Cristina Serra

jornalista brasileira
Cristina Ferreira Serra
Nome completo Cristina Ferreira Serra[1]
Nascimento 10 de março de 1963 (57 anos)[1]
Belém, PA
Ocupação Jornalista e repórter
Filho(s) Jaime dos Santos
Nacionalidade brasileira
Atividade 1982—presente[1]
Trabalhos notáveis

Cristina Ferreira Serra (Belém do Pará, 10 de março de 1963) é uma jornalista e escritora brasileira. Trabalhou durante 26 anos na Rede Globo e foi comentarista do canal de YouTube MyNews. Atualmente, integra a equipe do site Metrópoles [2]

Vista do mercado Ver-o-Peso, em Belém, terra natal da jornalista.

BiografiaEditar

Filha de um professor universitário químico industrial e de uma professora primária, Cristina Serra nasceu em 10 de março de 1963 em Belém, Pará.[1]

Estudou da alfabetização ao vestibular no Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Pará,[1] e no fim adolescência, período ainda da Ditadura Militar, entrou para a Universidade Federal do Pará e mergulhou fundo no movimento estudantil, tornando-se presidente de centro acadêmico local e representante na União Nacional dos Estudantes (UNE), vinculando-se também à Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos.[1]

Ainda na adolescência, engravidou e teve uma filha, Marina.[3]

Iniciou sua carreira em Belém, mais precisamente no jornal Resistência, da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos, ainda no final da Ditadura Militar. Mais tarde, em 1983, mudou-se para o Rio de Janeiro onde se formou em Jornalismo pela Universidade Federal Fluminense (UFF).[1] Antes de ter atuado em televisão, ela fez um estágio de três meses no jornal O Globo e depois continuou no mesmo órgão como jornalista freelancer até a formação. Passou ainda pelo Jornal do Brasil[1] (1986) e pela revista Veja.

Na TV Globo, onde tem trabalhado pela maior parte de sua carreira, começou como repórter no RJTV e passou um tempo no Bom Dia Rio para aprender a fazer entradas ao vivo. Ficou impressionada ao cobrir de perto o drama dos cidadãos comuns da Baixada Fluminense.[1] Após quatro anos (1990-1994), foi para o Jornal do Brasil (sucursal Brasília) e um ano depois aceitou um convite da TV Globo Brasília para ser repórter.

Correspondente em Nova YorkEditar

Entre 2002 e 2005, foi correspondente da emissora em Nova York.[1] A jornalista chegou antes do primeiro aniversário do 11 de setembro e revelou em entrevista:

A cidade, assim como o restante dos Estados Unidos, ainda vivia um clima de tensão muito forte. E o governo Bush fazia questão de lembrar isso a todo o momento, porque boa parte do apoio dele vinha daí. Polícia na rua, polícia no metrô, podiam revistar a mochila. Você sentia no ar uma tensão muito grande. Depois, a coisa foi desanuviando.[1]

Durante este período, Cristina cobriu a ofensiva norte-americana no Iraque, registrando, dentre os fatos decorrentes, a repercussão da morte do diplomata brasileiro Sérgio Vieira de Mello, vítima de caminhão bomba. Viajou a Indonésia para cobrir a passagem de um tsunami que causou destruição em diversos países e vitimou cerca de 220 mil pessoas.[1]

Retorno ao BrasilEditar

Depois que voltou ao Brasil, a jornalista teve uma experiência com a apresentação e co-apresentação eventual de programas da Globo News, como Espaço Aberto e J10.

Em 2012, Cristina apresentou as notícias políticas no Bom Dia Brasil, durante folgas de Zileide Silva. No mesmo ano começou a participar do quadro As Meninas do Jô, do Programa do Jô, juntamente com outras jornalistas conceituadas como Lilian Witte Fibe e Cristiana Lobo, elas opinam no bloco diversos temas de interesse como direitos humanos, política, economia, saúde e etc.[4]

Em 2015, retornou para a Rede Globo no Rio de Janeiro, onde trabalhou no Programa Fantástico. Nesta nova fase, Cristina conseguiu enfatizar ainda mais a defesa dos direitos humanos, pela qual é apaixonada,[5] com a realização de grandes reportagens sobre temas como racismo,[6] agressão a mulher[7]e corrupção.[8]Em 31 de janeiro de 2018, após 26 anos, a repórter anunciou sua saída da emissora[9]

Em 12 de março de 2018, estreou como comentarista do canal de Youtube MyNews, no programa "Segunda Chamada" apresentado por Antonio Tabet e com participações de Mara Luquet, Gabriel Azevedo e Mariliz Pereira Jorge.

PrêmiosEditar

  • 2018 - Prêmio Sistema FIEPA de Jornalismo - troféu Personalidades da Comunicação [10]

ObraEditar

  • 2018 - Tragédia em Mariana – A história do maior desastre ambiental do Brasil. Editora Record- isbn: 9788501115737 [11]


Referências

  1. a b c d e f g h i j k l Redação Globo (1º de março de 2011). «Cristina Serra – Trajetória». Memória Globo. Consultado em 22 de fevereiro de 2014 
  2. https://www.metropoles.com/author/cristina-serra
  3. Da redação (1º de agosto de 2013). «Marina Serra dos Santos é dona do blog 'Humanos de Brasília'». Programa do Jô. Consultado em 5 de agosto de 2014 
  4. Da redação (11 de dezembro de 2013). «Meninas do Jô». Programa do Jô. Consultado em 22 de fevereiro de 2014 
  5. «Cópia arquivada». Consultado em 10 de outubro de 2016. Arquivado do original em 11 de outubro de 2016 
  6. http://globoplay.globo.com/v/4594698/
  7. http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/10/chimbinha-nega-agressao-joelma-nunca-eu-maltratei-essa-mulher.html
  8. http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2015/08/fantastico-debate-com-jovens-os-casos-de-corrupcao-do-dia-dia.html
  9. Ricco, Flávio (31 de janeiro de 2018). «Cristina Serra deixa TV Globo depois de 26 anos». UOL. Consultado em 31 de janeiro de 2018 
  10. https://bacana.news/melhores-do-jornalismo-paraense-brilham-em-premiacao-do-sistema-fiepa/
  11. «Jornalista Cristina Serra lança no Rio livro sobre tragédia em Mariana». G1. 6 de novembro de 2018. Consultado em 15 de junho de 2019 

9. https://veja.abril.com.br/entretenimento/cristina-serra-vai-trabalhar-com-mara-luquet-em-canal-no-youtube/

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.