Abrir menu principal

Wikipédia β

Jogos Olímpicos de Inverno de 2018

Evento multiesportivo realizado que ocorrerá em 2018, na Coreia do Sul.
Sports icon.png
Este artigo ou seção contém informações sobre um evento desportivo que ainda não ocorreu.
É provável que contenha informações de natureza especulativa, e seu conteúdo pode mudar drasticamente à medida que novas informações estiverem disponíveis.

Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, conhecidos oficialmente como os Jogos da XXIII Olimpíada de Inverno (francês: Les XXIIIeme Jeux olympiques d'hiver; Hangul: 평창 동계 올림픽; Hanja: 平昌 冬季 올림픽; RR: Pyeongchang Donggye Ollimpik), mais comumente PyeongChang 2018,[2] será um evento multiesportivo realizado no primeiro semestre de 2018 em PyeongChang, condado localizado na província de Gangwon, Coreia do Sul.

XXIII Jogos Olímpicos de Inverno
PyeongChang 2018
PyeongChang 2018 Winter Olympics.svg
Dados
Países participantes 84
Slogan Passion.Connected.
(pt: Paixão.Conectada.)[1]
País anfitrião  Coreia do Sul
Eventos 102 em 7 esportes
Cerimônia de abertura 9 de fevereiro
Cerimônia de encerramento 25 de fevereiro
Estádio principal Estádio Olímpico de PyeongChang
◄◄ Rússia Sóchi 2014 {{{evento}}} Pequim 2022 China ►►

A escolha da sede foi feita durante a 123ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional, que aconteceu em Durban, África do Sul, em 6 de julho de 2011. Outras cidades que também se candidataram para sediar os jogos foram Annecy na França e Munique na Alemanha. PyeongChang venceu após sua terceira tentativa consecutiva, tendo sido derrotada por Vancouver em 2010 e Sóchi em 2014.

Serão os primeiros Jogos Olímpicos de Inverno e os segundos Jogos Olímpicos na Coreia do Sul, após a realização dos Jogos Olímpicos de Verão de 1988 em Seul. PyeongChang será a terceira cidade da Ásia Oriental a sediar os Jogos Olímpicos de Inverno depois de Sapporo em 1972 e Nagano em 1998.

Índice

Processo de candidaturaEditar

PyeongChang, na Coreia do Sul, foi escolhida como sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 pelo Comitê Olímpico Internacional por meio de votação e recebeu um total de 63 votos, contra 25 de Munique e 7 de Annecy.

123ª Sessão
Comitê Olímpico Internacional
6 de julho de 2011, em Durban, África do Sul.
Cidade CON 1ª Rodada
PyeongChang   Coreia do Sul 63
Munique   Alemanha 25
Annecy   França 7

IngressosEditar

Os preços dos ingressos dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 foram anunciados em abril de 2016. Os valores variam entre 20 000 a 900 000 wons, sendo que em torno de 50% dos ingressos custam ₩ 80 000 ou mais. Para as cerimônias os valores serão entre ₩ 220 000 a ₩ 1,5 milhão. Os preços foram baseados em pesquisas e demandas registradas em edições anteriores e foram revelados que os preços para esportes que são relativamente desconhecidos ou não populares na Ásia como o luge e o biatlo serão mais acessíveis para tentar lotar as arenas e aumentar o interesse da população. A sessão com os preços mais caros é a final do hóquei no gelo masculino cujos os valores custarão entre ₩ 300 000 e ₩ 900 000. Na média dos preços, o esporte que terá os ingressos mais caros será a patinação artística, cujos valores vão de ₩ 150 000 a ₩ 800 000.[3]

A primeira fase de venda dos ingressos, iniciada em outubro de 2016, foi realizada somente para os residentes na Coreia do Sul.[3]

EventosEditar

102 finais em 15 disciplinas de inverno, organizadas em 7 esportes olímpicos estarão no programa dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018, incluindo as três modalidades da patinação (patinação artística, patinação de velocidade e patinação de velocidade em pista curta), as seis disciplinas do esqui (alpino, cross-country, estilo livre, combinado nórdico, salto de esqui e snowboard) e os três eventos de deslizamento sobre o gelo (bobsleigh, skeleton e luge). Os outros três esportes são o biatlo, o curling e hóquei no gelo.

Em junho de 2015, foi anunciada a adição de seis novos eventos ao programa dos Jogos Olímpicos de Inverno, que serão disputados pela primeira vez. São elas as provas da largada em massa na patinação de velocidade, as duplas mistas no curling e o evento paralelo de times mistos no esqui alpino. Em relação a 2014, um evento foi removido do programa com a substituição do slalom paralelo pelo big air no snowboard.[4]

Locais de competiçãoEditar

Os jogos serão realizados em dois clusters; um na área costeira de Gangneung, onde os eventos de gelo serão realizados, e outro no PyeonChang Alpensia Cluster, onde serão os eventos de neve.[5]

PyeongChang Alpensia Cluster (Cluster das Montanhas)Editar

O Resort de Alpensia será expandido para os Jogos:[5]

Gangneung Coastal Cluster (Cluster do Litoral)Editar

O Gangneung Coastal Cluster se localizará na cidade de Gangneung e sediará os eventos de gelo:[5]

Outros locaisEditar

ControvérsiasEditar

Mudança da grafiaEditar

Em 26 de janeiro de 2016, a prefeitura do condado anunciou que a grafia do nome da cidade foi alterada para evitar que atletas e turistas por engano viajassem a Pyongyang, capital da Coreia do Norte. O nome antes escrito com "c" minúsculo (Pyeongchang) passou a ser escrito com o "C" maiúsculo (PyeongChang).[6]

Boicote da NHLEditar

Em 3 de abril de 2017, a National Hockey League (NHL) anunciou que não autorizaria a participação de seus atletas nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018. Embora fosse "aberta a ouvir de qualquer outra parte que pudesse ter interesse na questão", a associação de jogadores da liga confirmou que "não tem interesse ou intenção de se envolver em qualquer discussão que possa tornar a participação olímpica mais atraente para os clubes" e que não agendaria uma pausa para as Olimpíadas na temporada 2017–18.[7] A principal desavença entre a NHL, a Federação Internacional de Hóquei no Gelo (IIHF) e o Comitê Olímpico Internacional era relacionado a quem iria pagar o seguro da participação dos jogadores. O COI concordou em assegurar os jogadores para as Olimpíadas de 2014 com um custo de 14 milhões de dólares, mas não estaria disposto a pagar novamente em 2018. A preocupação do COI foi motivada pelo fato de que se continuasse a cobrir os custos dos jogadores da NHL, outros órgãos profissionais também exigiriam tratamento similar. O comissário da NHL, Gary Bettman, observou que a NHL nunca se beneficiou da presença de seus jogadores nas Olimpíadas, acrescentando que "de fato, os jogos são cancelados por duas semanas, isso porque o COI nunca autorizou a nossa promoção do evento".[8][9]

Participação da RússiaEditar

A presença da delegação russa em PyeongChang estava incerto desde o início das investigações referentes ao escândalo institucional de doping executado durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, no próprio país.[10] Em 5 de dezembro de 2017, o Comitê Olímpico Internacional anunciou a suspensão do Comitê Olímpico Russo por tempo indeterminado e os atletas que já se classificaram terão que comprovar perante uma comissão da entidade que estão realmente limpos, devendo entrar numa lista elaborada por um painel liderado pela política francesa Valérie Fourneyron, além de membros do próprio COI, da Agência Mundial Anti-Doping, e do Comitê Anti-dopagem da SportAccord.[11][12]

Os competidores liberados irão participar como "Atletas Olímpicos da Rússia", com um uniforme neutro e a cada vez que ganharem uma medalha de ouro será tocado o hino olímpico e a bandeira olímpica hasteada.[13][14] No entanto, o presidente russo Vladimir Putin pode propor um boicote a competição caso seus atletas não possam participar sob sua bandeira.[15]

Referências

  1. Comitê Olímpico Internacional (16 de maio de 2015). «PyeongChang 2018 celebrates 1,000 days to go with new slogan» (em inglês). Consultado em 18 de maio de 2015 
  2. «Olympics: 2018 Winter Olympics … not in Pyongyang». Manila Bulletin. Agence France-Presse. 26 de janeiro de 2016. Consultado em 26 de janeiro de 2016 
  3. a b «Pyeongchang 2018 reveal ticket prices for Winter Olympic Games» (em inglês). Inside the Games. Consultado em 16 de fevereiro de 2017 
  4. «Winter Olympics: Big air, mixed curling among new 2018 events» (em inglês). BBC. Consultado em 16 de fevereiro de 2017 
  5. a b c d e http://www.pyeongchang2018.org/. «Venues» (em inglês). PyeonChang 2018 
  6. Globo.com (2016). «Sede dos Jogos de 2018 muda grafia para evitar confusão com Pyeongyang». G1. Consultado em 26 de janeiro de 2016 
  7. «NHL will not participate in 2018 Pyeongchang Olympic Games». Sportsnet.ca. Rogers Media. Consultado em 3 de abril de 2017 
  8. «Olympics and N.H.L. Face Off Over Who Pays to Insure Players». The New York Times. 19 de maio de 2016. Consultado em 21 de maio de 2016 
  9. «IOC decides not to cover costs for NHL players at Olympics». Sportsnet. 23 de abril de 2016. Consultado em 21 de maio de 2016 
  10. «With one year until 2018 Winter Games, Russia's status murky» (em inglês). ESPN. 9 de fevereiro de 2017. Consultado em 6 de dezembro de 2017 
  11. Ruiz, Rebecca; Panja, Tariq. «Russia Banned from Winter Olympics by I.O.C.». The New York Times. Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  12. Hobson, Will (5 de dezembro de 2017). «Russia banned from 2018 Olympics for widespread doping program». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  13. «IOC SUSPENDS RUSSIAN NOC AND CREATES A PATH FOR CLEAN INDIVIDUAL ATHLETES TO COMPETE IN PYEONGCHANG 2018 UNDER THE OLYMPIC FLAG». Comitê Olímpico Internacional. 5 de dezembro de 2017. Consultado em 6 de dezembro de 2017 
  14. «COI exclui Rússia dos Jogos de Inverno por conta do escândalo de doping». GloboEsporte.com. 5 de dezembro de 2017. Consultado em 6 de dezembro de 2017 
  15. «Russia Banned From Winter Olympics by I.O.C.». The New York Times. 5 de dezembro de 2017. Consultado em 6 de dezembro de 2017 

Ligações externasEditar