Abrir menu principal

Marco Arrúncio Áquila (cônsul em 77)

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o cônsul sufecto em 77. Para o cônsul sufecto em 66 e provavelmente seu pai, veja Marco Arrúncio Áquila.
Marco Arrúncio Áquila
Cônsul do Império Romano
Consulado 77 d.C.

Marco Arrúncio Áquila (em latim: Marcus Arruntius Aquila) foi um senador romano nomeado cônsul sufecto para o nundínio de setembro a outubro de 77 com Caio Catélio Céler. Ronald Syme nota que, como outros cônsules oriundos de Patavium, Áquila "não desempenhou nenhum papel na vida política"[1]. Era filho de Marco Arrúncio Áquila, cônsul em 66, o que levanta duas hipóteses: ou Áquila (pai) teve o filho muito cedo ou ele próprio foi cônsul já idoso[2].

CarreiraEditar

Inscrições sobreviventes permitem um vislumbre de sua carreira[3]. Apesar do começo auspicioso como um dos triúnviros monetários durante seu mandato entre os vigintiviri e um mandato de questor de um imperador não nomeado (provavelmente Nero, cujo nome era geralmente omitido por causa do decreto de damnatio memoriae), o único outro cargo que ele assumiu além do consulado foi tornar-se membro dos quindecênviros dos fatos sagrados, um dos mais prestigiosos colégios sacerdotais romanos (segundo Syme, ele costumava contar com membros de "gostos cultivados")[1].

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Syme, "Eight Consuls from Patavium", Papers of the British School at Rome, 51 (1983), p. 118
  2. Syme, "Eight consuls", p. 113
  3. ILS 980