Manuel Gusmão

poeta português

Manuel Gusmão (Évora, 1945)[1] é um poeta, ensaísta, tradutor e professor universitário português.[2] Agraciado com a Medalha de Mérito Cultural do Governo Português em 2019.[3] Foi deputado à Assembleia Constituinte da Terceira República Portuguesa.[4]

Manuel Gusmão
Nascimento 1945
Évora, Portugal Portugal
Prémios Prémio P.E.N. Clube Português de Poesia (1997, 2009)

Prémio de Poesia Luís Miguel Nava (2001)
Grande Prémio de Poesia APE/CTT (2001)
Prémio D. Dinis (2004) Prémio Vergílio Ferreira (2005)
Prémio P.E.N. Clube Português de Ensaio (2010)

Género literário Poesia, Ensaio

BiografiaEditar

Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo-se doutorado com a tese sobre a Poética de Francis Ponge em 1987[1], autor de cujos poemas Manuel Gusmão é o tradutor para português.

É professor na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, desenvolvendo trabalho nas áreas da Literatura Portuguesa, Literatura Francesa e Teoria da Literatura. É membro da Associação Internacional de Literatura Comparada e fundador da Associação Portuguesa de Literatura Comparada.

DistinçõesEditar

Vencedor, em 2004, do Prémio D. Diniz, da Fundação Casa de Mateus; do Prémio Vergílio Ferreira, atribuído pela Universidade de Évora (2005) e do prémio DST de Literatura (2009).[5] Recebe em 2019 a Medalha de Mérito Cultural do Governo Português das mãos da Ministra da Cultura Graça Fonseca.[6]

Militância PolíticaEditar

Militante do Partido Comunista Português desde o tempo em que o partido estava na ilegalidade à qual tinha sido forçado pelo regime do Estado Novo, é escolhido por este partido para candidato a deputado à Assembleia Constituinte da Terceira República Portuguesa, lugar para o qual será eleito.[7]

Revista LiteráriaEditar

Pertenceu às redacções das revistas O Tempo e o Modo e Letras e Artes e foi colaborador permanente do Jornal Crítica, entre 1961 e 1971. Foi fundador das revistas Ariane (revue d’études littéraires françaises), que se publica desde 1982, e Dedalus, da Associação Portuguesa de Literatura Comparada, desde 1991).[1] É coordenador editorial da revista Vértice desde 1988.[1]

Obras publicadasEditar

Ensaio e AntologiaEditar

  • A Poesia de Carlos de Oliveira (1981)
  • A Poesia de Alberto Caeiro (1986)

PoesiaEditar

  • Dois Sois, A Rosa - A Arquitectura do Mundo (1990/2001)
  • Mapas: o Assombro e a Sombra (1996)
  • Teatros do Tempo (1994-2000) (2001)
  • Os Dias Levantados (2002) (libreto para ópera de António Pinho Vargas)
  • Migrações do Fogo (2004)
  • Mapas o Assombro a Sombra (2005)
  • A Terceira Mão (2008)
  • Pequeno Tratado das Figuras (2013)

Referências

  1. a b c d «MANUEL GUSMÃO». Artistas Unidos. Consultado em 25 de Abril de 2012 
  2. «Manuel Gusmão: "Excelente cronista e excelente poeta"». Público (jornal). Consultado em 25 de Abril de 2012. Arquivado do original em 2 de outubro de 2012 
  3. «Poeta e Ensaísta Manuel Gusmão distinguido com medalha de Mérito Cultural». Ministério da Cultura. 30 de abril de 2019. Consultado em 25 de maio de 2012 
  4. «Perfil de Manuel Gusmão na Assembleia da República» 
  5. «Manuel Gusmão vence Prémio DST de Literatura de 2009». DN. 4 Dezembro 2009. Consultado em 25 de Abril de 2012 [ligação inativa]
  6. «Poeta e Ensaísta Manuel Gusmão distinguido com medalha de Mérito Cultural». Ministério da Cultura. 30 de abril de 2019. Consultado em 25 de maio de 2012 
  7. «Perfil de Manuel Gusmão na Assembleia da República»