Lúcio Funisulano Vetoniano

Lúcio Funisulano Vetoniano (em latim: Lucius Funisulanus Vettonianus) foi um senador romano nomeado cônsul sufecto para os meses de setembro a outubro de 78 com Quinto Corélio Rufo[1].

Lúcio Funisulano Vetoniano
Cônsul do Império Romano
Consulado 78 d.C.

CarreiraEditar

Vetoniano teve um começo de carreira pouco auspicioso ao ser escolhido como um dos tresviri capitales durante seu mandato entre os vigintiviri[2]. Depois foi tribuno da Legio VI Victrix e questor na Sicília. Em 62 foi novamente tribuno, desta vez da IV Scythica. Em algum momento o próprio Vetoniano comandou uma legião sob a liderança do general Lúcio Cesênio Peto durante a Guerra romano-parta de 58-63[3]. Derrotada na Batalha de Randeia, esta legião (e Vetoniano) caiu em desgraça.

Os cargos seguintes assumidos por Vetoniano foram civis: prefeito do Erário de Saturno, superintendente da Via Aemilia e superintendente dos aquedutos (curator aequarum). Todos estes postos só podem ter ocorrido depois da morte de Nero, o que pressupõe ainda que ele tenha sido reabilitado depois da desonra em Randeia. A prefeitura do erário pode ser datada com precisão entre 74 e 76[4], mas os postos restantes implicam um problema maior. Enquanto a prefeitura pode ser assumida por ex-pretor — e portanto pode ser assumida por Vetoniano antes de seu consulado — as superintendências geralmente eram assumidas por ex-cônsules (a dos aquedutos sempre era). Contudo, as inscrições as agruparam todas juntas como se Vetoniano tivesse assumido todos os postos antes de seu consulado. É possível que, como eram posições similares, faria sentido agrupá-las numa inscrição; outra hipótese é que Vetoniano tenha sido um adjunto do seu predecessor, Mânio Acílio Avíola, na superintendência dos aquedutos[5].

Depois de seu mandato como sufecto, Vetoniano foi nomeado governador da Dalmácia em 79 e ficou no posto até 84, a primeira de diversas províncias imperiais que ele governou em sucessão. Depois, foi governador da Panônia entre 85 e 86 e da Mésia Superior até 88[6]. Neste último posto, Vetoniano participou da campanha dácia de Domiciano com tamanha bravura que acabou sendo condecorado[7]. O ápice de sua carreira foi o proconsulado da África entre 91 e 92[8].

Além disto, Vetoniano também foi admitido entre os sodais augustais e, mais tarde, entre os septênviros epulões. Seu túmulo foi construído na Via Latina[9]. Entre seus possíveis descendentes estão Tito Pompônio Antistiano Funisulano Vetoniano, cônsul sufecto em 121, e Funisulana Vétula, esposa de Caio Técio Africano, prefeito do Egito em 82[10].

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Vespasiano VIII

com Tito VI
com Domiciano V (suf.)
com Lúcio Pompeu Vopisco Caio Arrúncio Catélio Céler (suf.)
com Marco Arrúncio Áquila (suf.)
com Cneu Júlio Agrícola (suf.)

Décimo Júnio Nóvio Prisco
78

com Lúcio Ceiônio Cômodo
com Quinto Corélio Rufo (suf.)
com Lúcio Funisulano Vetoniano (suf.)
com Sexto Vitulásio Nepos (suf.)
com Quinto Articuleio Peto (suf.)

Sucedido por:
'Vespasiano IX

com Tito VII
com Domiciano VI (suf.)
com Lúcio Júnio Cesênio Peto (suf.)
com Públio Calvísio Rusão (suf.)
com Tito Rúbrio Élio Nepos (suf.)
com Marco Árrio Flaco (suf.)


Referências

  1. Paul Gallivan, "The Fasti for A. D. 70-96", Classical Quarterly, 31 (1981), pp. 203, 214
  2. CIL XI, 571; CIL III, 4013. Para a primeira, veja George W. Houston, "Notes on Some Documents Pertaining to Flavian Administrative Personnel", Zeitschrift für Papyrologie und Epigraphik, 20 (1976), pp. 25-34
  3. Tácito, Anais XV.7.1
  4. Mireille Corbier, L'aerarium saturni et l'aerarium militare. Administration et prosopographie sénatoriale (Rome : École Française de Rome, 1974), p. 81
  5. R. H. Rodgers, "Curatores Aquarum", Harvard Studies in Classical Philology, 86 (1982), pp. 177f
  6. Werner Eck, "Jahres- und Provinzialfasten der senatorischen Statthalter von 69/70 bis 138/139", Chiron, 12 (1982), pp. 302-314
  7. CIL III, 4013
  8. Eck, "Jahres- und Provinzialfasten", p. 320
  9. CIL III, 35
  10. AE 1913, 224