Abrir menu principal

Jorge Bodanzky

fotógrafo e cineasta brasileiro
Jorge Bodanzky
Nascimento 1942 (77 anos)
São Paulo
Cidadania Brasil
Filho(s) Laís Bodanzky
Alma mater Universidade de Brasilia
Ocupação roteirista, diretor de fotografia
Empregador Universidade Estadual de Campinas, Universidade de São Paulo

Jorge Bodanzky (São Paulo, 1942) é um cineasta, roteirista e fotógrafo brasileiro, filho de austriacos.[1]

Ingressou na Universidade de Brasília (Faculdade de Arquitetura), estudando com Athos Bulcão, Luiz Humberto e Amélia Toledo, entre outros. Com o golpe militar e o fechamento da UNB em 1965, foi para a Alemanha, cursando a Escola de Ulm[2] (Institut für Filmgestaltung an der Hfg Ulm), dirigida por Alexander Kluge[3].

Começou sua carreira como repórter fotográfico para o Jornal da Tarde, Donauzeitung Ulm, O Estado de S. Paulo e as revistas Manchete e Realidade, e na agência Maitiry, com Fernando Lemos.[4] É pai da também cineasta Laís Bodanzky.[5]

CinemaEditar

Como diretor e câmera, realizou documentários e filmes com Hector Babenco, Antunes Filho, Maurice Capovilla, José Agripino de Paula e Reinhard Kahn, entre outros.

Sua estreia como diretor de cinema foi com o documentário Iracema - uma transa amazônica[6] em 1976, o seu mais conhecido e premiado filme, considerado um marco no cinema documental que denunciava a questão, até então obscura, da devastação da floresta e do modelo equivocado de ocupação. Produzido para a ZDF da Alemanha, foi censurado por seis anos no Brasil.[7] Foi um mais premiados da década em festivais nacionais e internacionais. A partir daí, Bodanzky passou a se dedicar aos temas sobre o meio ambiente, realizando longa-metragens e, documentários para as televisões brasileira, alemã, francesa e italiana, como diretor, fotógrafo e produtor. Além disso, realizou vários outros trabalhos nesta área para o Ibama, UNESCO, governo do Amapá e Parque Nacional do Itatiaia (RJ).

Outros filmes foram Gitirana (1976), em produção com a ZDF; Jari (1980), assim como Os Mucker (1978), também foram realizados em coprodução com a ZDF, O Terceiro Milênio (1982); Igreja dos Oprimidos (1986); A Propósito de Tristes Trópicos (1990), para a FR3 da França; No Meio do Rio, Entre as Árvores (2010).

Seus últimos trabalhos são os documentários Pandemonium, Transanarquia e Sociologia da Crise, todos de 2011, produzidos para a CPFL[8]

Seu acervo fotográfico analógico foi adquirido pelo Instituto Moreira Salles (IMS) em 2013.

Filmografia[9]Editar

Diretor e roteirista
  • 1971 - Caminhos de Valderez
  • 1974 - Iracema - uma transa amazônica
  • 1975 - Gitirana
  • 1978 - Jakobine/Os Mucker
  • 1979 - Jari
  • 1980 - O terceiro milênio
  • 1982 - Amazônia, o Último Eldorado
  • 1985 - Igreja dos oprimidos
  • 1985 - Especial O tempo e o vento
  • 1986 - Ensaiando Brecht
  • 1987 - Igor, uma aventura na Antártica
  • 1988 - Universidade Quadrangular
  • 1990 - A Propósito de Tristes Trópicos
  • 1991 - Surfista de trem
  • 1991 - Flor do amanhã
  • 1991 - Noés da Amazônia
  • 1991 - Caça a baleia branca
  • 1995 - Série Ecovídeo
  • 2002 - Brasília, a utopia inacabada
  • 2005 - Navegaramazônia - Uma viagem com Jorge Mautner
  • 2005 - Era uma vez Iracema
  • 2009 - No meio do rio, entre as árvores
  • 2010 - Pandemonium
  • 2011 - Transanarquia
  • 2011 - Sociologia da crise
  • 2013 - Luar de Via Sônia
  • 2014 - Família
  • 2014 - Sapiens Demens
  • 2015 - Zuza, o Homem de Mello
  • 2015 - Photo Assis, o clique único de Assis Horta
  • 2019- Série para HBO Transamazônica uma estrada para o passado
  • 2019- Ruivaldo o homem que salvou a Terra
Fotógrafo

Atividades acadêmicasEditar

  • Professor de fotografia e câmera na ECA, USP 1969/71
  • Professor-titular de cinema na Fundação Álvares Penteado FAAP 1972/76
  • Professor de cinema e vídeo na UNICAMP 1986/87
  • Professor conveniado no CPCE UNB (Universidade de Brasília) 1988

MultimídiaEditar

  • CD-ROM Amazônia, um fantástico universo MMA, UNESCO, WWF (1996)
  • CD-ROM Brasil anos 60 - Uma câmera na mão e uma idéia na cabeça - Riofilme (1996)
  • CD-ROM Rio de Janeiro 500 anos, Arquivo da Prefeitura do Rio de Janeiro (1999)

Trabalhos para a InternetEditar

Principais prêmiosEditar

Referências

  1. Nosso Jornal - Jorge Bodansky – fotógrafo e cineasta
  2. Escola de Ulm
  3. Alexander Kluge
  4. MATTOS, Carlos Alberto. O Homem com a Câmera. São Paulo Coleção Aplauso - Imprensa Oficial, 2006
  5. «Sobre Nós». Buriti Filmes. Consultado em 30 de outubro de 2018  Texto " Laís Bodanzky " ignorado (ajuda)
  6. Iracema, uma transa amazônica no IMDB
  7. Cineasta Jorge Bodanzky é tema de mostra em Belém do Pará
  8. CPFL
  9. Quem é quem no cinema: Jorge Bodanzky

Ligações externasEditar