Igreja de Paderne

igreja em Paderne, município de Melgaço

A Igreja de Paderne, também conhecida como Igreja do Divino Salvador ou ainda Igreja do Convento de Paderne, localiza-se na freguesia de Paderne, no município de Melgaço, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Igreja de Paderne ou Igreja do Divino Salvador
Igreja de Paderne
Estilo dominante Arquitectura Românica
Religião Igreja Católica Romana
Diocese Diocese de Viana do Castelo
Património Nacional
DGPC 70177
SIPA 3617
Geografia
País Portugal Portugal
Região Minho
Local Melgaço
Coordenadas 42° 05' 23" N 8° 16' 27" O

Encontra-se classificada como Monumento Nacional desde 23 de Junho de 1910.[1]

HistóriaEditar

Inserida num convento, pertencente originalmente a uma ordem feminina benedita, numa comunidade a que D. Afonso Henriques passou carta de couto à abadessa D. Elvira Sarracins, em sinal de apreço pelo auxílio que lhe prestara na tomada do castelo de Castro Laboreiro, no ano de 1141, a fundação da ordem em Paderne é atribuída a D. Paterna, no século XI.

Um século depois, o convento passou a pertencer aos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho, sendo apenas aí iniciada a construção da igreja a pedido do então prior do mosteiro, D. João Pires, que havia recebido o couto em 1248, por ordem de D. Afonso III. Dezasseis anos depois, o edifício foi então finalizado e sagrado com missa pelo bispo de Tui, terra a qual se situava a diocese das igrejas da região.

No século XVII e no século XVIII, recebeu obras de reforma, que lhe alteraram as janelas, altares e ainda os revestimentos do interior.

Anos mais tarde, o mosteiro passou para a Congregação de Santa Cruz de Coimbra, sendo finalmente extinto por breve do Papa Clemente XIV, a 4 de Julho de 1770, e os religiosos transferidos para o Mosteiro de Mafra.

Em termos administrativos, em 1839 a igreja e convento situavam-se no antigo concelho de Valadares, extinto por decreto a 24 de Outubro de 1855, passando desde então a pertencer à comarca de Melgaço.

Pertence à Diocese de Viana do Castelo desde 3 de Novembro de 1977.[2]

Em 2021, vai ser reabilitado num investimento de 1.053.390,50 euros, sendo que os fundos comunitários garantem 500 mil euros. O objetivo da intervenção é colocar o monumento ao serviço da estratégia regional de atracão de visitantes. A igreja apresenta sinais alarmantes de conservação, tanto do edificado como do seu recheio artístico, que obrigam a intervenções urgentes com diversas patologias identificadas nos elementos constituintes da igreja e identificadas anomalias severas nas coberturas, nas paredes que apresentam graves problemas devido à má ventilação e ao obsoleto sistema de drenagem que não impede a água de entrar no interior da Igreja.

CaracterísticasEditar

Construída inicialmente em calcário, do traçado primitivo da igreja pouco sobreviveu às intensas reformas que sofreu desde a sua edificação no século XII, contudo ainda é possível encontrar, entre o granito utilizado, alguns vestígios originais no friso e em apenas um dos capitéis, localizado a nordeste do cruzeiro, que representa a descida de Cristo aos limbos.[3]

De planta cruciforme, em cruz latina, e no estilo românico, a igreja de Paderne apresenta uma fachada principal terminada em empena com um portal de ombreiras salientes, ricamente decoradas com capitéis pequenos e vários motivos florais ou vegetais, adicionados durante uma reforma, já no estilo gótico. Segundo os historiadores, a arcada exterior com arcos sobre o toro foi influenciada pelo estilo da Catedral de Ourense.[4] Anexada existe ainda uma torre, construída mais tarde como campanário para o convento.

No seu interior, existem algumas soluções arquitectónicas fora do habitual para a época, semelhantes no entanto às empregues pela ordem de Cister no Mosteiro de Fiães, como o uso duma cabeceira tripartida quadrangular e um proeminente transepto, cujo braço a norte alberga um outro portal de grandes dimensões virado a poente, sendo ainda pontuado, diante de si, pela única inscrição funerária medieval encontrada no edifício, referente a um enigmático R. Garcia. Em termos de decoração o seu estilo é protogótico. Para além destas particularidades, as suas paredes são revestidas por azulejos seiscentistas, sobrepostos por dois tipos de padrões, pilastras e ainda madeiras polícromas e barrocas. O seu retábulo-mor é construído em talha dourada de estilo nacional português e um outro, colocado a norte na abside, em estilo neoclássico.[5]

Apesar da igreja do Divino Salvador permanecer erguida após tantos séculos, do antigo convento a que pertencia, hoje em dia, apenas restam três faces do claustro, que mesmo em ruínas, ainda possuem alguns ricos pormenores arquitectónicos e geram visitas por parte dos mais curiosos.[6]

GaleriaEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. Base de dados SIPA
  2. «Paróquia de Paderne (São Salvador) - Arquivo Distrital de Viana do Castelo - DigitArq». digitarq.advct.arquivos.pt. Consultado em 10 de abril de 2019 
  3. «Igreja de Paderne - Melgaço». www.visitportugal.com. Consultado em 10 de abril de 2019 
  4. «DGPC | Pesquisa Geral». www.patrimoniocultural.gov.pt. Consultado em 10 de abril de 2019 
  5. «Igreja / Convento de Paderne – Portal Municipal de Melgaço». www.cm-melgaco.pt. Consultado em 10 de abril de 2019 
  6. «Monumentos». www.monumentos.gov.pt (em inglês). Consultado em 10 de abril de 2019 
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Igreja de Paderne

Ligações externasEditar