Cronologia da Guerra de Independência de Angola

Cronologia dos principais eventos que influênciaram a Guerra de Libertação de Angola, tanto anteriores como durante o conflito que opôs Portugal aos movimentos independentistas de Angola.

AntecedentesEditar

ACONTECIMENTOS ANTERIORES AO COMEÇO DA GUERRA[1]

Data acontecimento

1954

Outubro Inicio da Guerra da Argélia, com uma série de explosões em Argel. Esta guerra, no seu auge, levou à presença de 400 000 militares franceses na Argélia

1955

18 de Abril Conferência de Bandung (Indonésia). Leopold Senghor viria a considerá-la como sendo "A tomada de consciência à escala universal da da eminente dignidade dos povos de cor e a morte dos seus complexos de inferioridade"

1958

15 a 22 de Abril Conferência dos Estados Africanos Independentes, em Accra (Ghana), a primeira conferência panafricana que se realizou em solo africano. Nkrumah, presidente do Ghana, pretendeu fazer dela a Bandung africana
Dezembro Fundação da UPA, União dos Povos de Angola

1959

6 de Março O governador-geral de Angola, general Horácio de Sá Viana Rebelo, profere o Discurso da Carreira de Tiro durante a inauguração da carreira de tiro militar ,em Luanda
22 de Setembro O general António Miguel Monteiro Liborio iniciou as funções de comandante da 3ª Região Militar (mais tarde RMA – Região Militar de Angola), com prerrogativas de Comandante-Chefe, substituindo o general Carlos Nascimento e Silva

1960

15 de Janeiro O dr. Álvaro Silva Tavares iniciou as funções de governador-geral de Angola
31 de Janeiro Fundação do MPLA, Movimento Popular de Libertação de Angola
1 de Julho Independência do Congo Belga, que passou a designar-se po República Democrática do Congo (RDC)
Final A ONU (Organização das Nações Unidas) deixou de reconhecer as Províncias Ultramarinas portuguesas como parte integrante de Portugal e passou a impor as suas auto-determinação por considerá-los territórios não autónomos

1961

11 de Janeiro Início, na povoação de Milando (Malange) de uma sublevação de cariz laboral na Baixa do Cassange
20 de Janeiro John Kennedy foi empossado como Presidente dos Estados Unidos da América e passou a apoiar os nacionalismos africanos, procurando, dessa forma, neutralizar a crescente influência soviética em África
22 de Janeiro Henrique Galvão, chefiando um grupo de portugueses e espanhóis, desencadeou a Operação Dulcineia. Assaltou e apoderou-se do paquete português, Santa Maria, que designou por Santa Liberdade, e rumou ao Brasil, onde obteve o asilo político do, recentemente eleito, Presidente Jânio Quadros
4 de Fevereiro Graves distúrbios em Luanda com assaltos à cadeia de S. Paulo, à Esquadra da Polícia Móvel e à Casa de Reclusão de Luanda. Nesses assaltos foram assassinados alguns agentes da PSP
4 de Fevereiro Saíu de Luanda, rumando a Malange por via férrea, a 4º Companhia de Caçadores especiais (4ª CCE), integrando o Batalhão Eventual (3ºª,4ª e 5ª CCE) que, sob o comando do major Rebocho Vaz, fora constituido para fazer face à grave situação da Baixa do Cassange
5 de Fevereiro Durante os funerais dos agentes da PSP assassinados nos distúrbios de Luanda o extremo nervosismo reinante provoca mais tumultos, dos quais resultaram mais mortos e feridos
10 de Fevereiro Nova tentativa de assalto à cadeia de S. Paulo, em Luanda
13 de Fevereiro Foi divulgada a morte do Primeiro-Ministro congolês, Patrice Lumumba, assassinado por soldados catangueses a 17 de Janeiro. Tornou-se num mártir e numa figura mítica para os movimentos nacionalistas emergentes no território de Angola
23 de Fevereiro A Libéria solicitou uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para debater a situação de Angola
25 de Febvereiro Queixa do Ghana, acusando Portugal perante a Organização Internacional do Trabalho (OIT) de recorrer a trabalho forçado em Angola, Moçambique e Guiné
27/28 de Fevereiro A Baixa do Cassange foi oficialmente considerada pacificada. A sublevação durara apenas um mês e meio

GuerraEditar

ACONTECIMENTOS DURANTE A GUERRA DE INDEPENDÊNCIA DE ANGOLA[2]

Data acontecimento

1961

15 de Março A UPA levou a efeito um violento massacre no norte de Angola
15 de Março O Conselho de Segurança da ONU apresentou a votação a moção da Libéria. O delegado dos Estados Unidos votou contra Portugal
21 de Março O Batalhão Eventual (5ª 6ª e 7ª CCE) constituído para acorrer à área afectada pela UPA, comandado pelo major Rebocho Vaz, partiu para Cuanza Norte
25 de Março O Ministro da Defesa, general Botelho Moniz, escreveu a Salazar para debater com ele a situação do País, o Governo e as Forças Armadas face à situação de Angola
28 de Março Foi criado o Corpo de Voluntários de Angola
2 de Abril Uma força do Batalhão Eventual sofreu uma emboscada na região de Cólua duirante a qual morrem o capitão, Castelo da Silva, e o tenente, Jofre dos Prazeres
9 a 3 de Abril O Presidente do Conselho dominou a turbulência política criada em Portugal por motivo da carta de Botelho Moniz e assumiu a pasta da Defesa, proferindo: "para Angola rapidamente e em força". As mobilizações para Angola foram fortemente incrementadas
21 de Abril Embarque para Angola, no navio Niassa, do primeiro contingente de tropas (Bcaç 88, Bcaç 92 e várias Companhias independentes)
24 de Abril Partiu para Angola o cargueiro Benguela com muito material de guerra para equipar os militares dos três ramos das Forças Armadas que iam chegando a Angola
2 de Maio o Navio Niassa chegou a Luanda
9 de Maio Foi criado o Corpo de Trabalho e Recuperação Económica, tendo em vista a colheita do café na região afectada pela UPA
13 de Maio as Unidades militares chegadas a Luanda partiram para o Norte de Angola, iniciando a recuperação da área afectada que, entretanto, se ampliara
Junho O dr. Silva Tavares foi substituído pelo general Venâncio Augusto Deslandes que, em Setembro desse ano viria a acumular as funções de governador-geral de Angola com as de CCFAA (Comandante Chefe das Forças Armadas de Angoçla)
Junho O general Carlos Miguel da Silva Freirte foi nomeado Comandante da 3º Região Militar com prerrogativas de Comandante-chefe até Setembro de 1961, quando foi criada formalmente a função de Comandante-chefe, assumida pelo general Deslandes
21 de Junho Foi criado o SCCIA (Serviço de Centralizaão e Coordenação de Informações de Angola)
1 de Agosto O Doomé apoderou-se do Forte de S. João Baptista de Ajudá
9 de Agosto A vanguarda do Bcaç 96 chega a Nambangongo (Operação Viriato)
11 de Agosto Adriano Moreira anunciou a transferência dos órgãos coordenadores das Juntas de Exportação do café, dos cereais e do algodão para Luanda e Lourenço Marques
11 de Agosto A União Indiana integra o seu território os enclaves de Dadrá e Nagar-Aveli, da Índia Portuguesa
Agosto Foi criada a ZMN (Zona Militar Norte), englobando os distritos de Luanda, Cabinda, Uige, Zaire, Malange e Cuanza Norte, para substituir a inicialmente designada por ZSN (Zona Sublevada Norte)
28 de Agosto Adriano Moreira extinguiu o Estatuto dos Indígenas de 1954
10 de Setembro Foi executada pelo Bcaç 96, Bcaç 291 e Ccav a Operação Esmeralda, que culminou com a limpeza da área da Pedra Verde
21 de Setembro Foi criada a ZIL (Zona de Intervenção Leste) nos distritos de Lunda e Moxico
3 de Outubro Um pelotão da CArt 100 reocupa o último posto do Norte de Angola (Caiongo) na circunscrição de Alto Cuale. Foi, então, oficialmente proclamado que em angola se passavam a executar operações de polícia
Outubro Foi criado um centro Inter-Armas em Cabinda tendo em vista a formação de tropas especiais (precursoras dos Comandos), A ideia não teve continuidade em Cabinda e culminou na criação de Centros de Instrução de Comandos noutros locais
10 de Novembro Desastre aéreo do Chitado no qual pereceram quase tudos os oficiais do Quartel General da Região Militar, nomeadamente o general-comandate, Silva Freire. A trajédia ocorreu durante um reconhecimento aéreo com vista à criação da ZIS (Zona de Intervenção Sul)
10 de Novembro Foi desviado um avião da TAP por um grupo de opositores ao governo português, chefiado por Palma Inácio
Novembro Centenas de milhar de pessoas, que haviam fugido por motivo dos distúrbios causados pela UPA, em Março, começaram a apresentar-se às autoridades em praticamente todo o distrito do Uige
9 de Dezembro Independência da Tanzânia
11 de Dezembro Início da intervenção armada dos Estados Unidos no Vietnam
18 de Dezembro A União Indiana invadiu e ocupou os territórios de Goa, Damão e Diu, na ìndia Portuguesa. Perante o poderio da força invasora o governador, general Vassalo e Silva, ordenou a rendição das tropas portuguesas

1962

18 de Março Acordos de Évian, que puzeram fim à Guerra da Argélia. O conflito vitimou cerca de 30 000 militares franceses e 300 000 argelinos
27 de Março A UPA coligou-se com o PDA (Partido Democrático de Angola) e constituiu a FNLA (Frente Nacional de Libertação de Angola)
14 de Setembro O tenente coronel Silvino Silvério Marques substituiu o general Venâncio Augusto Deslandes no cargo de Governador-geral de Angola.

1963

6 de Abril Constítuição, no Moxico do COMEVAK (Comando Eventual da Área Fronteiriça do Katanga

1966

13 de Março Fundação da UNITA, e início das suas actividades no Moxico
Durante 1966 O MPLA transferiu os seus combatentes de Cabinda para a Zâmbia e abriu uma frente de guerra na fronteira do Moxico
Abril O MPLA entrou no Moxico e atacou Lumbola, nas margens do rio Zambeze
26 de Outubro O coronel Camilo Rebocho Vaz substituiu o coronel Silvino Silvério Marques no cargo de Governador-geral de Angola
25 de Dezembro A UNITA atacou Vila Teixeira de Sousa

1967

Novembro O general João Anacoreta de Almeida Viana assumiu as funções de comandante-chefe

1968

30 de Março Directiva Geral Angola em Armas, criando a ZMN (Zona Militaar Norte) e a ZML (Zona Militar Leste) em substituiçãop da ZIN, ZIL e AM1 (Área Militart 1)
19 de Maio A FNLA entrou no Leste e levou a efeito as primeiras acções violentas sobre populações
Outubro Operação Vitória, no Leste, com a destruição de bases do MPLA (Mandume II, Mandume III e Cacuaje) e a captura de documentação valiosa

1969

1 de Setembro O Agrupamento Siroco, de tropas Comando, iniciou um longo período de operações no Leste

1970

6 de Fevereiro Operação Teste, junto ao rio Chiume, com captura de grande quantidade de material ao MPLA
3 de Maio Chegou a Luanda o general Francisco Costa Gomes para substituir o comandante chefe, general Almeida Viana
23 de Julho O Agrupamento Siroco, de tropas Comando, iniciou um longo período de operações no Leste
23 de Julho Primeira directiva remodelando o dispositivo, tendo em vista a mudança do esforço militar para o Leste
13 de Novembro O general Costa Gomes dirigiu-se ao CPCS (Conselho Político de Contra-Subversão) anunciando o seu plano contra-subversivo e a mudança do esforço para Leste

1971

8 de Janeiro O Ministro da Defesa Nacional visitou Angola e tomou contacto com as alteraçoes estratégicas do General Costa Gomes
8 de Fevereiro Despacho do Ministro da Defesa Nacional criando a novaa Zona Militar Leste e estabelecendo que o seu comando disporia de um comando-conjunto
18 de Fevereiro A portaria 99/71 criou a nova Zona Militar Leste, englobando os distritos da Lunda, Moxico, Bié e Cuando-Cubamngo
24 de Fevereiro Directiva formalizando a criação do QG/CCFAA com base nas repartições operacionais do QG/RMA
31 de Março O general José Manuel Bettencourt Rodrigues iniciou o comando da ZML
31 de Março A directiva 2/71 do CCFAA formalizou a remodelação da ZML e estabeleceu o commando-conjunto, atribuindo-lhe competências
6 de Maio Despacho-conjunto do GG e do CCFAA sobre atrubuições de comandante da ZML e criando o CECS (Conselho Especial de Contra Subversão) da ZML
11 de Junho O Agrupamento Siroco, de tropas Comando, iniciou um longo período de operações no Leste
11 de Julho O Ministro do Ultramar visitou Angola e apoiou o Plano de Desenvolvimento do Leste

1972

11 de Março Foram aprovadas no CPCS as normas sobre Milícias de Regedoria e Auto-Defesa das populações rurais
23 de Junho A Província Ultramarina de Angola ganhou o estatuto e a designação de Estado de Angola
6 de Julho Directiva Geral Raio Verde do CCFAA, fomalizando a constituição da ZML renovada e a sua missão
12 de Julho O Agrupamento Raio iniciou um longo período de operações no Leste (Operação Rojão IH)
22 de Agosto O Comando da ZML foi louvado pelos seus serbiços relevantes
Agosto O general Joaquim da Luz Cunha assumiu as funções de comandante-chefe, em substituição do general Francisco da Costa Gomes
Agosto O engenheiro Fernando Augusto Santos e Castro substituiu o coronel Camilo Rebocho Vaz nas funções de governador-geral de Angola
15 de Setembro O general Costa Gomes assumiu as funções de CEMGFA (Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas)
13 de Dezembro Acordo de Kinshasa coligando o MPLA e a FNLA, sob os auspícios da OUA

1973

8 de Janeiro Início da Operação Rubi/ZH na região de Coutada de Mossuco, que culminou com a morte de Cuenhe (afamado chefe guerrilheiro do MPLA) e a destruição do seu grupo
Março O general Abel Barbosa Hipólito substituiu o general José Manuel Bettencourt Rodrigues no comando da ZML
29 de Junho Destítuição do último grupo do MPLA em território angolano (na região de Ninda-Sete-Chiume)

1974

2 de janeiro Forte emboscada da UNITA a forças portuguesas, provocando muitas baixas
19 de Janeiro Início da Operação Castor sobre os redutos da UNITA
25 de Abril Golpe 25 de Abril, mudança de regime político em Portugal
26 de Abril A UNITA atacou uma pequena força portuguesa, provocando 19 mortos
11 de Novembro Acordo do Alvor, segundo o qual Portugal concedeu a independência a Angola

Ver tambémEditar

BibliografiaEditar

Referências

  1. Angola 1961, da Baixa do Cassange a Nambuamgongo, António Lopes Pires Nunes, ed. Prefácio, 2005
  2. Angola 1966-74, Vitória Militar no Leste, ed. Prefácio, António Lopes Pires Nunes, ed Prefácio, 2004