Abrir menu principal
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde março de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes está sujeito a remoção.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Gravações Elétricas S.A.(simplesmente GEL) é uma gravadora musical brasileira.

Índice

HistóriaEditar

Em 1928,o empresário paulista Alberto Byington Jr., então dono de um império industrial, assumiu a representação da Columbia no Brasil,iniciando as operações de gravação de discos sob o selo "Columbia do Brasil". Com o crescimento do mercado fonográfico nas décadas de 30 e 40, Byington não renova o contrato com a gravadora e, em 1943, lança o próprio selo: a Discos Continental (conhecida posteriormente como Continental Gravações Elétricas).[1] O escritório da gravadora ficava localizado na Avenida do Estado,em São Paulo, e a sua fábrica se localizava no Rio de Janeiro,na Rua Aguiar Moreira.

Com a fundação, a GEL cria 5 selos: Selo Continental(1943), Chantecler(1958), Phonodisc, Musicolor e Gravasom, este último de Belém do Pará

Os maiores vendedores de discos foram os seguintes músicos

Divisões da Gravadora Gravações Elétricas.Editar

Artistas da GEL.Editar

Pelo Selo Continental.Editar

Pelo Selo Chantecler.Editar

Por Selos Minoritários.Editar

Selo Gravasom.
Selo Phonodisc.
Selo Musicolor
. Gerson Filho
. Pedro Sertanejo
. Vava Machado e Marcolino
. Voninho

Tiragens EspeciaisEditar

Observação

Ligações externasEditar

  1. Vicente, Eduardo; Vicente, Eduardo (May 2017). «A gravadora Chantecler e a música regional do Brasil». Estudos Avançados. 31 (90): 323–338. ISSN 0103-4014. doi:10.1590/s0103-40142017.3190021  Verifique data em: |data= (ajuda)