Abrir menu principal

Expresso Turístico

Trem turístico da CPTM
Expresso Turístico
220px
Logo do Expresso Turístico.
Estaçao jundiai 16.jpg
Composição do Expresso Turístico.
Informações
Local Macrometrópole de São Paulo
Tipo de transporte Ferroviário
Número de linhas 3
Número de estações 5
Tráfego 955 viagens até 2018
Tráfego anual 13.175 passageiros (2018)[1]
Sede São PauloSão Paulo, SP, Brasil
Website Expresso Turístico
Funcionamento
Início de funcionamento 18 de abril de 2009 (10 anos)
Operadora(s) CPTM
Dados técnicos
Extensão do sistema 170 km (106 mi)[2]
Bitola 1,60 m (5,25 ft)
Velocidade média 40 km/h

O Expresso Turístico é um projeto da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, de um trem turístico que faz viagens entre a Estação da Luz, em São Paulo, e Paranapiacaba, Mogi das Cruzes e Jundiaí, com o objetivo de mostrar e divulgar a história das ferrovias e dos trens, os quais impulsionaram a capital e as cidades que fazem parte da malha ferroviária paulista[3].

CaracterísticasEditar

O expresso forma uma grande malha turística ao longo das linhas da CPTM, fazendo a ligação entre a capital paulista e o distrito histórico de Paranapiacaba, na serra do mar, em Santo André; com o Circuito das Frutas do interior paulista, a partir do município de Jundiaí; e com o Circuito das Flores no município de Mogi das Cruzes.

O trajeto é percorrido por locomotivas diesel-elétrica ALCO RS-3 (6001 e 6004) e GE U20C (3157 e 3159) da CPTM, com pintura personalizada e que trafegam a cerca de 40 quilômetros por hora. Estas conduzem carros de passageiros de aço inoxidável BuddMafersa 800 para longos percursos, com capacidade de 88 e 87 pessoas (PI 3253 e SI 3255), fabricados no ano de 1962. O trajeto até Mogi das Cruzes também conta com um vagão bicicletário com 45 posições.

Estes carros foram cedidos pela ABPF e pertenceram a antiga EFA e a Fepasa. Atualmente mais dois carros de passageiros (SI 3254 e SI 3259) se encontram em reforma para se juntarem ao Expresso[4].

 
Expresso Turístico na Estação da Luz.

Trajetos AtuaisEditar

LuzJundiaíEditar

 
Expresso Turístico da CPTM na Estaço ferroviária de Jundiaí.

A 60 km da capital, Jundiaí e cidades vizinhas reservam uma série de atrações, como o Museu Ferroviário, da Cia Paulista de Estradas de Ferro, que praticamente desenhou o mapa ferroviário do interior de São Paulo, as belezas naturais da Serra do Japi com suas trilhas e caminhadas, e o Circuito das Frutas, uma viagem pelos produtores de uva, morango, caqui, figo, etc, localizados nos municípios da região. Há ainda outros aspectos de interesse turístico, como a arquitetura local, parques e feiras de artesanato.

Partindo da centenária Estação da Luz, no centro de São Paulo, o turista viajará pela primeira ferrovia paulista que ligava Santos à Jundiaí, inaugurada em 1867 e operada pela CPTM desde 1994. Durante o trajeto até Jundiaí será possível observar algumas estações cuja arquitetura da época da inauguração se mantém preservada, como Perus, Caieiras e Jundiaí. A tipologia das construções, como estações, oficinas, depósitos, residências de funcionários ao longo das linhas, bem como equipamentos complementares como passarelas, bancos, bilheterias, postes de iluminação e placas de sinalização, evidenciam um sistema tecnológico completo, tipicamente britânico. Na medida em que o trem se afasta da capital, os viajantes também têm a oportunidade de passar por áreas verdes e cenários interioranos.

LuzMogi das CruzesEditar

 
Vagão do expresso em Mogi das Cruzes.

Entre as atrações oferecidas pela cidade estão o Circuito das Flores, a Feira de Artesanato e a secular igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo, além de outras opções que serão estudadas pela Prefeitura, com o objetivo de incrementar o turismo na região.

O município está localizado a 48 km da Capital, na região leste da Grande São Paulo, e é cortado pelas serras do Mar, do Itapeti e pelo Rio Tietê. Sua referência é o marco zero, um obelisco na Praça Coronel Almeida, em frente à Catedral de Sant’anna. São 721 km² de extensão territorial, com cerca de 370 mil habitantes.

LuzParanapiacabaEditar

 
Composição na nova estação do Expresso Turístico em Paranapiacaba.

O trajeto LuzParanapiacaba, a charmosa vila que foi testemunha de uma importante fase de expansão da tecnologia no Brasil, está nos planos do Expresso Turístico. Lá, o turista poderá conhecer as diversas atrações da vila que já se candidatou a Patrimônio Mundial da Humanidade, o Museu do Castelinho, o Centro de Documentação em Arquitetura e Urbanismo, o Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba, a Casa Fox, o Museu do Funicular, a Casa da Memória, o Centro de Visitantes, o Clube União Lyra Serrano e o Antigo Mercado. Além disso, em datas especiais, é possível encontrar em operação, próximo ao 5º patamar, a segunda locomotiva mais antiga do Brasil, que pertenceu à SPR e hoje integra o acervo da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária. No mês de julho, acontece o tradicional Festival de Inverno de Paranapiacaba, que reúne estrelas da MPB, rock, música clássica e atrações internacionais.

Também parte da primeira ferrovia paulista, a linha até Paranapiacaba proporciona ao turista uma viagem no tempo. Na passagem pelo Memorial do Imigrante é possível avistar alguns trens antigos – incluindo uma Maria Fumaça que ainda funciona, porém infelizmente a associação que cuida das composições as picharam, retiraram bancos e usam os carros e vagões para promover festas acabando com o patrimônio ferroviário. A Estação Ipiranga apresenta uma cena do Grito de Independência, retratado pela dupla de grafiteiros “OsGemeos”, conhecida internacionalmente. Já as estações Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra ainda conservam a arquitetura oitocentista da época da inauguração.

A viagem inclui uma parada na estação Prefeito Celso Daniel – Santo André, para embarque de passageiros.

Trajetos FuturosEditar

Há planos para mais quatro novos roteiros turísticos. Um roteiro ligando a Luz a cidade de São Roque, onde há o Roteiro do Vinho, e outros três (durando um final de semana) ligando a Luz a estância climática de Campos do Jordão, com conexão na cidade de Pindamonhangaba, onde se faz a transferência para os trens da EFCJ, o outro ligando a Luz até a cidade de Aparecida do Norte, onde há o Santuário de Nossa Senhora Aparecida, e mais um roteiro ligando a Luz a litorânea Santos descendo e subindo a Serra do Mar, além de atender os usuários da Baixada Santista. Porém, esses projetos dependem da autorização da ANTT, além da Rumo Logística (Trecho Luz/São Roque) e da MRS Logística (Trecho Luz/Aparecida).

Luz ↔ São RoqueEditar

O trajeto Luz - São Roque será um próximo roteiro de Final de semana, mas devido a diferença de bitola (larga no trecho operado da CPTM e métrica no trecho entre Itapevi e São Roque), haverá necessidade de uma parada na estação Itapevi para transbordo de passageiros. Esse transbordo deve ocorrer de forma agradável e em plataforma segregada dos trens metropolitanos. A implantação desse roteiro necessita aprovação da ANTT, bem como a anuência da Rumo Logistica.

Luz ↔ Campos do JordãoEditar

O trajeto Luz - Campos do Jordão deverá ter partidas as sextas-feiras no início da tarde (com trajeto rodoviário de Pindamonhangaba até Campos do Jordão) ou da noite (com pernoite em Pindamonhangaba, para que os passageiros prossigam na manhã seguinte para Campos do Jordão, pelo trem da Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ), e o retorno será sempre aos domingos, com opções de percurso ferroviário ou rodoviário. A implantação desse roteiro necessita aprovação da ANTT, bem como a anuência da MRS Logistica e integração operacional com a EFCJ.

Luz ↔ AparecidaEditar

O trajeto Luz - Aparecida deverá ter partidas as sextas-feiras no início da tarde ou da noite sem escalas, nem conexão. O retorno será aos domingos de tarde, com opções de percurso ferroviário ou rodoviário. A implantação desse roteiro necessita aprovação da ANTT, bem como a anuência da MRS Logistica.

Luz ↔ SantosEditar

Em junho de 2019, A empresa confirma estudo de uma nova rota, levar um trem até a Baixada Santista (o que não ocorre há 40 anos atrás) os trens deverão sair da Estação da Luz com 3 carros, com escala em Paranapiacaba para colocarem mais 2 carros no total de 5 carros e depois, descem até o terminal de Navios Cruzeiros em Santos, o trajeto deverá entrar em vigor ainda em 2019[5].

Ver tambémEditar

Referências

  1. http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/em-2018-expresso-turistico-da-cptm-atendeu-mais-de-13-mil-turistas/
  2. CPTM. «Site do Expresso Turístico. - Expresso Turistico». Consultado em 19 de Novembro de 2011. Arquivado do original em 14 de novembro de 2011 
  3. «Expresso Turístico». CPTM. Consultado em 2 de dezembro de 2018. Arquivado do original em 23 de maio de 2016 
  4. «Vagões são retirados da Estação Ferroviária de Bauru e levados para SP». G1. 29 de junho de 2018 
  5. «CPTM estuda expresso turístico para Santos». UOL. 22 de junho de 2019 
  Este artigo sobre transportes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.