Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Origens
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 30 minutos aprox.
Criador(es) Nicolau Breyner
Francisco Nicholson
País de origem Portugal Portugal
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Nuno Teixeira
Elenco Nicolau Breyner
Adelaide João
Paula Guedes
António Feio
Mariana Rey Monteiro
Florbela Queiroz
Exibição
Emissora de televisão original RTP1
Transmissão original 4 de Abril de 1983 - 20 de Setembro de 1983
N.º de temporadas 1
N.º de episódios 120
Cronologia
Vila Faia
Chuva na Areia

Origens foi uma telenovela portuguesa transmitida pela RTP[1][2]. Foi escrita por Francisco Nicholson[1] e realizada por Nuno Teixeira. Com 120 episódios, a transmissão original foi de 4 de Abril a 20 de Setembro de 1983, no horário seguido ao "Telejornal", às 20 e 30 ou às 21 horas.[1][3][4][5]. Foi também a primeira telenovela musical exibida pela RTP.

SinopseEditar

Tudo começa na cidade turbulenta de Lisboa, no ano da Graça de 1983, cidade cheia de barulho e poluição, onde vive o arquitecto Luís Martinho (Nicolau Breyner), homem de mau feitio, mas boa pessoa. Trabalha com o seu colega José Dourado (Tozé Martinho) e com os secretários Gabriela (Ana Filipe Nogueira) e Firmino (João de Carvalho). Este último tem aulas de música com o Professor Gaspar (Rui de Carvalho), professor que convive com Luís na casa dele e às vezes faz as suas aulas lá. Gaspar tem variados colegas na escola onde trabalha: o Professor (Henrique Santos), o mais antigo da escola; Ofélia (Mariana Rey Monteiro), que trabalha a dar aulas de violoncelo para obter dinheiro para sustentar a sua irmã paralítica há 30 anos, - Julieta (Glória de Matos) - mulher por quem Gaspar tem um sentimento muito profundo, que chega a ser amor; a Patrícia (Paula Guedes), namorada actual de Luís, filha da merceeiro Emília (Manuela Maria), que tem um negócio de mercearia perto da casa de Luís, em conjunto com a criada Mila (Lurdes Silva), cuja cliente mais assídua é Mimi (Isabel Mota). Patrícia é professora na mesma escola onde trabalham Gaspar e Ofélia, tendo como amiga a professora Cláudia (Filipa Trigo), e de vez em quando tem ataques de ciúmes por causa de Luís deixar trazer alunas de Gaspar, que tem educação musical com ele, pensando ela que Luís anda a traí-la.

Para além desta vida atribulada, como se não bastasse, Luís tem uma filha, chamada Filipa (Marta Esquível), fruto do casamento anterior que teve com Teresa (Lia Gama), a mulher que teve mais tempo casada com Luís pelo amor que sentiu por ele. Teresa, depois do divórcio, ficou com Filipa por decisão judicial, e Filipa passou a ser o centro das suas preocupações, por frequentar companhias inconvenientes para a mãe. As companhias são os músicos Afonso (Joel Branco), Henrique (Jorge Nery) e Nuno (Nuno Homem de Sá) - alunos de Gaspar que andam a trabalhar numa produtora discográfica que anda a gravar uma cantora, filha do produtor discográfico Aníbal (Asdrúbal Teles Pereira), que está a tentar gravar uma canção da autoria de Afonso e Henrique, mas a sua voz é péssima - o baterista Mãozinhas, de seu nome André Freitas (Virgílio Castelo), e o toxicodependente Nando (António Feio), que passa a vida a injetar-se com drogas de todo o género e não pode ir a um centro de desintoxicação, pois está dependente do traficante Hernandez (Dorel Iacobescu), e está a ser procurado pela polícia por já ter participado num assalto. Filipa tenta ajudá-lo e os seus amigos também, mas em vão. São razões para Teresa se preocupar, mas Dourado vai conciliar-se com ela, pois vê que ela precisa de outro homem, mas está dividido entre ela e a Gabriela.

Em pior situação está a família Teles, proprietária de um hotel prestigiado mas em decadência aparente, hotel esse que tem como funcionários e moradores a antiga criada Esmeralda (Maria Helena Matos), o rececionista Juvenal (Carlos Vieira de Almeida), o guarda-portão Alfredo (Luís Cerqueira), o gerente Américo Fernandes (António Montez) e a criada Justina (Cremilda Gil). O proprietário faleceu e os herdeiros diretos são o filho Francisco (Curado Ribeiro), casado com Júlia (Florbela Queiroz), também herdeira da fortuna, e a filha que reside no estrangeiro, Sara (Helena Isabel). Francisco quer resolver o assunto mas há um grave problema: um homem sem escrúpulos, que não olha a meios para atingir os seus fins, chamado Mourato (Varela Silva), casado com a gananciosa Cassilda (Rosa Lobato de Faria), quer adquirir a todo o custo os terrenos do hotel, para mandar fechá-lo e revender o terreno para desenvolvimentos imobiliários. Quem está ansioso por isso também é Fernandes, que está combinado com Cassilda. Francisco, por ter uma dívida de 5:000.000$00 (cinco mil contos) para pagar a Mourato, está praticamente nas suas mãos. Júlia faz do seu marido gato-sapato e começa a seduzir Mourato.

Por todas as questões ligadas às dívidas, partilhas e heranças, Sara é solicitada a regressar a Portugal a pedido do seu advogado, Duarte (Rui Mendes), homem que trabalha muito, casado com Paula (Catarina Avelar), com dois filhos: João (Álvaro Faria), e Pedro (Luís Modesto). Duarte, há algum tempo sem relações de qualquer género com Paula, decide pedir o divórcio, pois está apaixonado pela sua secretária Rosário (Mafalda Drummond). Mas João, o filho mais velho, não está de acordo com o divórcio, e será um entrave na vida de Paula e Duarte. Sara é um bocado fria e calculista, o que provoca a ira de Duarte, mas vai investigar o caso da sua família e faz uns passeios, para ver onde estão as suas ORIGENS.

ActoresEditar

Banda SonoraEditar

A composição "Origens" de Francisco Nicholson e Thilo Krassman, foi interpretada pelo cantor João Braga.

Ver tambémEditar

Telenovelas da RTP1

Vila Faia « anterior Origens seguinte » Chuva na Areia

Telenovelas de horário nobre da RTP1

Vila Faia « anterior Origens seguinte » Chuva na Areia

Referências