Abrir menu principal

Estado islâmico

(Redirecionado de Estado Islâmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Estado islâmico (desambiguação).
Mapa-múndi dos países do mundo islâmico:
  Estados islâmicos
  Estados confessionais cuja religião oficial é o Islã
  Outros Estados com maioria muçulmana

Estado islâmico (em árabe: دولة إسلامية; transl.: dawlah islāmiyah) é um tipo de governo que se fundamenta na aplicação da lei religiosa islâmica, ou "charia". Desde o início do Islão que diversos governos foram fundados como islâmicos. Entre os primeiros Estados islâmicos, assinala-se aquele o próprio califado fundado pelo profeta Maomé e os sucessivos governos sob domínio de um califa (ou "sucessor" de Maomé).[1]

No entanto, desde o século XX que o termo "Estado islâmico" apresenta uma conotação específica, e cujo conceito moderno tem vindo a ser articulado e promovido por ideólogos como Abul Ala Maududi, Israr Ahmed, Ruhollah Khomeini ou Sayyid Qutb. Tal como a anterior noção de califado, o Estado islâmico moderno tem por base a lei islâmica e é moldado de acordo com o governo de Maomé. No entanto, ao contrário dos antigos califados, que eram monarquias déspotas, um Estado islâmico moderno pode incorporar instituições políticas modernas, como a realização de eleições, parlamentos, poder judicial ou soberania popular.

Atualmente, diversos países islâmicos incorporaram a lei islâmica nos seus sistemas jurídicos, total ou parcialmente. Alguns Estados muçulmanos declaram na constituição o Islamismo enquanto religião de Estado, embora não apliquem a lei islâmica nos tribunais. Os Estados islâmicos que não sejam monarquias são geralmente referidos como repúblicas islâmicas.

Não é obrigatório um Estado Islâmico unificar jurisprudências de processos a revelia da religião dos litigiosos, ter pautas de direita e defender um sectarismo religioso.[2]

Índice

O estado islâmico históricoEditar

O primeiro Estado islâmico foi a entidade política estabelecida por Maomé em Medina em 622 d.C., sob a chamada Constituição de Medina. Representava a unidade política da Ummah (nação) muçulmana. Foi subseqüentemente transformado no califado pelos discípulos de Maomé, que eram conhecidos como os Califas Corretamente Guiados.(632-661 DC) .O Estado Islâmico expandiu-se significativamente sob o Califado Omíada (661–750 DC) e depois sob o Califado Abássida (750–1258 DC).

Referências

  1. Ashgar, Ali (2006). The State in Islam: Nature and the Scope. [S.l.]: Pinnacle Technology. p. 91. ISBN 9781618200822 
  2. Hezbollah’s New Political Platform Fawwaz Traboulsi, publicado originalmente em Z Net, 24 de janeiro de 2010

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre o Islamismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.