Abrir menu principal

Jurandir Freire Costa

Jurandir Sebastião Freire Costa(Pernambuco, 1944) nascido em uma vila operaria,hoje município de Camaragibe,médico psiquiatra, psicanalista com mestrado em etnopsiquiatria pela École Pratique des Hautes Études de Paris, pesquisador, palestrante, professor titular no Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e no Ministério da Saúde e é colaborador do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro. Em 1974, logo depois de voltar de um período de estudos da França, Jurandir entrou para o Departamento de Psiquiatria da UERJ, e pouco depois para o recém-inaugurado Instituto de Medicina Social. Atua principalmente nos seguintes temas: psicanálise, subjetividade, Winnicott, corpo e mente. Recentemente, tem se dedicado a temas como autismo e narrativa em primeira pessoa, déficit patológico e diversidade identitária.

Pernambucano, atua também como escritor, sendo autor de alguns livros influenciadores como Ordem médica e ordem familiar (Graal, 1981), Violência e Psicanálise (Graal, 1984), Psicanálise e contexto cultural (Campus, 1989).

Pensador da cultura e figura de marcada importância na formação do campo "psi" (psiquiatria, psicologia e psicanálise), vem sendo lido e ouvido por muitos, de diferentes gerações e profissões diversas nas últimas décadas. No campo da saúde mental, dificilmente suas obras não são de leitura obrigatória. Tem uma visão crítica das instituições psiquiátricas, assim como das intervenções burocratizantes dos técnicos de Saúde Mental, situando a importância, a contribuição e a estratégia da psicoterapia, em particular da Psicanálise, em suas possíveis contribuições ou benefícios para a vida dos pacientes como também para a sociedade como um todo.

"Penso que quando faço uma certa defesa da instituição psiquiátrica isso não significa que eu queira conservar o asilo como tal. Em primeiro lugar, quando falo de Psiquiatria, atribuo à palavra um sentido absolutamente diverso daquele que tem uma codificação universitária transmitida na formação médica através de manuais. Defendo que deve haver e deve continuar havendo a possibilidade de acolhimento específico para determinados momentos da vida das pessoas, que podemos chamar de psicoses ou de formas anômalas de viver as experiências humanas, no sentido de variação individual em relação a tipo específico. Nem todo mundo está preparado e equipado para conviver de forma produtiva com esses desvios da racionalidade. Por causa disso, não acredito que basta reenviar essas pessoas para o seu meio familiar e social para que tudo esteja solucionado. Não sou a favor dessa espécie de diluição na qual se pressupõe que todo mundo tem experiências humanas similares. Por outro lado, não posso aceitar e caucionar a idéia do asilo, porque ele é o leão de chácara do que a sociedade tem de pior. Neste caso, o asilo deve ser evidentemente destruído, mas não acho que nada deva ser posto no lugar.”[1]

Autor de ensaios reflexivos e até mesmo polêmicos, sua militância por uma saúde mental não normativa e seus posicionamentos e comentários sobre a cultura publicados em veículos de massa têm tido enorme presença no debate nacional de ideias.

Em "Psicanálise e contexto cultural", considera que a mediação teórica básica que tenha encontrado — sem contar outras possíveis que não tenha pesquisado — é a do conceito psicanalítico de imaginário. É através do imaginário que pode-se entender a construção da subjetividade historicamente contingente e socialmente determinada. Jurandir Freire Costa não se revela um psicanalista que se acomodou na repetição dos postulados freudianos, em vista de situar a psicanálise como mais uma produção cultural. A preocupação do autor em elucidar por quais vias perpassa o discurso psicanalítico; verifica-se em suas obras, pelo exemplo da noção freudiana de perversão.


LivrosEditar


Ligações externasEditar

  • Página oficial


|}
Precedido por
Cristovam Buarque / Annateresa Fabris e Alcir Pécora
Prêmio Jabuti - Ciências Humanas
1996
Sucedido por
Aziz Ab'Sáber
  1. costa, Jurandir. [1. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312014000401023 «Entrevista: Jurandir Freire Costa»] Verifique valor |url= (ajuda). Scielo. Consultado em 23 de março de 2019  horizontal tab character character in |url= at position 3 (ajuda)