Abrir menu principal

Francisco José I da Áustria

Imperador da Áustria, Rei da Hungría, Croácia e Boêmia
(Redirecionado de Francisco José I)
Francisco José I
Imperador da Áustria
Rei da Hungria, Croácia e Boêmia
Reinado 2 de dezembro de 1848
a 21 de novembro de 1916
Antecessor(a) Fernando I & V
Sucessor(a) Carlos I & IV
Rei de Lombardo-Vênero
Reinado 2 de dezembro de 1848
a 12 de outubro de 1866
Predecessor Fernando I
Sucessor Monarquia abolida
 
Esposa Isabel da Baviera
Descendência Sofia Frederica da Áustria
Gisela da Áustria
Rodolfo, Príncipe Herdeiro
Maria Valéria da Áustria
Casa Habsburgo-Lorena
Nascimento 18 de agosto de 1830
  Palácio de Schönbrunn, Viena, Império Austríaco
Morte 21 de novembro de 1916 (86 anos)
  Palácio de Schönbrunn, Viena, Áustria-Hungria
Enterro Cripta Imperial, Viena, Áustria
Pai Francisco Carlos da Áustria
Mãe Sofia da Baviera
Religião Catolicismo
Assinatura Assinatura de Francisco José I
Brasão

Francisco José I (Viena, 18 de agosto de 1830 – Viena, 21 de novembro de 1916) foi o Imperador da Áustria e Rei da Hungria, Croácia e Boêmia de 1848 até à data da sua morte. De maio de 1850 a agosto de 1866, também foi presidente da Confederação Germânica. Reestabeleceu a ordem no império e restaurou o domínio da Áustria na Confederação Germânica. Seu reinado, que durou 68 anos, é o terceiro mais longo da história europeia, depois de Luís XIV de França e de João II de Liechtenstein. É o mais famoso monarca europeu do Século XIX, atrás apenas de Napoleão I da França.

Índice

Primeiros anosEditar

Francisco José nasceu nos arredores de Viena em 18 de agosto de 1830. Foi o filho primogênito do arquiduque Francisco Carlos, o segundo filho do imperador Francisco I e de Sofia da Baviera. Foi educado como herdeiro do trono do Império Austríaco, na qualidade de sucessor de seu tio, Fernando I.

Francisco José teve três irmãos mais novos: Fernando Maximiliano (nascido em 1832, foi imperador do México); Carlos Luís (nascido em 1833, pai de Francisco Ferdinando), e Luís Vítor (nascido em 1842). Teve também uma irmã, Maria Ana (nascida em 1835), que morreu aos quatro anos.

Na idade de 13, o jovem arquiduque Francisco José começou uma carreira como coronel do exército imperial austríaco. Daquele ponto em diante, sua moda foi ditada pelo estilo do exército e para o resto da sua vida, ele normalmente usava o uniforme de um oficial militar.

ReinadoEditar

Início do reinadoEditar

Subiu ao trono imperial da Áustria aos dezoito anos, em 1848, durante os movimentos revolucionários do Reino da Hungria e da unificação italiana, após a abdicação de seu tio Fernando I e da renúncia de seu pai. Adotou um estilo de vida austero, apesar do luxo do Palácio de Schönbrunn, embora mantivesse na corte um ambiente fausto de uma etiqueta estrita e de grandiosas cerimônias. Não possuindo a envergadura de um homem de Estado, demonstrou parcialidade na sua governação do império.

Até 1852, seu reinado sofreu influência do príncipe Karl Philipp de Schwarzenberg, que defendia uma política absolutista e centralizadora.

Com o apoio do exército, estabeleceu na primeira década do reinado um regime autoritário, que terminou em 1859 com a derrota da Áustria frente aos exércitos da França e do Reino da Sardenha, ao qual a Áustria teve de ceder o território da Lombardia, pelo Tratado de Villafranca. Francisco José teve de adoptar, então, uma política liberal.

Anexação da HungriaEditar

 Ver artigo principal: Compromisso austro-húngaro de 1867
 
Francisco José em 1910

Em 1849, restabeleceu a dominação austríaca na Lombardia-Venécia e na Hungria, beneficiando-se do apoio da Rússia. Tentou reorganizar o seu império sob o sistema do federalismo. As reivindicações nacionais de algumas regiões do império obrigaram-no a estabelecer novas instituições, menos opressoras. Apesar disso, em 1866, antes de conseguir seu intento de restaurar o prestígio internacional da Áustria, deflagrou contra a Prússia a Guerra dos Ducados do Elba (1863-1865). A derrota em Sadowa, em 1866, eliminou definitivamente os Habsburgos da política alemã.

A rebeldia dos húngaros obrigou Francisco José, em 1887, a abandonar a orientação absolutista e reaproximar-se dos húngaros, fazendo concessões substanciais ao Reino da Hungria, e reconhecendo o regime dualista, no qual a Hungria era reconhecida como Estado em pé de igualdade com a Áustria, unidos sob o mesmo monarca. Em 1867, foi coroado rei da Hungria, em Budapeste. Os eslavos, outro povo do império, entretanto não aceitaram a dupla submissão a austríacos e húngaros. A dependência da Áustria-Hungria com relação ao Império Alemão foi aumentando gradualmente e selou-se com a assinatura, em 1879, da dúplice aliança com o Império Alemão, à qual se juntou o Reino de Itália em 1882, criando-se assim a Tríplice Aliança, entidade política de grande importância até a Primeira Guerra Mundial. Em 1908, anexou a Bósnia e a Herzegovina.

O enfraquecimento do impérioEditar

A divisão étnica do império austríaco teve como consequência a reivindicação de independência dos checos, croatas, húngaros, sérvios e muitas outras nacionalidades. Após breve retorno à política opressiva, o imperador teve de instaurar o voto universal para a eleição do Reichsrat (parlamento).

Primeira Guerra e morteEditar

A influência do imperador era tanta que em 1903 teve participação decisiva na eleição do papa Pio X, após vetar o nome do cardeal siciliano Mariano Rampolla del Tindaro.[1]

Governara praticamente por decretos até que, em 28 de junho de 1914, o arquiduque Francisco Fernando foi morto num atentado em Sarajevo. Persuadido por um de seus ministros, Francisco José I consentiu em enviar um ultimato ao Reino da Sérvia. Foi declarada guerra à Sérvia (1914), o que desencadeou a Primeira Guerra Mundial. O Império Austro-Húngaro desmembrou-se e Francisco José I morreu, em 21 de novembro de 1916, no Palácio de Schönbrunn, dois anos antes de o seu império entrar em derrocada total O seu sucessor foi jovem imperador Carlos I, neto do seu irmão Carlos Luís.

Casamento e descendênciaEditar

Em 24 de abril de 1854, Francisco José casou-se com sua prima, a duquesa Isabel da Baviera (conhecida na família por Sissi), filha da sua tia Luísa Guilhermina e do duque Maximiliano da Baviera. Sissi, por quem Francisco José foi apaixonado, apesar das constantes desavenças, e que exerceu profunda influência sobre ele, deu-lhe três filhas e um varão.

AscendênciaEditar

Títulos e honrariasEditar

Estilo de tratamento de
Francisco José I da Hungria
 

Brasão da Hungria

Estilo Sua Majestade Apostólica
Estilo alternativo Sua Majestade
Estilo imperial de tratamento de
Francisco José I da Áustria
 

Brasão da Áustria

Estilo imperial Sua Majestade Imperial
Estilo alternativo Sua Majestade
Estilo imperial e real de tratamento de
Francisco José I da Áustria-Hungria
 

Brasão da Áustria-Hungria

Estilo imperial Sua Majestade Imperial
Estilo real Sua Majestade Apostólica
Estilo alternativo Sua Majestade
 
Monograma de Francisco José.

Sua Majestade Imperial, Real e Apostólica Francisco José I, pela Graça de Deus, Imperador da Áustria, Rei da Hungria, Rei da Boémia, Rei de Lombardo-Vêneto, de Dalmácia, Croácia, Eslovênia, Galícia, Lodoméria e Ilíria; Rei de Jerusalém, etc... Arquiduque da Áustria, Grão-Duque de Toscana e Cracóvia, Duque de Lorena e Salzburgo, de Estíria, Caríntia, Carníola e Bucovina; Grão-príncipe da Transilvânia; marquês da Morávia; Duque da Alta e da Baixa Silésia, de Módena, Parma e Placência e Guastalla, de Auschwitz, Zator e Teschen, Friul, Ragusa e Zara; conde de Habsburgo e Tirol, de Ciburgo, Gorízia e Gradisca; Príncipe de Trento e Brixen; marquês da Alta e da Baixa Lusácia e da Ístria; Conde de Hohenems, Feldkirch, Bregenz, Sonnenberg, etc...; Senhor de Trieste, de Cattaro, e de Marca Wendia; Grão Voivoda da Sérvia.

Condecorações austríacasEditar

Francisco José era Grão-Mestre das seguintes ordens de cavalaria:

Ele foi agraciado com as seguintes medalhas militares:

  • Medalha de Guerra
  • Cruz de Honra para 50 anos de serviço militar
  • Cruz Militar para o 60 º ano do reinado

Francisco José fundou a Ordem de Francisco José (Franz Joseph-Orde) em 1849, e a Ordem de Elizabeth (Elizabeth-Orden) de 1898.

Condecorações estrangeirasEditar

  •   Ordem do Milosh o Grande
  •   Cavaleiro da Ordem Suprema da Ordem da Santíssima Anunciada - 1869
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem dos Santos Maurício e Lázaro - 1869
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem da Coroa da Itália - 1869
  •   Cavaleiro da Ordem da Jarreteira - 1867 (expulso em 1915)
  •   Cadeia Real Vitoriana - 1904 (expulso em 1915)
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Real Ordem Vitoriana (expulso em 1915)
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem Militar de Max Joseph
  •   Cavaleiro da Ordem da Águia Negra
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem da Águia Vermelha
  •   Pour le Mérite ("Blue Max", a )
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Real Ordem Casa de Hohenzollern
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem do Infante Danilo I
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem Ludwig
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem do Leão da Noruega
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem Militar de St. Henry
  •   Cavaleiro da Ordem do Santos Cirilo e Metódio
  •   Cavaleiro da Ordem do Santo André
  •   Imperial Ordem de São Jorge , 4 ª classe
  • Meirinho de Honra e Devoção da Soberana Ordem Militar de Malta
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Equestrian Ordem do Santo Sepulcro
  •   Senador Grã-Cruz com Colar da Sagrada Militar Constantino Ordem de São Jorge
  •   Cavaleiro da Grande Cruz da Real Ordem de Kamehameha I - 1865
  •   Cavaleiro da Grande Cruz com Colar da Ordem Real de Kalākaua - 1878

Nomeações honoráriasEditar

  • Coronel-em-chefe, Primeiro Dragões de Guarda do Rei, Exército Britânico, 25 de março de 1896 a 1914
  • Coronel-em-chefe, Regimento de Granadeiros de Guarda-Vidas Kexholm, exército imperial alemão, até 26 de junho de 1914
  • Coronel-em-chefe, 12o. Regimento de Lanceiros Belgorod, exército imperial russo, até 26 de junho, 1914
  • Coronel-em-chefe, Hussardos do Schleswig-Holstein , exército imperial alemão
  • Coronel-em-chefe, 122o. Regimento de Fusilieiros Württemberg
  • Marechal de campo do Exército Britânico, 1 de setembro de 1903-1914

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Revista 30 dias - Na Igreja e no mundo - "Quando o veto do imperador favoreceu a eleição de um Papa santo"». Consultado em 31 de maio de 2009. Arquivado do original em 22 de dezembro de 2005 
  2. «Francis Joseph, Emperor of Austria > Ancestors». RoyaList. Consultado em 24 de julho de 2014 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Francisco José I da Áustria


Francisco José I da Áustria
Casa de Habsburgo-Lorena
18 de agosto de 1830 - 21 de novembro de 1916
Precedido por:
Fernando I & V
 
Imperador da Áustria

1848 - 1916
Sucedido por:
Carlos I, IV & III
 
Rei da Hungria

1848 - 1916
 
Rei da Boêmia

1848 - 1916
Precedido por:
Fernando I da Áustria
 
Presidente da Confederação Germânica

1850 - 1866
Sucedido por:
Guilherme I da Prússia
Presidente da Confederação da Alemanha do Norte