Abrir menu principal

Força Aérea da Suécia

Força Aérea da Suécia
Flygvapnet
Flygvapnet vapen bra.svg
Brasão de Armas da Força Aérea da Suécia
País  Suécia
Corporação Forças Armadas da Suécia
Subordinação Ministério da Defesa
Missão Defesa aérea da Suécia
Denominação Flygvapnet
Sigla FV
Criação 1926
Aniversários 1 de Julho
Marcha Flygvapnets Defileringsmarsch
(Marcha da Força Aérea da Suécia)
História
Guerras/batalhas Guerra de Inverno[1]
Crise do Congo
Guerra do Afeganistão
Intervenção militar na Líbia em 2011
Insígnias
Cocar Roundel of Sweden.svg Roundel of Sweden – Low Visibility.svg
Distintivo de cauda Flag of Sweden.svg
Comando
Comandante Micael Bydén, 2014–
Sede
Internet Força Aérea da Suécia

A Força Aérea da Suécia (em sueco: Flygvapnet) é o ramo aéreo das Forças Armadas da Suécia.

HistóriaEditar

A Força Aérea da Suécia foi criada em 1 de julho de 1926, quando as unidades de aeronaves do Exército e da Marinha foram mescladas. Devido à escalada das tensões internacionais durante a década de 1930, a força aérea foi reorganizada e ampliada de 4 para 7 esquadrões.

Quando a Segunda Guerra Mundial eclodiu, em 1939, uma expansão maior foi iniciada, e esta expansão substancial não foi concluída até o final da guerra. Apesar de a Suécia nunca ter entrado na guerra, uma grande força aérea foi considerada necessária para afastar a ameaça de invasão e para resistir às pressões por meio de ameaças militares das grandes potências. Por volta de 1945, a Força Aérea Sueca tinha mais de 800 aeronaves prontas para o combate, incluindo 15 divisões de caças.

Um grande problema para a Força Aérea da Suécia durante a Segunda Guerra Mundial foi a falta de combustível. A Suécia era cercada na época por países em guerra, e não podia contar com petróleo importado.

Força Aérea da Suécia hojeEditar

Atualmente a Força Aérea da Suécia dispõe de três esquadrões de caças, um esquadrão de helicópteros e uma escola prática de combate aéreo, utilizando quatro bases aéreas permanentes e vários aeródromos de manobra. [2]
Como principal arma de combate tem 90 JAS-39 Gripen. [3]

AeronavesEditar

 
Caças JAS 39 Gripen suecos.
 
Um AEW&C Saab 340AEW.
 
Uma aeronave Hercules C-130 sueca.
 
O helicóptero utilitário Hkp 14 (NHIndustries NH90) da Suécia.
Nome Origem Tipo Designação Quantidade[4] Nota
JAS-39 Gripen   Suécia Caça multimissão
Treino de multimissão
Caça multimissão
Treino de multimissão
JAS 39A
JAS 39B
JAS 39C
JAS 39D
54
12
56
8
Dos 204 Gripens encomendados, 130 permanecem em serviço com pelo menos 60 a serem atualizados para o padrão E/F a partir de 2018[5]
Saab 105   Suécia Treinador a jato SK 60 80 Manutenção da Saab
Saab 340   Suécia Transporte
AWACS
TP 100
FSR 890
ASC 890
FSR TP
3
2
2
2
Eurocopter AS-332 Super Puma   União Europeia Transporte,
evacuação médica
HKP 10
HKP 10B
HKP 10D
7
3
2
Três HKP 10B mandados para o Afeganistão em 2010 para dar suporte as tropas
NHI NH90   União Europeia Transporte HKP 14 4 18 encomendados. Não estarão operacionais antes de 2017[6]
Boeing C-17 Globemaster III   Estados Unidos Transporte C-17A 3
AgustaWestland AW109   Itália Transporte HKP 15 20
UH-60 Black Hawk   Estados Unidos Combate, transporte, busca e salvamento HKP 16 13 15 encomendados. Todos entregues até 2020, substituirão os defasados HPK 14
Lockheed C-130 Hercules   Estados Unidos Transporte TP 84 8
Gulfstream IV   Estados Unidos SIGINT
VIP
S 102B
TP 102
2
2
Gulfstream G550   Estados Unidos VIP TP 102D 25000
Elbit Skylark[7]   Israel SAUV Falken (Falcão) VANT
AAI RQ-7 Shadow[8]   Estados Unidos AUV 03 Örnen (Águia) VANT

UnidadesEditar

Esquadrões de caçasEditar

Existem três alas de caças:

HelicópterosEditar

FormaçãoEditar

  • LSS - Escola Prática de Combate Aéreo (em sueco: Luftstridsskolan) - Localizada no Aeroporto Militar de Ärna - Upsália; forma pessoal de combate, desenvolve materiais e métodos de combate, e executa controle contínuo do espaço aéreo sueco.[13]

ConflitosEditar

Intervenção militar na Líbia em 2011Editar

A Resolução 1973 do Conselho de Segurança das Nações Unidas autorizou a Suécia e outros países membros da OTAN a enviarem forças militares com o objetivo de criar uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia e apoiar os rebeldes na guerra civil contra o governo de Muammar al-Gaddafi. A Força Aérea da Suécia enviou 8 caças JAS-39 Gripen.[14]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Svenskt Militärhistoriskt Bibliotek. «I luftstrid över Lappland». Arquivado do original em 14 de julho de 2013 
  2. «Flygvapnet» (em sueco). Försvarsmakten (Forças Armadas da Suécia). Consultado em 20 de março de 2015 
  3. «Sista leverans av Jas 39C till flygvapnet» (em sueco). Försvarsmakten (Forças Armadas da Suécia). Consultado em 20 de março de 2015 
  4. Swedish military aviation OrBat
  5. Saab (21 de Janeiro, 2013). «Sweden to Buy 60 Gripen E Fighters». defencetalk.com. Consultado em 5 de Junho, 2013  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  6. SvD NYHETER (22 de Junho, 2010). «Utredare: Köp nya helikoptrar». svd.se. Consultado em 5 de Junho, 2013  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  7. Lukas Linné. «SUAV-systemet Falken». forsvarsmakten.se. Arquivado do original em 5 de julho de 2011 
  8. Niklas Ehlén. «UAV 03 Örnen». forsvarsmakten.se. Arquivado do original em 12 de novembro de 2011 
  9. «Skaraborgs flygflottilj - F 7» (em sueco). Försvarsmakten (Forças Armadas da Suécia). Consultado em 18 de fevereiro de 2015 
  10. «Bllekinge flygflottilj - F 17» (em sueco). Försvarsmakten (Forças Armadas da Suécia). Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  11. «Norrbottens flygflottilj - F 21» (em sueco). Försvarsmakten (Forças Armadas da Suécia). Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  12. «Helikopterflottiljen - Hkpflj» (em sueco). Försvarsmakten (Forças Armadas da Suécia). Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  13. «Luftstridsskolan» (em sueco). Försvarsmakten (Forças Armadas da Suécia) 
  14. "Sweden sends Gripens to join Unified Protector" By Craig Hoyle, FlightGlobal, 4 April 2011

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Força Aérea da Suécia