Abrir menu principal

Estação Prefeito Celso Daniel - Santo André

CPTM icon.svg Prefeito Celso Daniel–Santo André
Visão das plataformas da estação, em setembro de 2014.
Uso atual Bahn aus Zusatzzeichen 1024-15.svg Estação de trens metropolitanos
Proprietário Bandeira do estado de São Paulo.svg Governo do Estado de São Paulo
Administração RFFSA (1975–1984)
CBTU Logo2.svg CBTU (1984–1994)
CPTM icon.svg CPTM (1994–atualmente)
Linhas 10turquoise.png Turquesa
10turquoise.png Expresso Linha 10
10turquoise.png Expresso Linha 10+
Expresso Turístico
Estrada de Ferro Santos-Jundiaí
(SPR, 1867–1946)

Estrada de Ferro Santos-Jundiaí
(RFFSA, 1946–1992)

Código SP-2084
Sigla SAN
Posição Superfície
Níveis 2
Plataformas Lateral (1)
Centrais (2)
Vias Cinco
Altitude 743,6 m acima do nível do mar
Movimento em
2016
Média de 54,1 mil passageiros por dia
Zona tarifária Única (R$ 4,00)
Serviços Acesso à deficiente físico Banheiro Venda de Bilhetes Achados e Perdidos Centro de Informações Bicicletário
Conexões EMTU - Symbol logo.png Corredor Metropolitano Berrini - Diadema - São Mateus da EMTU
Site CPTM icon.svg Linhas da CPTM
Informações históricas
Nomes antigos São Bernardo
Santo André
Inauguração 16 de fevereiro de 1867 (152 anos)
Fechamento Meados de 1977 (42 anos)
Inauguração da
atual edificação
6 de março de 1979 (40 anos)
Projeto arquitetônico Rede Ferroviária Federal
Intervenções plásticas Companhia Paulista de Trens Metropolitanos
Localização
Localização Gnome-globe.png Estação Pref.º Celso Daniel - Santo André
Endereço Rua Itambé, 87 - Centro
Município BandeiraSantoAndre.svg Santo André
País  Brasil
Próxima estação
Sentido Brás 10turquoise.png Sentido Rio Grande da Serra
Prefeito Saladino Capuava
Pref. Celso Daniel–Santo André
Sentido Tamanduateí/Luz 10turquoise.png Sentido Pref. Celso Daniel–Santo André
São Caetano do Sul–Pref. Walter Braido -
Pref. Celso Daniel–Santo André
Mapa diagrama-da Linha-10.png

A Estação Prefeito Celso Daniel–Santo André, ou extraoficialmente apenas Santo André, é uma estação ferroviária, pertencente à Linha 10–Turquesa da CPTM. A estação está localizada no centro do município de Santo André, na Região do Grande ABC.

HistóriaEditar

 
A estação à época de sua inauguração, em foto de Militão de Azevedo.

A estação foi inaugurada em 16 de fevereiro de 1867, fazendo parte da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí. À época, era chamada de Estação São Bernardo, visto que o distrito de Santo André ainda não existia e a freguesia mais próxima era a de São Bernardo. Entretanto, a estação foi fundamental para o que hoje é a cidade de Santo André. O distrito foi criado em 1910 e elevado a município em 1938. Entretanto, a antiga designação permaneceu até 1934.[1]

Com o crescimento da Região Metropolitana de São Paulo, a estação foi gradualmente priorizando o serviço dos trens urbanos. Em 1975, dos 6.780.434 passageiros da estação, 95% eram dos chamados trens de subúrbio. Em 1977, a estação original foi demolida. A nova estação teve suas obras iniciadas em 1972, sendo construída pela empresa Engeral - Engenharia e Obras S.A. ao valor de 11.520.000,00 cruzeiros, com previsão de término para agosto de 1977.[2]

Após atrasos, a estação foi inaugurada em 6 de março de 1979.[3] Os trens que passavam pela estação deixaram de ir até Santos em 1996. Em dezembro de 2002, após o assassinato do prefeito Celso Daniel, a estação foi renomeada pela Câmara Municipal de Santo André com o atual desígnio.[1]

CaracterísticasEditar

Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
SAN Prefeito Celso Daniel–Santo André 16 de fevereiro de 1867 Bilhete Único da SPTrans Laterais e centrais Superfície Chamava-se apenas Santo André até 2002.
Reconstruída pela RFFSA

Diagrama da estaçãoEditar

Diagrama da Estação Prefeito Celso Daniel–Santo André
Sentido Brás
1

a
2

b

c
3

d

e
Sentido Rio Grande da Serra

Legenda

                     Linha ferrêa

  Plataforma


Linhas

Plataforma 1: Expresso Turístico da CPTM
Plataforma 1, 2 e 3: Linha 10–Turquesa da CPTM
Via a: Sentido Brás (Embarque e desembarque)
Via b: Sentido Tamanduateí/Luz (Apenas embarque, Expresso Linha 10 e Linha 10+)
Via c: Sentido Santo André (Apenas desembarque, Expresso Linha 10 e Linha 10+)
Via d: Sentido Rio Grande da Serra (Embarque e desembarque)
Via e: Não utilizada
(Obs.: Esquema de utilização das plataformas pode variar dependendo do horário de pico.)

ProjetosEditar

A CPTM realizou em 2004 a contratação de um projeto visando a reconstrução de 39 estações, divididas por 10 lotes. A estação Santo André foi incluída no lote 5, ao lado da estação São Caetano. O Lote 5 foi vencido pelo Consórcio EGT/Copem, pelo valor de 438.612,20 reais. Os projetos foram apresentados em audiências públicas realizadas pela CPTM em junho de 2007. Posteriormente foram incluídos em um pedido de financiamento à União através do PAC 2- Mobilidade Urbana. Por conta da Crise econômica no Brasil desde 2014, o projeto não saiu do papel.[4][5][6]

Obra de arteEditar

Em 1991 a CBTU recebeu do Banco Nacional um painel mosaico do artista plástico Alex Flemming. Constituído de pastilhas, o mosaico reproduz um desenho de duas cabeças. A obra foi instalada no saguão de entrada oeste da estação, ao lado das bilheterias.[7]

Referências

  1. a b Giesbrecht, Ralph. «Santo André (antiga São Bernado)». Estações Ferroviárias do Brasil. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  2. «RFFSA remodela suas estações». Folha de S.Paulo, ano LVI, edição 17229, página 20. 14 de maio de 1976. Consultado em 14 de novembro de 2019 
  3. Rede Ferroviária Federal S. A. (1979). «Subúrbio da Grande São Paulo». Relatório Anual, página 29/Ministério dos Transportes/Internet Archive. Consultado em 2 de agosto de 2018 
  4. «HOMOLOGAÇÃO-CONCORRÊNCIA Nº 8292402011» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo. 12 de abril de 2005. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  5. «CPTM promete novos trens para o ABC-Reformas». Repórter Diário. 4 de novembro de 2014. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  6. Caio Lobo (6 de dezembro de 2017). «Verba do PAC cai e afeta projetos de mobilidade em São Paulo». Via Trólebus. Consultado em 2 de agosto de 2019 
  7. Edison Veiga (5 de agosto de 2013). «O artista do metrô na CPTM». Estadão. Consultado em 4 de novembro de 2019 

Ligações externasEditar