Abrir menu principal

Índice

Tacla DuranEditar

Adicionado parágrafo sobre Tacla Duran, com informações novas, inclusive sobre a retirada de seu nome da lista de procurados da Interpol. O conteúdo está amplamente referenciado e amparado em fontes fiáveis da mídia mainstream, conforme as regras do projeto. Dornicke (discussão) 02h02min de 5 de março de 2019 (UTC)

PorteEditar

Nenhuma alusão ao fato dele ser um desarmamentista? 2804:14C:5BB5:88C0:301D:E92:4D76:9A3A (discussão) 23h41min de 13 de março de 2019 (UTC)

Se houve repercussão significativa a respeito, sinta-se a vontade para adicionar ou trazer as fontes para cá. Saturnalia0 (discussão) 01h05min de 15 de março de 2019 (UTC)

Colaboração proibidaEditar

Adicionado parágrafo sobre colaboração ilegal entre promotoria e juiz, publicado hoje pelo Intercept. [1] Dornicke (discussão) 21h55min de 9 de junho de 2019 (UTC)

Hélio Aniceto Discuta aqui e atente a WP:3RR. A informação está referenciada, desde que haja atribuição não vejo o problema na adição. Por outro lado também não entendo a pressa, visto trata-se de caso jornalístico recente e de BPV. A Wikipédia não é lugar de expressar desafetos. Saturnalia0 (discussão) 00h02min de 10 de junho de 2019 (UTC)
@Hélio Aniceto: Só não atendi o pedido do Dornicke e bloqueei a sua conta por quebra de WP:3RR porque você é um bom editor, com poucos registros de conflito e com um registro de bloqueio limpo. Sugiro que apresente seus argumentos neste espaço e que pare imediatamente de promover guerras de edições e ataques pessoais. A administração não será tão paciente em uma próxima oportunidade. Esteja avisado. Chronus (discussão) 00h06min de 10 de junho de 2019 (UTC)
Pelo visto vou me ausentar da Wiki por alguns meses novamente kkkkkkk. Cuidem aqui do Sergio Moro, é um grande brasileiro.--Hélio Aniceto (discussão) 00h08min de 10 de junho de 2019 (UTC)
@Hélio Aniceto: Você não tem que se "ausentar", tem é que respeitar as regras do projeto, o que pelo visto o senhor não está disposto a fazer. Suas edições estão sob vigília. Chronus (discussão) 00h11min de 10 de junho de 2019 (UTC)
Se ausentar por que? Enfim, como a notícia saiu agora, o pessoal está um tanto eufórico. Mas mas tarde será melhor avaliada a importância da notícia que saiu. Por enquanto é melhor esperar um ou dois dias.--Bageense(fala) 00h14min de 10 de junho de 2019 (UTC)
As acusações são extremamente graves. Evidentemente as respostas dos acusados e novas informações devem ser adicionadas à medida que o episódio se desenvolva. Mas não há como deixar de cobrir uma informação dessa magnitude. Dornicke (discussão) 00h30min de 10 de junho de 2019 (UTC)
Acrescento que o Ministério Público confirmou a veracidade dos áudios e transcrições em questão. [2] Dornicke (discussão) 00h41min de 10 de junho de 2019 (UTC)
No link que você trouxe está escrito o contrário do que você está escrevendo aqui: Nenhum comentário sobre a veracidade do conteúdo das mensagens divulgadas foi feito na nota. Saturnalia0 (discussão) 01h01min de 10 de junho de 2019 (UTC)
Sim, de fato. Basta ler a íntegra do comunicado para ver que não há negação sobre a veracidade do conteúdo. Dornicke (discussão) 01h10min de 10 de junho de 2019 (UTC)
Não tenho acesso à integra, está em paywall. De qualquer forma, confirmar é diferente de não negar. Fiz pequenos ajustes ao texto, mas só li a primeira parte da reportagem. Qualquer coisa reverter. Por hoje não posso mais colaborar, vou deitar, mas não vejo grandes problemas no texto. Sds Saturnalia0 (discussão) 01h19min de 10 de junho de 2019 (UTC)
Concordo com a maior parte dos ajustes, apenas modifiquei a parte em relação aos juristas, já que a Constituição é clara em relação à ilegalidade da prática mencionada, não sendo uma opinião do periódico. Dornicke (discussão) 01h25min de 10 de junho de 2019 (UTC)
Acrescentei uma matéria do UOL ("Mensagens vazadas revelam que Moro orientou investigações da Lava Jato") referendando a nota. Dornicke (discussão) 01h37min de 10 de junho de 2019 (UTC)

Vão me desculpar, mas vão tratar isso como enciclopédia e não como jornal. Ao invés de sair adicionando tudo que pinta na telinha da TV na introdução de BPVs como quem monta uma capa de jornal, ainda por cima dando peso à opinião de um jornal sobre a legalidade de, como a seção sugere, controversas (ao invés de simplesmente versar sobre os fatos - foi vazada tal e qual informação), mais vale resumir a seção de controversas ao fim da introdução, como de praxe, uma vez que já é grande o suficiente para tal - mencionando, se cabível e com o devido peso dado o caráter recente, a notícia da vez. Saturnalia0 (discussão) 23h57min de 10 de junho de 2019 (UTC)

Eis aqui uma sugestão de resumo, que cabe após uma explicação sobre a popularidade do biografado:

... já críticos acusam Moro de imparcialidade em suas decisões no âmbito da Operação Lava Jato, entre elas a divulgação de grampos telefônicos entre Rousseff e Lula. Outra decisão que gerou polêmica foi a recusa por parte de Moro do testemunho de Duran. Em uma decisão sobre a retirada de Duran de sua lista, a Interpol conclui que há dúvida razoável sobre a conduta do juiz em relação à Duran, no que diz respeito à sua constituição interna. Em 2018, Moro foi criticado ainda por fotos com Doria, após palestrar em um evento de seu grupo empresarial. Em 2019, o jornal The Intercept vazou conversas entre Moro e Dallagnol, cujo conteúdo inclui discussões altamente controversas, politizadas e legalmente duvidosas da força-tarefa da Lava Jato.

Saturnalia0 (discussão) 00h03min de 11 de junho de 2019 (UTC)

Concordo que o conteúdo da reportagem do The Intercept, ao menos por ora, não deve constar no texto introdutório de BPV. Chronus (discussão) 01h21min de 11 de junho de 2019 (UTC)

LamentavelEditar

Não vou usar de delicadezas, se quiserem entrar na minha página de discussão para me ameaçar, e assim encobrirem esse ataque político terrorista a um verbete de BPV que sejam coerentes e ajam como terroristas e me excluam da WP, mas não vou me calar. É tão vergonhoso que nem merece detalhamentos. Se quiser me calar mais, pode excluir esse meu comentário aqui, como fizeram no outro verbete. E, tento pela última vez chamar a responsabilidade de vocês, extrapolaram qualquer parâmetro de parcialidade, pelo amor de Deus, isso aqui é uma BPV. Como sou pequenininho aqui, sinto que se esgotaram o bom senso e comedimento pelos Admin. Quando as vísceras são expostas, não tem como cheirar bem, não é?--Hélio Aniceto (discussão) 00h44min de 18 de junho de 2019 (UTC)

Hélio Aniceto Acalme-se. Reclamar é uma coisa, reclamar sem dar alguma contribuição construtiva do que deve ser feito é outra, e vai de encontro com WP:FORUM. Se você identificou problemas no verbete elenque-os, citando trechos do mesmo, para que possam ser discutidos e trabalhados. Se você identificou falha na conduta alheia inicie uma reclamação formal no canal apropriado, com as devidas evidências. Dito isso, lendo por cima as adições recentes não percebo nenhum problema gritante, há pontos e contrapontos, o texto me parece escrito de forma neutra e na seção apropriada. Questionei anteriormente a pressa em adicionar à introdução algo que não havia como saber o peso devido, agora não acompanho mais o caso e abstenho-me de comentar a respeito, mas posso colaborar com re-escrita de trechos porventura problemáticos. Queira elencá-los? Saturnalia0 (discussão) 13h58min de 18 de junho de 2019 (UTC)
Nem adianta tentar. Eles são incapazes de fazer acusações objetivas e concretas. Eu já tentei pedir para outro editor me apontar com clareza o que ele observou de parcial do artigo do governo Bolsonaro mas ele também foi incapaz. Só sabem fazer acusações extremamente vagas, que não dizem nada.

De qualquer forma, acho que o conteúdo das controvérsias pode ser resumido, pois já estão detalhadas no artigo Controvérsias envolvendo a Operação Lava Jato. Lá é o artigo mais adequado para isso. --Bageense(fala) 15h18min de 18 de junho de 2019 (UTC)
  Contra dividir agora. - Ainda não. Não sabemos até que ponto as acusações contra o ministro serão extensas. Além disso, as acusações, até onde sabemos, também cobrirão a TV Globo. Devemos esperar por mais 2 semanas e, se necessário, dividir ou criar um artigo para acusações da Intercept. Dr. LooFale comigo 20h00min de 18 de junho de 2019 (UTC)
Acontece que já tem artigo. Controvérsias envolvendo a Operação Lava Jato é o artigo principal para esse assunto. Não faz sentido que aqui tenha um texto maior do que o texto que está nesse artigo principal. --Bageense(fala) 20h23min de 18 de junho de 2019 (UTC)
  Contra os fatos tem como principal protagonista o Ministro Sérgio Moro, então é totalmente justificável que o trecho sobre ele continue aqui. Juliabraga502018 (discussão) 18h59min de 23 de junho de 2019 (UTC)
Saturnalia0, Não acho que já se deva escrever sobre as graves informações da Revista Isto É, sobre os irmãos Durov, Snowden, Slavic e a ponta do escândalo, o Sr. Glenn e seu marido, envolvidos talvez em traição à Pátria e crimes contra a democracia brasileira. Não, vamos aguardar para colocar na WP. Aqui não é folhetim de notícias. Enquanto isso se desenvolve, é prudente a WP começar a se afastar de traidores, mas os Admin é que devem medir isso. Seguem minhas primeiras sugestões: Tirar a foto de Glenn e marido, é uma ofensa ao biografado colocar imagem de seus detratores, que usaram material roubado e não periciado, não comprovado e não reconhecido pelo biografado. Acreditem os desatentos: é extremamente ofensivo. Outra é que o tópico da Glenn possui inacreditáveis 18 referências, um acréscimo de 11% ao verbete. Tremendo exagero. Sugiro retirar toda a parte abaixo, quem quiser se aprofundar que entre no verbete específico, não cabe esse nível de detalhamento na biografia: ‘’Vários especialistas em direito criticaram o conteúdo das conversas de Moro. Jonathan Rogers, professor e vice-diretor do Centro de Justiça Criminal da Universidade de Cambridge, classificou o conluio entre Moro e os procuradores como "problemático". O advogado criminalista britânico Simon McKay acredita que a relação íntima entre juizes e procuradores "mina a independência judicial" e descreveu a situação como um "risco à justiça". Patrício Navia, professor do Centro de Estudos Globais da Universidade de Nova York descreveu que "um tomador de decisão independente e justo" é uma condição essencial em um sistema legal. Conor Foley, que atua como professor de direito e relações internacionais na PUC Rio, se disse "chocado" com o teor dos diálogos. Adriana Rocha, professora de direito da Universidade Católica de Pernambuco, afirmou que a situação "claramente, fere a ética", e que "não há construção de justiça." Ana Janaina Nelson, especialista em Relações Internacionais que atuou como oficial de Relações Exteriores no Departamento de Estado dos Estados Unidos, no período de 2010 e 2015 no governo de Barack Obama, classificou o caso como "preocupante" e disse que a situação "queima" Moro.[172] Vera Chemim, advogada constitucionalista acredita que a situação "provocaria...um enfraquecimento institucional" e "uma grande insegurança jurídica". Estefânia Barboza professora de Direito Constitucional da Universidade Federal do Paraná disse que as conversas são "muito graves do ponto de vista democrático." O ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Dipp, classificou as conversas do Ministro como uma "promiscuidade" e "uma esquematização de atuação conjunta", e afirmou que a suposta falta do "requisito da independência e isenção" seria um obstáculo para uma eventual indicação de Moro ao Supremo Tribunal Federal.[173] O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, classificou Moro como "chefe da lava jato" e disse que "...eles anularam a condenação [do Lula]”. Ele também acredita haver crime na relação do magistrado com os procuradores.[174] O ex-presidente Lula teria afirmado que "a verdade fica doente, mas não morre nunca".[175] Fernando Haddad disse que "Podemos estar diante do maior escândalo institucional da história da República..."[176].’’ --Hélio Aniceto (discussão) 16h55min de 21 de junho de 2019 (UTC)

Caro Hélio Aniceto, por acaso fui eu que coloquei o trecho que você destacou, mais ainda não vi nenhum problema nele. O trecho não está bem referenciado? Não é a opinião de especialistas sobre o tema consultados pela BBC? O PT e o Lula não tem relação com o caso? Parece que você que está sendo parcial. Os fatos estão destacados como foram apresentados e ninguém é obrigado a esperar a perícia dizer se são autênticos ou não. Ademais, não vi nada a mais pra se discutir aqui que não possa ser discutido nos fóruns do MBL. Juliabraga502018 (discussão) 18h59min de 23 de junho de 2019 (UTC)

É totalmente impróprio um usuário se referir a Glenn Greenwald como "traidor da pátria". A Wikipédia não está interessada nas suas paixões, visões políticas ou opinião pessoal, sr. Hélio. Guarde-as pra você. Aqui é um espaço para discutir o artigo, não atacar os desafetos de Moro. Dornicke (discussão) 15h45min de 24 de junho de 2019 (UTC)

Sou   Contra qualquer tipo de "resumo", "divisão" ou qualquer outro eufemismo que usem para tentativas de supressão de conteúdo válido e referenciado por fontes independentes. Moro é o principal ator dos vazamentos divulgados pelo Intercept, que estão a ser amplamente replicados pela mídia nacional e internacional, então creio ser natural que o caso tenha uma cobertura maior neste verbete. Hélio Aniceto, pela última vez, peço que se acalme, que pare de disseminar a desconfiança contra a comunidade de editores e que cesse os abusos do espaço público. Esta página serve para discutirmos o conteúdo do verbete diante dos regulamentos do projeto, não diante de suas opiniões pessoais sobre o cenário político brasileiro, que não interessam ao debate. Chronus (discussão) 13h40min de 26 de junho de 2019 (UTC)

Sou totalmente   A favor de, na verdade, até criar um artigo específico sobre a questão e fazer uma menção na biografia dele sobre essa situação. Só a seção em questão está quase maior que toda a seção sobre a carreira dele. Isso não me parece razoável. Ademais, se é um assunto que pode estar nessa biografia, já tem condições de ter artigo autônomo, inclusive com relação às controvérsias. Além disso, não acredito ser produtivo tratar de um tema específico em dois artigos.FábioJr de Souza msg 14h30min de 26 de junho de 2019 (UTC)

Já há o verbete Controvérsias envolvendo a Operação Lava Jato. A propósito, a quantidade de conteúdo e a repercussão sobre o caso justificam mais que uma mera "menção" neste artigo. Chronus (discussão) 15h08min de 26 de junho de 2019 (UTC)
@Chronus: Veja que a seção sobre a Operação Lava jato tem um conteúdo razoável (uma operação de vários anos). Mas, respeitando opiniões divergentes, não acho proporcional a seção sobre o Intercept (conforme disse acima, é quase maior que a seção da carreira do Moro - com as partes sobre magistratura, operação lava jato, etc.). Menção, no caso, não quer dizer duas linhas, mas sim tratar do conteúdo de forma geral remetendo o leitor ao artigo principal para que se aprofunde na questão (caso queira). Não é um verbete apenas sobre o caso do Intercept (as controvérsias), mas tudo bem (não vejo empecilhos intransponíveis em ficar lá). Mas não vejo porque concentrar esforços em dois artigos com o mesmo tema. Não vejo porque tratar do assunto à exaustão no artigo do Moro. É claro que o caso deve ter seu espaço na biografia do Moro, pois ele também (não é o único) é tratado, mas penso que há já um conteúdo suficiente para que seja desenvolvido em outro lugar (não obstante a "menção" referida). Enfim...FábioJr de Souza msg 15h25min de 26 de junho de 2019 (UTC)
Eu sou a favor da divisão. Não importa se os áudios são verdadeiros ou falsos, mas o tamanho das informações deles em relação ao resto da carreira. Deu um peso negativo no artigo, quando somado com as outras controvérsias.Theys York (discussão) 18h09min de 26 de junho de 2019 (UTC)
Além de tudo isso que já foi dito, as gravações dizem respeito ao caso do Lula, mas a atuação de Moro na Lava Jato foi muito maior que isso. Não acho necessária a criação de um artigo próprio para isso, mas o conteúdo deve ficar majoritariamente no artigo principal. A seção aqui deve ser de caráter introdutório ao conteúdo do artigo principal. --Bageense(fala) 20h44min de 26 de junho de 2019 (UTC)
Sou   A favor de criar um artigo somente para os vazamentos que prejudicam o ministro Sérgio Moro e a Lava Jato divulgados pelo site The Intercept. Sei da importância do artigo de controvérsias, mas a bola de neve da Vaza Jato é maior e cresce a cada dia; se for para abordar tudo no artigo de controvérsias ou em qualquer outro, perderá o foco. Devemos dar ao artigo de controvérsias e aos demais um equilíbrio(cada seção ter um peso igual de conteúdo, de abordagem). Pedro Jorge (discussão) 21h39min de 26 de junho de 2019 (UTC)
Também sou   a favor da criação de um artigo específico e   concordo totalmente com o que o colega Pedro Jorge escreveu acima. André Augusto C. da SilvaStand by me. 04h29min de 4 de agosto de 2019 (UTC)

Sucessor(a) de Moro é Gabriela HardtEditar

Mesmo apontando uma fonte fiável, fui revertido. Insistem em dizer que o sucessor de Moro é Bonat. Gabriela Hardt é a sucessora na prática, pois respondeu na cadeira de Moro durante vários meses até a chegada de Bonat. As explicações dadas não colam de forma alguma. É um absurdo o sucessor de Moro ser Bonat, pois já perceberam que existe um vazio no tempo entre a saída de Moro e a chegada de Bonat? Esse vazio é preenchido pela Gabriela. Pedro Jorge (discussão) 17h07min de 21 de julho de 2019 (UTC)

Olá. Como eu apontei na alteração, Bonat foi designado como novo juiz titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, que era o cargo ocupado por Moro. No meio tempo, Gabriela Hardt assumiu as funções (incluindo os processos da Lava-jato) como substituta do titular, que estava vago até o tribunal fazer o procedimento de remoção na carreira e nomear o novo titular, ou seja, Bonat. Hardt não preencheu em nenhum momento o cargo de juiz titular que ficou vago, mas atuou na função normal dela mesma, de juíza substituta, que é outro cargo. Daí porque substituição é diferente de sucessão. Tanto que agora, sendo Bonat o juiz titular, Hardt atua como substituta dele e não mais de Moro.
Inclusive, agora que o tema foi trazido para discussão, aproveito para dizer que na minha opinião, nem sequer faz muito sentido preencher a caixa de antecessor e sucessor em se tratando de juiz de primeira instância, que é uma carreira extremamente móvel. Não é como o membro de tribunal (desembargador ou ministro), que ocupa a mesma vaga no tribunal durante todo o exercício e quando ele sai entra o seguinte, o juiz de primeiro grau assume a função de substituto e de titular em pelo menos uma dezena de varas no decorrer da carreira, em cada uma delas sucedendo e sendo sucedido por alguém. Pessoalmente, acho que geraria menos divergências se deixasse só o cargo e o período de exercício como juiz federal, sem referência ao juízo e ao antecessor/sucessor. Até porque, como é extremamente incomum incluir nas infocaixas de político e mesmo de magistrado o exercício na primeira instância (esse artigo, o de Hardt e o de Bonat são os únicos que eu conheço que incluem), ainda existem discussões sem consenso sobre como preencher. Pode ser agora uma oportunidade de tentar resolver algumas. Sphynx-SN (discussão) 23h07min de 21 de julho de 2019 (UTC)
A matéria é controvertida, por isso pedi, já ao desfazer pela primeira vez a edição, que trouxesse a matéria à discussão. No Mas, é preciso "diferenciar as coisas". Na Justiça Federal cada vara tem um juiz titular e um juiz substituto. O cargo da Gabriela é juiz substituta o de Moro era juiz titular. O cargo de juiz titular é provido por promoção ou remoção. Quando Moro pediu exoneração o cargo ficou vago é Gabriela passou a cuidar dos processos enquanto o cargo de titular estava vago. Como expliquei no sumário de edição. Responder pelos processos não é ser titular é não é ocupar cargo. Como o Bonat vai ser removido para um cargo já ocupado? Ê óbvio que a Gabriela não é a sucessora de Moro na titularidade (que, salvo engano, sequer concorreu). A fonte inserida pelo primeiro editor dizia que Gabriela foi a sucessora nos processos da Lava Jato. Não é o ponto em discussão. A info caixa dizia que Moro foi Juiz Federal na 13 Vara Federal. Bonat foi removido para o cargo de titular de tal juízo em razão da exoneração de Moro. Logo? Agora, acho que deveria ser mantido apenas que ele foi Juiz Federal, sem referência ao juízo. Mas....FábioJr de Souza msg 00h20min de 22 de julho de 2019 (UTC)
Concordo com retirar a referência ao juízo. Como falei acima, parece mais lógico e evitaria controvérsias desnecessárias. Sphynx-SN (discussão) 03h35min de 22 de julho de 2019 (UTC)

Disparate?Editar

Fazendo pequenos ajustes estéticos percebi que após esta edição do Bageense foi inserido este comentário: <!--revelações de imparcialidade publicadas pelo jornalista investigativo [[Glenn Greenwald]] tem que serem ocupatadas do leitor a qualquer custo-->. Luizpuodzius você copiou isso sem querer de algum lugar onde pegou as fontes? Assumo que tenha sido engano e não algo direcionado ao colega. Caso contrário sugiro resolver as discordâncias por aqui. Não estou mais acompanhando nem esse artigo nem o caso envolvendo o biografado, mas se os colegas julgarem útil posso inteirar-me a tentar trazer algo à discussão. Sds Saturnalia0 (discussão) 23h48min de 6 de agosto de 2019 (UTC)

Saturnalia0 Não sou um editor ativo nesse artigo. Apenas dou uma olhada às vezes... Mas percebo que o artigo está indo por um caminho em que poderá deixar de ser um artigo sobre Sergio Moro para um artigo sobre as controvérsias envolvendo ele. É óbvio que tudo que tenha relevância enciclopédica pode estar no artigo, mas acho que está "tomando conta" do artigo. Apenas uma reflexão.FábioJr de Souza msg 00h15min de 7 de agosto de 2019 (UTC)
@Saturnalia0: Peço desculpas por ter de te reverter, mas eu não poderia reverter o Luizpuodzius sem ter de reverter a ti também. Esse editor usou as mesmas referências que tinha usado antes (quando o reverti pela primeira vez) só que fora de contexto, querendo dar a entender que a notoriedade internacional do Moro foi possível por causa dos áudios vazados pelo Greenwald. Fora de contexto porque o texto em seguida diz que a notoriedade veio por causa da atuação do juiz na Lava Jato. Portanto, peço que você ignore e reverta o SPAM que esse editor frequentemente coloca nos artigos. A Wikipédia não é playground. --Bageense(fala) 00h26min de 7 de agosto de 2019 (UTC)
Eu creio que quando um editor que "frequentemente coloca SPAM nos artigos, essa atitude deve ter consequencias. É óbvio e claro que que no primeiro parágrafo é primordial que apenas uma razão deve ser incluída para justificar a enorme notoriedade nacional e internacional para alguns. Para alguns espíritos parciais ao bibliografado a única razão aceitável deve ser "por comandar, entre março de 2014 e novembro de 2018, o julgamento.." de Lula. Nesse modo venal e parcial de pensar, o fato de que a enorme notoriedade nacional e internacional vinda das revelações de imparcialidade publicadas pelo jornalista investigativo Glenn Greenwald deve ser descrito como SPAM. Hitler ganhou notoriedade por se tornar primeiro ministro, alguns espíritos parciais ao bibliografado dizem que todas as atrocidades e informações negativas que vieram DEPOIS devem ser removidas de seu artigo. Interessante, ne'? Dr. LooFale comigo 18h23min de 7 de agosto de 2019 (UTC)
Moro ganhou notoriedade por causa da Lava Jato. Quando os vazamentos foram divulgados, Moro já era uma figura conhecida. PS: Não esperava um Reductio ad Hitlerum tão cedo assim na discussão. --Bageense(fala) 18h44min de 7 de agosto de 2019 (UTC)
Mas eu concordo plenamente com seu argumento. Hitler ganhou notoriedade por causa de ser Primeiro Ministro. Quando a Segunda Guerra Mundial na Europa e o Holocausto aconteceu, Hitler já era uma figura conhecida. Dr. LooFale comigo 19h09min de 7 de agosto de 2019 (UTC)

Jurista?Editar

Sérgio Moro não é nunca foi considerado um jurista. Dornicke (discussão) 13h01min de 8 de agosto de 2019 (UTC)

Realmente. Quando a proteção do artigo expirar,, aí alguém, ou eu mesmo, remove a informação. --Bageense(fala) 14h01min de 8 de agosto de 2019 (UTC)
A definição no próprio artigo "jurista" é a seguinte: "toda pessoa que dependa de bacharelado, licenciatura em Solicitadoria ou licenciatura em Direito para atuar profissionalmente. A esfera pública possui diversas espécies desta profissão como o promotor, procurador, juiz (em que estão inclusos desembargador e ministro do Judiciário), defensor público e delegado." É evidente que ele se enquadra. Sphynx-SN (discussão) 00h03min de 12 de agosto de 2019 (UTC)
Aproveitando a deixa, o que realmente me causa estranhamento no cabeçalho é indicar Moro como escritor. Ok, ele publicou alguns livros, mas todos na área do direito, o que se insere na atividade de jurista e de professor universitário. Qualquer professor de direito com notoriedade para ter um verbete na Wiki tem muitos livros publicados, mas nem todos são classificados como escritores, a menos que tenham uma atuação literária ou editorial independente da atividade jurídica (p. ex. Raimundo Faoro). Sphynx-SN (discussão) 00h30min de 12 de agosto de 2019 (UTC)
@Sphynx-SN: Trata-se de um vício da Wikipédia, chamar qualquer um que publicou qualquer coisa de "escritor". --Bageense(fala) 00h46min de 12 de agosto de 2019 (UTC)

Solicitação de ediçãoEditar

Favor incluir o seguinte código ao topo da seção Sérgio_Moro#Vazamento_de_conversas_pelo_The_Intercept::

{{Divisão|Vaza Jato|secção=y|discussão=Discussão:Controvérsias envolvendo a Operação Lava Jato#Vaza Jato}}

Fgnievinski (discussão) 02h03min de 18 de agosto de 2019 (UTC)

Não se propõe divisões para artigos que não existem. Crie o artigo antes (mesmo que provavelmente ele seja apgado) --Bageense(fala) 02h35min de 18 de agosto de 2019 (UTC)
@Bageense: Não há nada em Ajuda:Guia de edição/Divisão instruindo que o verbete destino da divisão proposta precise já existir; portanto, mantenho a solicitação de edição. Fgnievinski (discussão) 17h35min de 18 de agosto de 2019 (UTC)

───────────────────────── A discussão está centralizada em: Discussão:Controvérsias_envolvendo_a_Operação_Lava_Jato#Vaza_Jato. Fgnievinski (discussão) 00h40min de 19 de agosto de 2019 (UTC)

Regressar à página "Sérgio Moro".