Louis de Jaucourt

Louis de Jaucourt (Paris, 16 de setembro 1704 – Compiègne, 3 fevereiro de 1779) foi um erudito francês e um dos mais prolíficos contribuidores para a Encyclopédie. Ele escreveu por volta de 18 000 artigos sobre assuntos envolvendo fisiologia, química, botânica, patologia, e história da política, ou cerca de 25% de toda a enciclopédia, tudo feito voluntariamente. Nas gerações após a Encyclopédie, principalmente por sua ascendência aristocrática, seu legado foi largamente ocultado por filósofos tais como Denis Diderot, Jean-Jacques Rousseau e outros, mas, na metade do século XX, acadêmicos voltaram a prestar atenção a sua contribuição.[1]

Louis de Jaucourt
Enciclopédia
Nascimento 16 de setembro de 1704
Paris
Morte 3 de fevereiro de 1779 (1769 anos)
Compiègne
Nacionalidade francês
Cidadania França
Alma mater
Ocupação médico, filósofo, escritor
Prêmios

BiografiaEditar

Jaucourt estudou teologia na Universidade de Genebra, ciências naturais na Universidade de Cambridge, e medicina na Universidade de Leiden. Após retornar a França, ele passou os próximos 20 anos escrevendo o Lexicon medicum univesalis, um trabalho de 6 volumes sobre anatomia. Ele o mandou para ser publicado em Amsterdam para escapar da censura Francesa, mas o navio em que estavam os manuscritos afundou, e 20 anos de trabalho foram perdidos. Ele ainda escreveu uma biografia sobre Leibniz em 1756.[2]

Ele se ofereceu para trabalhar na Enciclopédia, recrutado pelo editor Michel-Antoine David a partir do segundo volume da obra. Ele começou modestamente, com apenas alguns artigos em cada um dos volumes seguintes, mas gradualmente tornou-se mais e mais envolvido. Entre 1759 e 1765, ele escreveu, em média, oito artigos de enciclopédia por dia, para um total de 17 266 de 71 818 artigos (ou cerca de 25%), tornando-o, de longe, o colaborador mais prolífico para a Enciclopédia. Suas contribuições chegam a 4 700 000 palavras. Ele foi especialmente ativo nos volumes finais, escrevendo entre 30% e 45% dos artigos nos volumes 10-17. Isso lhe valeu o apelido de l'esclave de l'Encyclopédie (o escravo da Enciclopédia).[3]

Ao contrário de outros editores, Jaucourt era rico e independente e não pediu nenhum pagamento pelo seu trabalho em tempo integral. A maioria de seus trabalhos consistia de resumir livros inteiros para adicionar a artigos da enciclopédia, com muito conteúdo copiado na íntegra a partir de fontes existentes. Ele empregou um grupo de secretários, do seu próprio bolso, para ajudar com o esforço. Ele escreveu principalmente sobre as ciências, especialmente medicina e biologia. Ele tinha uma abordagem ligada ao mecanicismo. Isto está em nítido contraste com o outro colaborador importante nesta área, Menuret de Chambaud, que tinha uma aproximação aos temas mais de cunho vitalista.[4]

Embora seu foco principal tenha sido sobre ciência e biologia, ele também cobriu uma ampla gama de outros assuntos. É em suas obras sobre a história e a sociedade que suas opiniões políticas e filosóficas tornam-se claramente evidentes. Ele escreveu artigos de importância central sobre guerra, política, pessoas e Maomé. Sua escrita nunca foi tão abertamente prolífica em política como outros colaboradores, tais como Diderot e Voltaire, mas é claro que ele possuía pontos de vista profundamente arraigados. Algumas de suas obras, tais como aqueles sobre temas históricos, contêm claramente mensagens radicais e anticlericais através de comparações implícitas entre o passado antigo e a França moderna. Ele também fez trabalhos importantes sobre escravidão, o comércio de escravos, e os negros, condenando veementemente a escravidão como sendo contrária aos direitos naturais e liberdades[5].

Jaucourt praticou medicina e foi um membro da Academia Real Inglesa e das academias de Berlim, Estocolmo e Bordeaux.[6]

Referências

  1. *"Jaucourt's Use of Source Material in the Encyclopédie", by James Doolittle. Modern Language Notes. Vol. 65, No. 6. The Johns Hopkins University Press, June, 1950.
  2. *"The Recruitment of the Encyclopedists", by Frank A. Kafker. Eighteenth-Century Studies Vol. 6, No. 4. The Johns Hopkins University Press, Summer, 1973.
  3. *"The Extent of the Chevalier de Joucourt's Contribution to Diderot's Encyclopédie", by Richard N. Schwab. Modern Language Notes. Vol. 72, No. 7. The Johns Hopkins University Press, Nov. 1957.
  4. *Luigi Delia, "Crime et châtiment dans l'Encyclopédie. Les enjeux de l'interprétation de Montesquieu par de Jaucourt", in "Dix-huitième siècle", n. 41, 2009, pp. 469-486
  5. *Enlightening the World, by Philip Blom, 2004.
  6. * Werner Raupp: JAUCOURT, Louis, Chevalier de. In: Biographisch-Bibliographisches Kirchenlexikon (BBKL), Band 36. Bautz: Nordhausen 2015, (ISBN 978-3-88309-920-0), Sp. 650–657 .

Ligações externasEditar