Cemitério dos Olivais

cemitério em Lisboa, Portugal
Cemitério dos Olivais
País
Endereço
Entrada em serviço
Estatuto patrimonial
Sem protecção legal (d)Visualizar e editar dados no Wikidata
Find a Grave
Coordenadas

O Cemitério dos Olivais é um cemitério da freguesia dos Olivais, situado na parte leste de Lisboa.

HistóriaEditar

Foi inaugurado em 1897 e está atualmente sob administração da Câmara Municipal de Lisboa.

Inaugurado já sob administração do município lisboeta, o Cemitério dos Olivais que anteriormente pertencia ao extinto concelho dos Olivais, situa-se nos terrenos onde em 1674 se erguia o Convento de São Cornélio, de frades franciscanos, do qual se encontraram diversos vestígios, como as ruínas do pórtico restaurado há poucos anos.

A caminho da capela do cemitério foram construídos os jazigos mais antigos, como o da Viscondessa dos Olivais, benemérita que financiou e criou um asilo para as crianças mais desfavorecidas da zona que ainda hoje existe como creche e jardim de Infância a cargo da Fundação D. Pedro IV.

No decurso da urbanização do novo conjunto habitacional de Olivais Sul, o arquiteto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles preparou em 1959 o projeto de enquadramento do cemitério.

Com o aumento da população lisboeta, em particular nesta freguesia, surgiu a necessidade proceder a diversas ampliações do cemitério e também à construção do segundo crematório da cidade em dezembro de 2002, que em 2009, recebeu o terceiro forno, ficando assim o município com as infraestruturas suficientes para a satisfação atempada da demanda mortuária, em termos de cremação.

Foram aqui cremadas algumas figuras da nossa cultura como o jornalista Carlos Pinto Coelho, a poetisa e atriz Rosa Lobato de Faria, o ator António Feio, o ator Pedro Pinheiro, o músico Zé Pedro, entre muitos outros.[1]

Ilustres sepultados ou cremados no Cemitério dos OlivaisEditar

ReferênciasEditar

  1. «Diretorio de contactos». informacoeseservicos.lisboa.pt. Consultado em 15 de janeiro de 2021