Abrir menu principal
Lúcio Funisulano Vetoniano
Cônsul do Império Romano
Consulado 78 d.C.

Lúcio Funisulano Vetoniano (em latim: Lucius Funisulanus Vettonianus) foi um senador romano nomeado cônsul sufecto para os meses de setembro a outubro de 78 com Quinto Corélio Rufo[1].

CarreiraEditar

Vetoniano teve um começo de carreira pouco auspicioso ao ser escolhido como um dos tresviri capitales durante seu mandato entre os vigintiviri[2]. Depois foi tribuno da Legio VI Victrix e questor na Sicília. Em 62 foi novamente tribuno, desta vez da IV Scythica. Em algum momento o próprio Vetoniano comandou uma legião sob a liderança do general Lúcio Cesênio Peto durante a Guerra romano-parta de 58-63[3]. Derrotada na Batalha de Randeia, esta legião (e Vetoniano) caiu em desgraça.

Os cargos seguintes assumidos por Vetoniano foram civis: prefeito do Erário de Saturno, superintendente da Via Aemilia e superintendente dos aquedutos (curator aequarum). Todos estes postos só podem ter ocorrido depois da morte de Nero, o que pressupõe ainda que ele tenha sido reabilitado depois da desonra em Randeia. A prefeitura do erário pode ser datada com precisão entre 74 e 76[4], mas os postos restantes implicam um problema maior. Enquanto a prefeitura pode ser assumida por ex-pretor — e portanto pode ser assumida por Vetoniano antes de seu consulado — as superintendências geralmente eram assumidas por ex-cônsules (a dos aquedutos sempre era). Contudo, as inscrições as agruparam todas juntas como se Vetoniano tivesse assumido todos os postos antes de seu consulado. É possível que, como eram posições similares, faria sentido agrupá-las numa inscrição; outra hipótese é que Vetoniano tenha sido um adjunto do seu predecessor, Mânio Acílio Avíola, na superintendência dos aquedutos[5].

Depois de seu mandato como sufecto, Vetoniano foi nomeado governador da Dalmácia em 79 e ficou no posto até 84, a primeira de diversas províncias imperiais que ele governou em sucessão. Depois, foi governador da Panônia entre 85 e 86 e da Mésia Superior até 88[6]. Neste último posto, Vetoniano participou da campanha dácia de Domiciano com tamanha bravura que acabou sendo condecorado[7]. O ápice de sua carreira foi o proconsulado da África entre 91 e 92[8].

Além disto, Vetoniano também foi admitido entre os sodais augustais e, mais tarde, entre os septênviros epulões. Seu túmulo foi construído na Via Latina[9]. Entre seus possíveis descendentes estão Tito Pompônio Antistiano Funisulano Vetoniano, cônsul sufecto em 121, e Funisulana Vétula, esposa de Caio Técio Africano, prefeito do Egito em 82[10].

Ver tambémEditar

Referências

  1. Paul Gallivan, "The Fasti for A. D. 70-96", Classical Quarterly, 31 (1981), pp. 203, 214
  2. CIL XI, 571; CIL III, 4013. Para a primeira, veja George W. Houston, "Notes on Some Documents Pertaining to Flavian Administrative Personnel", Zeitschrift für Papyrologie und Epigraphik, 20 (1976), pp. 25-34
  3. Tácito, Anais XV.7.1
  4. Mireille Corbier, L'aerarium saturni et l'aerarium militare. Administration et prosopographie sénatoriale (Rome : École Française de Rome, 1974), p. 81
  5. R. H. Rodgers, "Curatores Aquarum", Harvard Studies in Classical Philology, 86 (1982), pp. 177f
  6. Werner Eck, "Jahres- und Provinzialfasten der senatorischen Statthalter von 69/70 bis 138/139", Chiron, 12 (1982), pp. 302-314
  7. CIL III, 4013
  8. Eck, "Jahres- und Provinzialfasten", p. 320
  9. CIL III, 35
  10. AE 1913, 224