-ducado após grande expansão territorial, surgindo então o Grão-Ducado da Toscana, governado pela família desde o seu início até 1737, com a morte de João Gastão de Médici.

A sua riqueza e influência inicialmente derivava do comércio de produtos têxteis que passava pela guilda da Arte della Lana. Inicialmente eles eram uma das famílias que dominavam o governo da cidade de Florença, sendo que foram capazes de trazê-la totalmente sob seu poder familiar, possibilitando um ambiente onde a arte e o humanismo pudesse florescer. Eles fomentaram e inspiraram o nascimento da Renascença italiana, juntamente com outras famílias da Itália, como os Aciole de Toscana e Florença,[2] Visconti e Sforza de Milão, os Este de Ferrara, e os Gonzaga de Mântua.

O Hospital tozzi Firenze foi um dos mais prósperos e mais respeitados da Europa na sua época.[carece de fontes?] Há estimativas de que a Casa de Médici foi uma das mais ricas famílias da Europa por um período de tempo. A partir desta base, eles adquiriram poder político, inicialmente em Florença e mais tarde na Itália e na Europa em geral. Uma contribuição dos Médici foi o desenvolvimento do sistema de contabilidade de dupla entrada para acompanhar os créditos e débitos.[3] Este sistema foi utilizado pelos primeiros contadores que trabalham para a família Médici em Florença. Os Médici atingiram o seu apogeu entre os séculos XV e XVII com um conjunto de figuras importantes na história da Europa e do Mundo. A linhagem directa dos Médici extinguiu-se em 1737.

O ramo primogênito da família — os que descendem de Pedro de Cosme de Médici e do seu filho Lourenço de Médici, o Magnífico — governaram até ao assassinato de Alexandre de Médici, primeiro duque de Florença, em 1537. O poder passou então para o ramo cadete — os que descendem de Lourenço de Cosme de Médici a partir do seu trineto Cosmo I de Médici.

Além da política e governação, os Médici notabilizaram-se em outros campos, principalmente no mecenato.

Árvore de família (sec. XIV - XVIII)Editar



Giovanni di Bicci de' Medici
(1360–1429)
m.Piccarda Bueri
Antonio de' Medici
(?–1398)
Damian de' Medici
(1389–1390)
Cosimo de' Medici
(the Elder)
(1389–1464)
Contessina de' Bardi
(ca.1390–1473)
Lorenzo (o velho)
(1395–1440)
m. Ginevra Cavalcanti
Piero I de' Medici
(1416–1469)
Lucrezia Tornabuoni
(1425–1482)
Carlo de' Medici
(1430–1492)
Giovanni de' Medici
(1421–1463)
m. Ginevra degli Alessandrini
Francesco de' Medici
(?–ca.1440)
Pierfrancesco de' Medici (o velho)
(1431–1476)
m. Laudomia Acciaioli
Giovanni de' Medici
(1444–1478)
Maria de' Medici
(1445–1472)
m. Leonetto de' Rossi
Bianca de' Medici (1445-1488)
(1445–1488)
m. Guglielmo de' Pazzi
Lucrezia de' Medici
(Nannina)
(1448–1493)
m. Bernardo Rucellai
Lourenço de Médici
(o magnífico)
(1449–1492)
m.(1) Clarice Orsini
Giuliano de' Medici
(1453–1478)
Cosimo de' Medici
(1452–1461)
Lorenzo di Pierfrancesco de' Medici
(1463–1503)
m. Semiramide Appiani
Giovanni the Popolano
(1467–1498)
m. Caterina Sforza
Lucrezia de' Medici
(1470–1553)
m. Jacopo Salviati
Madalena de Médici
(1473–1528)
m. Franceschetto Cybo
Luisa de' Medici
(1477–1488)
Giulio di Giuliano de Médici
(1478–1534)
Papa Clemente VII
Giuliano de' Medici
(1479–1516)
Duque de Némours
Pierfrancesco de' Medici
(o jovem)
(1487–1525)
m. Maria Soderini
Laudomia de' Medici
m. Francesco Salviati
Vincenzo de' Medici
Piero II de' Medici (o desafortunado)
(1471–1503)
m. Alfonsina Orsini
Giovanni de Lorenzo de Médici
(1475–1521)
Papa Leão X
Contessina de Médici
(1478–1515)
m. Piero Ridolfi
Ippolito de' Medici
(1511–1535)
Averardo de Médici
(1488–1495)
Ginevra de Médici
m. Giovanni degli Albizzi
Giovanni Salviati
(1490–1553)
Cardinal
Lorenzo Salviati
(1492–1539)
Lourenço II de Médici
(1492–1519)
Duque de Urbino
Madalena de La Tour de Auvérnia
(ca.1495–1519)
Clarisse de Médici
(1493–1528)
m. Filippo Strozzi, o jovem
Helena Salviati
(1495–1552)
m.(1) Pallavicino Pallavicino
m.(2) Iacopo V Appiani
Batista Salviati
(1498–1524)
Luísa Salviati
m. Sigismundo de Luna
Bernardo Salviati
(1508–1568)
Maria Salviati
(1499–1543)
Ludovico de Médici (Giovanni dalle Bande Nere)
(1498–1526)
(Lorenzaccio)
(1514–1548)
Francisca Salviati
m. Ottaviano de Médici
Piero Salviati
Piero Strozzi
(1510–1558)
Laudomia de Médici
(?–1559)
Alamano Salviati
(1510–1571)
Lorenzino de Médici
(Lorenzaccio)
(1514–1548)
Juliano de Médici
(ca.1520–1588)
Arcebispo de Albi
Roberto Strozzi
(ca.1512–1566)
Madalena de Médici
(1523–1583)
Alexandre Otaviano de Médici
(1535–1605)
Papa Leão XI
Alexandre de Médici
(1510–1537)
Duque de Florença
Catarina de Médici
(1519–1589)
Henrique II de França (1519–r.1547–1559)
Cosme I da Toscana
(1519–1574)
Grão-duque da Toscana
Bernadeto de Médici
Júlia de Médici
(ca.1535–ca.1588)
Porzia de Médici
(1538–1565)
Francisco II de França
(1544–r.1559–1560)
Carlos IX de França
(1550–r.1560–1574)
Henrique III de França
(1551–r.1574–1589)
Francisco, Duque de Anjou
(1555–1584)
Francisco I de Médici
(1541–1587)
Grão-Duque da Toscana
Cláudia de Valois
(1547–1575)
m. Carlos III da Lorena
Júlio de Médici
(ca.1533–1600)
Alexandre de Médici
(1560–1606)
Filipe II de Espanha
(1527–r.1556–1598)
Isabel de Valois
(1545–1568)
Margarida de Valois
(1553–1615)
Henrique IV de França
(1553–r.1589–1610)
Maria de Médici
(1575–1642)
Cristina de Lorena
(1565–1637)
Fernando I
(1549–1609)
Grão-Duque da Toscana
Catarina de Médici
(?–1634)
Cosme de Médici
(ca.1550–ca.1630
Juliano de Médici
Filipe III de Espanha
(1578–r.1598–1621)
Cristina da França
(1606–1663)
m. Victor Amadeus I de Saboia
Nicolau Henrique, Duque de Orleães
(1607–1611)
Gastão, Duque de Orleães
(1608–1660)
Henriqueta Maria de França
(1609–1669)
m. Carlos I de Inglaterra
Cosme II
de Médici
(1590-1621)
Grão-Duque da Toscana
Angela/Angelica de Médici
(1608–1636)
m. Pietro Altemps
Filipe IV de Espanha
(1605–r.1621–1665)
Isabel de Bourbon
(1602–1644)
Luís XIII de França
(1601–r.1610–1643)
Ana da Áustria
(1601–1666)
Carlos II da Inglaterra
(1630–r.1660–1685)
Maria Henriqueta Stuart
(1631–1660)
m. Guilherme II de Orange
Jaime II da Inglaterra
(1633–r.1685-88 –1701)
Fernando II
de Médici
(1610-1670)
Grão-Duque da Toscana
Cosme III
de Médici
(1642-1723)
Grão-Duque da Toscana
Fernando
de Médici
(1663-1713)
Grão-Príncipe da Toscana
Ana Maria Luísa
de Médici
(1667-1743)
João Gastão
de Médici
(1671-1737)
Grão-Duque da Toscana


Arte e arquiteturaEditar

Um legado importante dos Médici foi deixado na arte e arquitetura. João de Bicci de Médici, primeiro patrono das artes na família, apoiou Masáccio e mandou reconstruir a Basílica de São Lourenço. Cosme de Médici foi mecenas de Donatello e Fra Filippo Lippi. A família apoiou também Michelangelo, que para os Médici produziu numerosas obras, mas pós um incêndio na galeria Médici, muitas obras valiosas foram carbonizadas. Mecenas, eram grandes colecionadores de arte, e as suas aquisições hoje formam o núcleo da magnífica Galleria degli Uffizi, em Florença.

Na arquitetura, foram responsáveis por notáveis intervenções em Florença, incluindo a referida galeria dos Uffizi, o Palácio Pitti, os Jardins Boboli e o Belvedere.[4]

Membros notáveis da famíliaEditar

 
Brasão papal adotado pelos quatro papas provindos dos Médici.
 
Brasão cardinalício adotado pelos cardeais Médici.
 
Brasão adotado pelos Grão-duques da Toscana da família Médici.
 
Brasão de Catarina de Médici, como rainha de França.
 
Brasão de Maria de Médici, como rainha de França.

Papas:

Grão-duques da Toscana:

Governantes de ducados italianos:

Rainhas de França:

Consortes de Ducados italianos:

Arquiduquesas da Áustria Anterior:


Cardeais da família MédiciEditar

Como outras importantes famílias italianas e européias, os Medici também tiveram numerosos cardeais. O primeiro foi Giovanni de' Medici, o futuro Papa Leão X, e sua nomeação para o trono de cardeal foi provavelmente auxiliada pela aliança com a família romana dos Orsini, sendo a mãe de Giovanni ela mesma uma Orsini , Clarice. Desde então, não faltou ao menos um cardeal por geração na família, sendo os segundos filhos geralmente destinados à carreira religiosa. Leão X então fez pelo menos um sobrinho cardeal para cada um de seus irmãos e irmãs, chegando assim a uma representação conspícua de "clã" no colégio sagrado, o que permitiu, por exemplo, a rápida eleição de um novo papa Médici após sua morte de Leão, Clemente VII.

Os cardeais da família Médici nunca se distinguiram pelo seu trabalho religioso, embora em alguns casos fosse digno e diligente, mas são sobretudo famosos pela magnificência com que gostavam de se rodear, apoiando a actividade de numerosos artistas de quem eram patronos.

A família também não contava nem santos nem abençoados para a Igreja.

Cardeais pertencentes ao ramo principal da família MédiciEditar

Retrato Nome Brasão Nascimento criação cardeal Morte Nota
  Giovanni di Lorenzo de' Medici   11 de dezembro de 1475 9 de março de 1489
por Papa Inocêncio VIII
1 de dezembro de 1521 Em 9 de março 1513 foi eleito o 217º papa da Igreja Católica, com o nome de Leão X
  Giulio di Giuliano de' Medici   26 de maio de 1478 23 de setembro de 1513
por Papa Leão X
25 de setembro de 1534 Em 19 de novembro 1523 foi eleito o 219º papa da Igreja Católica, com o nome de Clemente VII
  Ippolito de' Medici   1511 10 de janeiro de 1529 por Papa Clemente VII 10 de agosto de 1535
  Giovanni di Cosimo I de' Medici   29 de setembro de 1543 31 de janeiro de 1560 por Papa Pio IV 20 de novembro de 1562
  Ferdinando di Cosimo I de' Medici   30 de julho de 1549 6 de janeiro de 1563
por Papa Pio IV
7 de fevereiro de 1609 Sucedeu a seu irmão Francesco I de' Medici no trono do Grão-Ducado da Toscana em 1587, como Ferdinand I
  Carlo di Ferdinando I de' Medici   19 de março de 1595 2 de dezembro de 1615
por Papa Paulo V
17 de junho de 1666
  João Carlos de Médici   24 de julho de 1611 14 de novembro de 1644
por Papa Inocêncio X
22 de janeiro de 1663
  Leopoldo de Médici   6 novembre 1617 12 de dezembro de 1667 por Papa Clemente IX 10 de novembro de 1675
  Francisco Maria de Médici   12 de novembro de 1660 2 de setembro de 1686 por Papa Inocêncio XI 3 de fevereiro de 1711

Cardeais pertencentes a outros ramos cadetes da família MediciEditar

Retrato Nome Brasão Nascimento criação cardeal Morte Nota
  Alessandro di Ottaviano de' Medici   2 de junho de 1535 12 de dezembro de 1583
por Papa Gregório XIII
27 de abril de 1605 Em 1º de abril 1605 foi eleito o 232º papa da Igreja Católica, com o nome de Leão XI
  Francesco de 'Medici di Ottaiano   28 de novembro de 1808 16 de junho de 1856
por Papa Pio IX
11 de outubro de 1857

Cardeais pertencentes à família Medici por parte de mãeEditar

Retrato Nome Nascimento criação cardeal Morte Mãe Nota
  Inocêncio Cybo 25 de agosto 1491 23 de setembro 1513
por Papa Leão X
13 de abril 1550 Madalena de Médici
(14731519)
  Luigi de' Rossi 6 de agosto 1474 1 de julho 1517
por Papa Leão X
20 de agosto 1519 Maria di Piero de' Medici
(14451474)
  João Salviati 24 de março 1490 28 de outubro 1553 Lucrécia de Médici
(14701533)
  Niccolò Ridolfi 1501 31 de janeiro 1550 Condessa Lorenzo de' Medici
(14781515)
  Lorenzo Strozzi 3 de dezembro 1513 20 de dezembro 1555
por Papa Paulo IV
14 de dezembro 1571 Clarice di Piero de' Medici
(14891528)
  Bernardo Salviati 17 de fevereiro 1508 26 de fevereiro 1561
por Papa Pio IV
6 de maio 1568 Lucrécia de Médici
(14701533)
  Fernando I Gonzaga 29 de abril 1587 10 de dezembro de 1607
por Papa Paulo V
29 de outubro 1626 Leonor de Médici
(15671611)
Após a morte de seu irmão Francesco IV em 1612 ele ascendeu ao trono do Ducado de Mântua e de Monferrato como ' Fernando I e renunciou ao cargo de cardeal em 6 de janeiro 1616
  Vincenzo Gonzaga 7 de janeiro 1594 2 de dezembro 1615
por Papa Paulo V
25 de dezembro 1627 Ele foi duque de Mântua e Monferrato como Vincenzo II, de 1626 até sua morte, e o último da linha principal dos Gonzaga de Mântua

Referências

  1. «Medici Family - - Encyclopædia Britannica». Encyclopædia Britannica. Consultado em 27 de setembro de 2009 
  2. Aciole, JMS; Aciole, GTS; Soares, LGP; Rodrigues, LFB; Santos, JN; Pinheiro, ALB. (2012). «Evaluation of bone healing on tibial fractures in rabittis: laser fluorescence analysis». Medicina Oral Patología Oral y Cirugia Bucal: S156–. ISSN 1698-6946. doi:10.4317/medoral.17643656 
  3. "A surviving fragment of the ledger of the Bruges branch shows that the books were carefully kept and that the double-entry system was in use." De Roover (1948), p. 24. In an attached footnote, de Roover identifies the erroneous belief that the Medicis did not use double-entry as stemming from Otto Meltzing's mistake in Das Bankhaus der Medici und seine Vorläufer (Jena, 1906) and repeated in Gutkind's Cosimo.
  4. «Mas, enfim, quem são os Médicis? | Viva Toscana». Viva Toscana. 18 de março de 2015 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Casa dos Médici