João Frederico, Duque de Saxe-Weimar

aristocrata alemão

João Frederico de Saxe-Weimar (Altemburgo, 19 de Setembro de 1600 – Weimar, 17 de Outubro de 1628) foi um duque de Saxe-Weimar.

João Frederico
Duque de Saxe-Weimar
Casa Wettin
Nascimento 19 de setembro de 1600
  Altemburgo, Eleitorado da Saxónia, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 17 de outubro de 1628 (28 anos)
  Weimar, Eleitorado da Saxónia, Sacro Império Romano-Germânico
Pai João II, Duque de Saxe-Weimar
Mãe Doroteia Maria de Anhalt

VidaEditar

João Frederico era filho de João II, Duque de Saxe-Weimar e da sua esposa, a princesa Doroteia Maria de Anhalt. Os seus irmãos eram os duques João Ernesto I "o jovem" de Saxe-Weimar, Frederico de Saxe-Weimar, Guilherme IV de Saxe-Weimar, Alberto IV de Saxe-Eisenach, Ernesto I de Saxe-Gota e Bernardo de Saxe-Weimar.

João Frederico recebeu uma excelente educação do capelão Kaspar von Teutleben e do conselheiro Friedrich Hortleder. Ao contrário dos seus irmãos, não andou na universidade, mas acompanhou o seu irmão Alberto IV de Saxe-Eisenach em 1619 na sua viagem educacional pela França e pela Suíça. Os dois irmãos foram acompanhados pelo Hofmeister Hans Bernd von Botzheim e pelo conselheiro Tobias Adami.

Juntamente com o seu irmão Alberto, João Frederico foi nomeado membro da Sociedade Frutífera por Luís I, Príncipe de Anhalt-Köthen, antes de os dois partirem na sua viagem educacional. Luís deu a João Frederico a alcunha de der Entzündete ("o inflamado") e o lema  verderbet und erhält ("estraga e recebe"). O seu emblema eram "molhos de palha num campo a arder, já meio queimados". Era o membro número 18.

Em 1622, João Frederico e o seu irmão Bernardo lutaram na Batalha de Wimpfen no lado de Baden. Três anos depois, o seu irmão João Ernesto, o jovem, foi promovido a coronel. Mais tarde, nesse mesmo ano, a luta pelo poder entre os irmãos subiu de tom por motivos políticos. O desentendimento acabou com a prisão de João Frederico, que seria libertado mais tarde. No entanto, em 1627 tentou juntar-se ao exército de Tilly. Foi apanhado e os seus irmãos voltaram a prendê-lo.

João Frederico sempre se interessou por Alquimia. A 16 de Outubro de 1628, quando ainda se encontrava preso, confessou por escrito que tinha feito um pacto com o diabo. No dia seguinte, foi encontrado morto na sua cela. Especula-se que se poderá ter suicidado ou ter sido assassinado, mas não se encontraram provas conclusivas para nenhum dos cenários. Nunca se realizou qualquer julgamento contra ele.

GenealogiaEditar

Os antepassados de João Ernesto I, Duque de Saxe-Weimar em três gerações[1]
João Ernesto I, Duque de Saxe-Weimar Pai:
João II, Duque de Saxe-Weimar
Avô paterno:
João Guilherme, Duque de Saxe-Weimar
Bisavô paterno:
João Frederico I da Saxônia
Bisavó paterna:
Síbila de Cleves
Avó paterna:
Doroteia Susana do Palatinado-Simmern
Bisavô paterno:
Frederico III, Eleitor Palatino
Bisavó paterna:
Maria de Brandenburg-Kulmbach
Mãe:
Doroteia Maria de Anhalt
Avô materno:
Joaquim Ernesto, Príncipe de Anhalt
Bisavô materno:
João V, Príncipe de Anhalt-Zerbst
Bisavó materna:
Margarida de Brandemburgo, Duquesa da Pomerânia
Avó materna:
Leonor de Württemberg
Bisavô materno:
Cristóvão, Duque de Württemberg
Bisavó materna:
Ana Maria de Brandenburg-Ansbach

RefênciasEditar

Ronald Füssel: Die Hexenverfolgungen im Thüringer Raum = Veröffentlichungen des Arbeitskreises für historische Hexen- und Kriminalitätsforschung in Norddeutschland, vol. 2, DOBU, Hamburg, 2003, p. 92 and p. 247 ff

  1. «European Heraldry :: Saxe-Weimar». www.europeanheraldry.org. Consultado em 19 de maio de 2016