Patrício José Correia da Câmara, visconde de Pelotas

Patrício José Correia da Câmara, visconde de Pelotas
Nascimento 12 de outubro de 1744
Lisboa
Cidadania Brasil

Patrício José Correia da Câmara, único barão e primeiro visconde de Pelotas (Lisboa, 12 de outubro de 1744[1]Rio Pardo, 28 de maio de 1827), foi um nobre e militar brasileiro.

Filho do desembargador Gaspar José Correia da Câmara e de Isabel Inácia de Bettencourt, naturais de Ponta Delgada,[1] nasceu a bordo do navio com destino a Portugal, na viagem que fizeram seus pais a Lisboa, onde foi batizado católico. Foi casado com Joaquina Leocádia da Fontoura.

Sentou praça em Portugal, tendo servido na Índia portuguesa e depois no Estado do Brasil, uma colônia do império português, território onde chegou com o posto de capitão, tendo naturalizado-se brasileiro aquando da independência do Brasil (1822) do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves (1815-1822) e da fundação do Império do Brasil (1822-1889). Nomeado tenente-coronel comandante da fronteira, em Rio Pardo, exerceu o cargo por mais de cinquenta anos. Participou das campanhas do Rio Grande do Sul em 1801, primeira campanha cisplatina e da Guerra contra Artigas, chegando ao posto de general.

Agraciado comendador da Imperial Ordem de São Bento de Avis. Era fidalgo cavaleiro da casa imperial brasileira e da casa real portuguesa, esta por alvará de 16 de novembro de 1808.

É avô do segundo visconde de Pelotas, José Antônio Correia da Câmara, do barão de São Nicolau, Leopoldo Augusto da Câmara Lima, e trisavô de Armando Pereira Correia da Câmara, professor, filósofo cristão e político brasileiro que foi senador e reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Referências

  1. a b Estudos, Volumes 29-30, EditoraAssociação de Professôres Católicos do Rio Grande do Sul, 1969, p. 58

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.