Abrir menu principal
Chá verde
Aparência do chá verde em três diferentes etapas: (da esquerda para direita) a infusão das folhas, as folhas secas, e o líquido. (Note que as folhas infusadas aparentam mais verde do que as folhas secas.)
Tipo Chá
Origem China
Cor Verde
Relacionada(s) Chá preto, Matcha
A plantação de Camellia sinensis da Gorreana (na Ilha de São Miguel, nos Açores) tornou-se reconhecida pela sua elevada qualidade e é, actualmente, exportada para todo o mundo

Chá-verde[1] é um tipo de chá feito a partir da infusão da planta Camellia sinensis. É chamado de verde porque as folhas da erva sofrem pouca oxidação durante o processamento, o que não acontece com as folhas do chá-preto. Algumas outras ervas são vendidas a título de chá-verde, porém o verdadeiro chá-verde é o feito a partir da folha do arbusto Camellia sinensis.

Muito popular na China e no Japão, há pouco tempo começou a ser consumido com maior frequência no ocidente, tradicional consumidor de chá-preto, devido tanto à uma tendência orientalista, quanto às propriedades antioxidantes a ela atribuídas. No ocidente, é a partir de Portugal, mais exactamente na localidade da Gorreana, na ilha de São Miguel, nos Açores, que existe a mais antiga plantação de chá-verde, a qual realiza a exportação de chá-verde para todo o mundo.

A preparação do chá-verde difere um pouco dos chás tradicionais. A água não deve estar fervendo, pois, do contrário, as folhas acabam sendo cozidas e proporcionando um gosto amargo à bebida. O tempo de infusão também não deve ser maior que 3 minutos.

Índice

História do chá-verdeEditar

Até a invenção oriental do chá-preto na China, durante o século XVII, o chá não era dividido por cores, e era processado de maneira simples, a partir de folhas secas picadas, ou transformado em um bolo, comparável ao Pu-erh.

Chá verde no mundoEditar

 
Folhas secas e moídas de chá-verde

Originalmente da China, o chá foi levado ao Japão através de monges que viajavam entre os dois países. Curiosamente, o chá-verde foi o único chá que se popularizou no Japão, tornando-se a bebida mais consumida do país, superando refrigerantes e bebidas alcoólicas.

O chá-verde também é produzido em outros países da Ásia, inclusive em produtores tradicionais de chá preto,[2] como Índia e Ceilão, mas com técnicas diferentes das japonesas.

Fora da Ásia, devido à imigração japonesa, o chá-verde também é produzido no sudeste do Brasil, particularmente no estado de São Paulo. Embora existam marcas de qualidade reconhecida, é comum encontrar, sob o nome de "chá-verde", compostos de plantas, incluindo o mate. Isso é devido à grande generalidade do termo "chá" no Brasil, podendo se referir a qualquer infusão.

O chá-verde é cultivado também no arquipélago dos Açores, mais propriamente na localidade da Gorreana, na ilha de São Miguel, sendo cultivado e comercializado o de tipo Hysson.

Chá-verde no Japão(日本)Editar

 
Uma chávena de chá-verde

Do chá verde produzido no Japão(日本), o chá verde é responsável por cerca de 80% e é frequentemente chamado de consentimento para o chá japonês. Existem dois tipos de Sencha: o que tem um cheiro fresco, e chá profundo, que perde o cheiro de verde.

O chá japonês tende a ser avaliado mais delicioso que o aroma do que o chá chinês e, em particular, quando se trata de chá verde de alta qualidade como Gyokuro, a temperatura da água quente é reduzida pelo arrefecimento da água.

Matcha (挽) (→ cerimônia do chá) -Uma mistura de 碾 e pó fino usando um moinho de pedra.

Chá em pó - Existem versões liofilizadas de líquido extraído em pó e as de chá em pó. Além de beber em saquinhos de chá ou água quente, ele é usado como matéria-prima para processamento de alimentos. Muitos chás em pó são mais duros que o matcha.

Sencha (no sentido amplo) (→ caminho de Sencha)

A cidade de Gyokuro-Yame, província de Fukuoka, tem o maior volume de produção.

Cobertura de chá

Sencha (sentido restrito) - mais comum no Japão.

Bancha

Xícara de chá

Chá da haste (chá da barra, dobra branca)

Chá bud

Chá em pó

Hojicha-às vezes não incluído no chá verde.

Chá de arroz integral

Chá de feijão

Chá cozido

Chá verde Jade

Fervido, bule chá, de, panela chá

Plantação cobertaEditar

Os tipos mais nobres de chá-verde vêm das folhas de árvores parcialmente cobertas do sol, que tem o nome genérico de Tencha. De acordo com a qualidade, e as características de cada chá, os vasos condutores podem ser removidos, para conferir um paladar mais agradável.

  • Gyokuro: É enrolado e processado como o Sencha, mas tem um sabor mais doce e delicado. É considerado o chá mais nobre, dentre os com folha enrolada.
  • Matcha: É feito a partir do tenchá triturado até a consistência do talco, e é usado no Chanoyu, a cerimônia do chá Japonesa.
  • Kukicha: É feito com folhas, galhos, e partes menos nobres que sobram da colheita do Gyokuro. Conhecido pelo seu sabor leve e refrescante, e sua cor levemente amarelada, um bom Kukicha tem um sabor próprio, comparado ao Oolong chinês, e muito pouca cafeína.

Plantação descobertaEditar

Do restante da plantação, são feitos outros chás, considerados menos nobres, porém mais populares, e de preparo mais fácil.

  • Sencha: O tipo mais comum de chá no Japão, representando mais de três quartos de toda a produção. O Sencha da primeira colheita, quando usado comemorativamente, é também chamado de Shincha (Novo chá).
  • Bancha: É uma classe de Sencha colhido entre o verão e o outono. Embora não tenha o sabor delicado, como o Sencha, é respeitado pelas suas características bem definidas, como seu sabor forte e refrescante. Ele é mais barato, e contém menos cafeína que as outras variedades.
  • Genmaicha: É uma mistura de algum chá, geralmente Sencha, e Genmai (arroz torrado). A proporção de arroz e chá é muito importante, pois, se o aroma do arroz tira um pouco da amargura de um chá de qualidade inferior, o excesso tira todas as suas características.
  • Hojicha: É um chá frito, ou até torrado, muito comum em casas de chá pelo Japão. Tanto o bancha quanto o kukicha podem ser usados para fazê-lo. Ele tem muito pouca adstringência, uma cor claramente vermelha, e pouca cafeína. Mas também pode haver danos à saúde se usado por pessoas portadoras de diabetes.

A colheita do chá-verde no JapãoEditar

 
Cesto com chá-verde

Na primaveraEditar

A mais apreciada leva de chá-verde, Ichiban Cha, é colhida entre a primavera e o verão, mais ou menos em Maio, no hemisfério norte, e em Setembro, no hemisfério sul. O período exato depende de cada fazenda, devido às sutis diferenças no clima e geografia.

Antes da primavera, no começo de Março, no hemisfério norte, e de Junho, no hemisfério sul, as folhas da árvore de chá são arrancadas, e, delas, é feito o Banchá de Primavera.

Entre vinte e trinta dias antes da colheita, as árvores destinadas à produção de Gyokuro e Matcha são cobertas por cortinas especiais, chamadas Kanreisha, para isolá-las de contato solar direto. Dessa forma, ambos os tipos de Chá crescem com um aroma mais encorpado, uma cor mais esverdeada, e um sabor mais doce e menos amargo, graças à quantidade menor de taninos.

Depois, vem a colheita, na qual é preciso saber tempo certo para colher as folhas: colher antes do tempo certo acarretará em folhas pouco maduras, e colher depois, mesmo que alguns dias, irá tornar o chá muito mais amargo, estragando sua alta qualidade.

Para um chá perfeito, como ocorre com os melhores Gyokuros e Matchas, as folhas deverão ser recolhidas manualmente, já que, com uma máquina, será impossível separar as folhas boas das ruins.

No VerãoEditar

Durante o verão, são produzidos chás de qualidade inferior aos da primavera. No total, são feitas duas colheitas, resultando no Niban

Durante esse período, a árvore fica particularmente vulnerável à competição de outras espécies, incluindo a erva-daninha. As plantações orgânicas sofrem ainda mais, pois, sendo impossível arrancar automaticamente as invasoras de cada árvore, os criadores acabam tendo de retirá-las manualmente, uma a uma.

No OutonoEditar

Durante o outono, as árvores são podadas e fertilizadas, para que o solo se enriqueça lentamente durante seis meses, até chegar a primavera novamente.

Das folhas retiradas nesse período, é feito o Banchá de Outono, o último chá do ano.

No InvernoEditar

Durante o rigoroso inverno não há produção de chá.

Benefícios à saúdeEditar

Chá verde comercializado comum
Valor nutricional por 100 g (3,53 oz)
Energia 4 kJ (0 kcal)
Carboidratos
Carboidratos totais 0 g
Gorduras
Gorduras totais 0 g
Proteínas
Proteínas totais 0.2 g
Vitaminas
Tiamina (vit. B1) 0.007 mg (1%)
Riboflavina (vit. B2) 0.06 mg (5%)
Niacina (vit. B3) 0.03 mg (0%)
Vitamina B6 0.005 mg (0%)
Vitamina C 0.3 mg (0%)
Minerais
Cálcio 0 mg (0%)
Ferro 0.02 mg (0%)
Magnésio 1 mg (0%)
Manganês 0.18 mg (9%)
Potássio 8 mg (0%)
Sódio 1 mg (0%)
Água 99.9 g
Cafeína 12 mg
Link to Full USDA Nutrient Report
Percentuais são relativos ao nível de ingestão diária recomendada para adultos.

Estudos indicam que o chá-verde é rico em substâncias antioxidantes, chamadas polifenóis, que evitam a ação destrutiva das moléculas de radicais livres que degeneram as células, auxiliando, por exemplo, na prevenção do câncer, tendo efeito antienvelhecimento e na queima de gorduras[3], geralmente através de cápsulas naturais[4] que incentivam a lipólise.

O chá-verde também é rico em tanino que faz diminuir as taxas do LDL (colesterol ruim) e fortalece as artérias e veias favorecendo a prevenção de doenças cardíacas e circulatórias. Possui bioflavonoides e catequinas: substâncias que bloqueiam as alterações celulares que dão origem aos tumores.[5]

Um estudo feito nos Estados Unidos indica que o extrato de chá-verde pode suprimir o crescimento de Helicobacter pylori (em vivo e em vitro).[6] Um outro estudo feito na Coreia do Sul sugere que um polissacarídeo ácido encontrado no chá-verde é significativamente efetivo na prevenção da adesão do H. pylori a células epiteliais humanas em cultura[7]

O chá-verde também possui manganês, potássio, ácido fólico, vitamina C, vitamina K, vitamina B1 e a vitamina B2.

O chá-verde é diurético.

Referências

  1. Academia Brasileira de Letras. Disponível em http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=23. Acesso em 30 de abril de 2014.
  2. «Chá preto emagrece». Comoemagrecer. 10 de março de 2018 
  3. [1]
  4. «Como Emagrecer Rápido Naturalmente: Faça Essas 2 Coisas Simples». Gowebz. 17 de agosto de 2019. Consultado em 17 de agosto de 2019 
  5. [2]
  6. [3]
  7. Referência: Lee J, Shim J, Lee J, Kim J, Yang I, Chung M, Kim K (2006). "Inhibition of pathogenic bacterial adhesion by acidic polysaccharide from green tea (Camellia sinensis)". J Agric Food Chem 54 (23): 8717–23).