Abrir menu principal

Culinária do Amazonas

A culinária do Estado do Amazonas, dentre as outras do Brasil, foi uma das que mais conservaram suas origens indígenas, com pouca influência portuguesa ou africana. Por ser uma das culinárias mais exóticas do país,[1] a gastronomia amazonense exerce influência no Brasil e no mundo.[2][3]

O Amazonas é o maior estado do Brasil em extensão territorial, sendo cortado por rios gigantes que abrigam mais de duas mil espécies de peixes.[4] Por essa razão, a culinária amazonense valoriza, sobretudo, o pescado. Os principais peixes consumidos são o pirarucu, o tambaqui, o tucunaré, o pacu e o jaraqui.[5] É comum também o consumo da carne de tartaruga[6], entre os habitantes ribeirinhos mais antigos era consumido a carne do peixe-boi amazônico, proibida pelos órgãos ambientais do Brasil devido a caça predatória.[7]

Muitos pratos típicos da região são acompanhados pelo pirão, uma espécie de massa de farinha de mandioca que é cozida em caldo de peixe[8], também em épocas festivas é notável o consumo de pratos como o pirarucu de casaca, peixes assados ou fritos, como o tambaqui e o jaraqui e bananas fritas, geralmente vendidas em lanchonetes popularmente conhecidas como "bananinhas", além do vatapá, que apesar de ser uma iguaria não tipica do estado é bastante consumido no Amazonas.

A Amazônia é singular também pelas muitas frutas, algumas completamente desconhecidas em outras partes do Brasil.[9] São utilizados o cupuaçu, o tucumã, a pupunha e o açaí (que hoje pode ser encontrado em cidades de todo o país e tem fama mundial), entre outras muitas frutas exóticas.[10] Das bebidas naturais, as mais consumidas no Amazonas em in natura são os sucos de guaraná (no formato natural, em pó)[11][12][13], cupuaçu, açaí, refrescos de graviola e outras frutas especialmente os naturais da região amazônica.[14]

GaleriaEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. BrasilChannel. Culinária Amazonense
  2. Ferraz, Patrícia (21 de agosto de 2019). «Banzeiro, restaurante de Manaus, abre filial em São Paulo». Estadão. Consultado em 26 de novembro de 2019 
  3. Oliveira, Bruna (24 de julho de 2019). «Amazonense apresenta culinária regional para o mundo». Em Tempo. Consultado em 26 de novembro de 2019 
  4. «Gastronomia». Governo do Estado do Amazonas. Consultado em 26 de novembro de 2019 
  5. MARTINS, Leandro. Culinária da Amazônia tem influência indígena
  6. Carne de tartaruga é uma iguaria da culinária do Amazonas
  7. Peixe-boi-da-Amazônia, acesso no dia, 19 de dezembro de 2016.
  8. a b Arima, Kátia (27 de março de 2012). «12 deliciosos pratos típicos da Amazônia». Viagem e Turismo. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  9. «Conheça melhor os alimentos da culinária do Amazonas e suas propriedades terapêuticas». Terra. 2 de outubro de 2018. Consultado em 4 de novembro de 2019 
  10. Costa, William (13 de setembro de 2018). «Conheça 10 frutas exóticas encontradas na Amazônia». Portal Amazônia. Consultado em 4 de novembro de 2019 
  11. «Inpa discutirá projeto Waraná com produtores da Terra Indígena Andirá-Marau - Portal Amazonia». 2 de fevereiro de 2017. Consultado em 2 de março de 2017 
  12. «Receita do suco de guaraná da Amazônia - Ana Maria Broqui». Consultado em 2 de março de 2017 
  13. «O guaraná é muito mais benéfico do que você imagina». 22 de setembro de 2016. Consultado em 2 de março de 2017 
  14. «Preço do tucumã, do açaí e do cupuaçu aumenta até 62% em Manaus». D24AM. 30 de março de 2014. Consultado em 2 de março de 2017 
  15. «Indústria de Bacalhau da Amazônia é inaugurada com mercado garantido para o produto». Governo do Estado do Amazonas. 25 de agosto de 2011. Consultado em 26 de novembro de 2019 
  16. «'Comeu jaraqui, não sai mais daqui'». D24AM. 24 de outubro de 2018. Consultado em 26 de novembro de 2019 
  17. «Poder Executivo» (PDF). Diário Oficial do Município de Manaus. 21 de novembro de 2019. Consultado em 26 de novembro de 2019 
  18. «Aprenda a fazer o Caldo Erotizante de cabeça de piranha». Portal Amazônia. 4 de janeiro de 2016. Consultado em 26 de novembro de 2019 

Ligações externasEditar