O Espantalho (telenovela)

telenovela brasileira

O Espantalho é uma telenovela brasileira co-produzida e exibida pela RecordTV e pela TVS (no Rio de Janeiro) – ambas pertencentes à Sílvio Santos na época – entre 25 de janeiro e 13 de junho de 1977, em 119 capítulos.[1] Escrita por Ivani Ribeiro, sob direção de José Miziara e Luciano Callegari e direção geral de David Grimberg.[2] Em 1993 Ivani utilizou a história de O Espantalho no remake de Mulheres de Areia para a TV Globo.[3]

O Espantalho
O Espantalho (telenovela)
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 60 minutos
Criador(es) Ivani Ribeiro
Elenco
País de origem Brasil
Idioma original português
Episódios 119
Produção
Diretor(es) David Grimberg
Tema de abertura "Festa no Mar", Rolando Boldrin
Empresa(s) produtora(s) Estúdios Silvio Santos
Localização São Paulo, SP
Itanhaém, SP
Exibição
Emissora original TV Record
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 25 de janeiro – 13 de junho de 1977
Cronologia
Programas relacionados Mulheres de Areia (1993)

Contou com as atuações de Jardel Filho, Nathália Timberg, Fábio Cardoso, Esther Góes, Hélio Souto, Theresa Amayo, Rolando Boldrin e Carlos Alberto Riccelli nos papeis principais.[4]

Produção editar

Em 1973 Sílvio Santos, na época dono da Record, decidiu encerrar o departamento de dramaturgia – que compreendia 3 horários: 18h30, 19h15 e 20h – e demitiu todo banco de atores que estavam há anos na emissora, incluindo grandes nomes como Nathalia Timberg, Laura Cardoso e Maria Estela.[5][6][7] Porém, cinco anos depois, em 1977, Sílvio, decidiu produzir uma novela que passasse em São Paulo pela Record e no Rio de Janeiro pela TVS, emissora carioca recém-inaugurada por ele.[2] Ivani Ribeiro, que havia se tornado a principal autora da Rede Tupi com novelas prestigiadas como Mulheres de Areia, A Barba Azul, O Machão e A Viagem, foi contratada com um alto salário para escrever a novela, inspirando-se na peça de teatro Um Inimigo do Povo, do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen.[8]

Originalmente a novela se chamaria Águas Mortas, porém o título foi alterado.[2] As gravações acontecerem Itanhaém, no litoral do estado de São Paulo, para representar a cidade fictícia de Guaianá, contando com locações da cidade utilizadas como cidade cenográfica.[9][10] Os problemas nas gravações externas e no atraso da produção, fizeram com que Sílvio desistisse de reativar definitivamente com o núcleo de dramaturgia na Record ou seguir produzindo na TVS, além de Ivani ter retornado à Tupi.[2] A Record só voltaria a fazer novelas 20 anos depois, com Canoa do Bagre em 1997, embora a tradição de assistir novelas na emissora já tivesse se perdido na ocasião.[11]

Remake com Mulheres de Areia editar

Em 1993 Ivani fez um remake de Mulheres de Areia na Rede Globo, porém como a original da Tupi de 1973 compreendia apenas o núcleo principal, a autora decidiu utilizar a história de O Espantalho para criar os núcleos paralelos.[2] O remake manteve basicamente o mesmo perfil de todos os personagens, com excessão de Zilá (na Globo chamada de Malu), que passou de uma menina mimada e mau-caráter para uma moça rebelde, debochada e divertida.[2][12]

Exibição editar

O Espantalho foi exibida na RecordTV em São Paulo entre 25 de janeiro e 13 de junho de 1977, às 21h, e na TVS no Rio de Janeiro entre 1 de junho e 18 de novembro de 1977, inicialmente às 21h15 e depois para às 19h.[2]

Em 1979, a Rede Tupi reprisou de forma ilegal a novela de forma compacta em 60 capítulos, entre 2 de maio e 4 de agosto, sendo processada pela Record por não pagar pelos direitos de imagem.[2] Foi exibida legalmente pelo SBT entre 17 de janeiro e 21 de março de 1983.[2]

Enredo editar

Em Guaianá, litoral de São Paulo, o prefeito Breno trava uma guerra com o inescrupuloso Rafael, seu próprio cunhado e vice-prefeito, por divergirem sobre o uso da praia, que está contaminada – o primeiro quer mantê-la interditada até ter verba para tratamento, enquanto o segundo quer liberar independente da poluição, pois só assim garante o turismo em seu hotel. Rafael é casado com Corina, irmã de Breno, uma mulher infeliz, que abandonou os próprios sonhos em prol do marido, sendo pais de Zilá, moça mimada que pressiona Dirceu para se casar, e Ney, humilhado pelo pai e apaixonado por Laurita. Já Breno é casado com Geni, que é ameaçada por Rafael para ajudar em seus planos quando ele descobre que ela foi stripper no passado. Celeste, sogra de Breno, o odeia por seu jeito passivo, enquanto a cunhada Andréia é apaixonada por ele.

Rafael manda colocar espantalhos nas praias, simulando que os moradores vêem o prefeito como traidor, porém do lado de Breno unindo a população estão Tonha, líder comunitária e namorada de Juca, e Dr. Munhoz, médico local e que ama a moça em segredo, embora acabe envolvido com Corina, lhe devolvendo a paixão por viver. Ainda há a divertida Manuela, que vive em conflito com o pai de Tonha, Zé Pedro, por estarem de lados opostos politicamente, embora sonhe em conquista-lo; e as amigas Madrinha, Shizue e Zezé – que sonha em desencalhar.

Elenco editar

Ator/Atriz Personagem[2]
Jardel Filho Rafael Nascimento
Nathália Timberg Corina Monteiro Nascimento
Fábio Cardoso Breno Monteiro
Esther Góes Geni Dias Monteiro / Pâmela
Hélio Souto Dr. Munhoz
Theresa Amayo Antônia Assunção (Tonha)
Rolando Boldrin Juca Leão
Carlos Alberto Riccelli Ney Monteiro Nascimento
Carmen Monegal Zilá Monteiro Nascimento
Suzy Camacho Laurita Alencar
Eduardo Tornaghi Dirceu Leão
Reny de Oliveira Andréia Dias
Lídia Costa Celeste Dias
Walter Stuart Zé Pedro Assunção
Wanda Kosmo Manuela
Guilherme Corrêa Afrânio Alencar
Léa Camargo Santusa Alencar
Leonor Lambertini Dona Madrinha
Riva Nimitz Zezé
Midori Tange Shizue
Régis Monteiro Vasco
Roberto Maya Padre Vicente
Percy Aires Delegado Sampaio
Ivanise Senna Elza Cantareira
Newton Prado Dr. Mathias do Prado
João Signorelli Odilon do Prado
Roberto Murtinho Chicão Sardinha
Marta Volpiani Verinha Sardinha
Arnaldo Weiss Ataliba Mendes
Alexandre Sandrini Quico Mendes
Jeremias Santos Vereador Sabiá
Marthus Matias Escrivão Tobias
Marilene de Carvalho Leonor
Maria Helena Pinto Rosa
Geraldo Louzano Jairinho do Picolé
Augusto Pompeo Moacir
Walter Magalhães Reginho Assunção

Participações especiais editar

Ator/Atriz Personagem[2]
André Loureiro Dr. Sodré
Marlene Marques Namorada de Dirceu
Wanderley Cardoso Ele mesmo
Luiz Américo Ele mesmo

Trilha sonora editar

Nacional editar

Internacional editar

  • "Music Is My Way Of Life" - Might Clouds of Joy
  • "Isn't She Lovely?" - Peter Kelly
  • "Quand L'Autre N'Est Pas La" - Guy Mardel
  • "Be My Girl" - The Dramatics
  • "So Deep In Your Eyes" - Danny Stinger
  • "Perfidia" - Raphael
  • "The Best Years Of My Life" - The Faragher Brothers
  • "I Can't Get Over You" - The Dramatics
  • "Nel Tuo Corpo" - Cristiano Malgioglio
  • "You Don't Have To Be a Star (To Be In Your Show)" - Marilyn McCoo & Billy Davis Jr.
  • "Feelings" - Al Hudson & The Soul Partners[2]

Referências

  1. «A primeira experiência da TVS em novela foi um original da grande Ivani Ribeiro». R7. Consultado em 7 de agosto de 2023 
  2. a b c d e f g h i j k l m Nilson Xavier. «O Espantalho». Teledramaturgia. Consultado em 23 de abril de 2016 
  3. «Remakes de novelas viram febre na TV». IG. Consultado em 7 de agosto de 2023 
  4. «Resumo de O Espantalho». novelasdobrasil. Consultado em 7 de agosto de 2023 
  5. Xavier, Nilson. «Vidas Marcadas». Teledramaturgia. Consultado em 6 de novembro de 2020 
  6. «31 de janeiro na história da TV». TV História. Consultado em 28 de julho de 2023 
  7. «MEU ADORÁVEL MENDIGO». museudatv. Consultado em 28 de julho de 2023 
  8. «Desprezo de Silvio Santos contribuiu para poucos acertos nas novelas». TV História. Consultado em 7 de agosto de 2023 
  9. «Completando 491 anos, Itanhaém encanta pela história, cultura e cenário para novelas». A Tribuna. Consultado em 7 de agosto de 2023 
  10. «'O Espantalho' completa 40 anos; moradores lembram bastidores». itanhaem.sp.gov. Consultado em 7 de agosto de 2023 
  11. Nilson Xavier. «Canoa do Bagre». Teledramaturgia. Consultado em 28 de maio de 2021 
  12. «'Mulheres de Areia': Relembre cinco curiosidades da novela de Ruth e Raquel». Filha de S.Paulo. Consultado em 7 de agosto de 2023