Abrir menu principal

Sejam bem-vindos ao
Portal dos anfíbios e répteis

Artigo selecionado

Um macho adulto

O sapo-cururu (nome científico: Rhinella icterica, antiga nomenclatura: Bufo ictericus), também conhecido como sapo-boi, é uma espécie de anfíbio da família Bufonidae, que pode ser encontrada no Brasil, na Argentina e no Paraguai. Habita diversos habitats, tanto florestas fechadas, como a Mata Atlântica, quanto áreas abertas, como o Cerrado, além de viver em áreas urbanizadas, onde é encontrada frequentemente.

Os machos medem geralmente entre 10 e 16,6 centímetros, enquanto as fêmeas medem entre 13,5 e 19 centímetros. É possível distinguir facilmente os machos das fêmeas, devido ao dimorfismo sexual, com os machos sendo verde-amarelados e as fêmeas sendo bicolores, apresentando o dorso bege com manchas escuras. Ambos possuem o ventre branco marmoreado com marrom, além de diversas saliências dorsais. Suas glândulas parotoides são bem desenvolvidas, podendo ser encontradas atrás do olho e possuindo formato elíptico.

Possui uma dieta oportunista e generalista, alimentando-se principalmente de insetos, lesmas e pequenos roedores, existindo também registros de predação de aves e peixes, além de um registro de herbivoria, em que um indivíduo se alimentou das flores de uma planta. Apesar de possuir veneno, pode ser predada por algumas espécies de animais, como a corredeira-lisa e o rato-doméstico. Pode ser hospedeiro de inúmeras parasitoses, como nematódeos, platelmintos, acantocéfalos e carrapatos, os quais podem ser contraídos durante a fase larval ou enquanto adultos. Reproduz-se entre agosto e janeiro, podendo haver variações na sua duração de acordo com sua latitude, com ela ocorrendo em corpos d'água de baixa ou nenhuma correnteza, como córregos, lagoas e poças. O macho vocaliza durante a noite, com o objetivo de chamar a atenção das fêmeas, e, caso alguma corresponda, eles realizam o amplexo, depositando milhares de ovos. Ao eclodirem, nascem os girinos, que medem entre nove e dez milímetros e são pretos. (leia mais...)

Categorias

O que são?

Os anfíbios (latim científico: Amphibia) constituem uma classe de animais vertebrados, pecilotérmicos que não possuem bolsa amniótica agrupados na classe Amphibia. A característica mais marcante dos seres vivos da classe é o seu ciclo de vida dividido em duas fases: uma aquática e outra terrestre, apesar de haver exceções. Estão identificadas cerca de seis mil espécies vivas de anfíbios cadastradas no Amphibian Species of the World.

Os répteis (latim científico: Reptilia) constituem uma classe de animais vertebrados tetrápodes e ectotérmicos, ou seja, não possuem temperatura corporal constante. São todos amniotas (animais cujos embriões são rodeados por uma membrana aminiótica), esta característica permitiu que os répteis ficassem independentes da água para reprodução.

A herpetologia é um ramo da zoologia dedicado ao estudo dos répteis e anfíbios: sua classificação, ecologia, comportamento, fisiologia e paleontologia.

Sabia que…

Smokey Jungle Frog 3.jpg
Sobre esta imagem


Coisas a fazer

Colabore!

Agradecemos todo o interesse por ampliar e melhorar os artigos relacionados com anfíbios e répteis na Wikipédia! Abaixo algumas coisas que esperam a vossa colaboração.