Abrir menu principal
RicardaVolleyball (indoor) pictogram.svg
Informações pessoais
Nome completo Ricarda Raquel Barbosa Lima[1]
Modalidade Voleibol
Nascimento 12 de setembro de 1970 (49 anos)[1]
Taguatinga, DF
Brasil[1]
Nacionalidade brasileira
Compleição Peso: 66 Kg Altura: 1,84 m
Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Sydney 2000 Equipe
Copa do Mundo de Voleibol
Bronze Japão 1999 Equipe
Grand Prix de Voleibol
Prata Xangai 1995 Equipe
Prata Yu Xi 1999 Equipe
Bronze Manila 2000 Equipe
Competidor do Leite Moça/Sorocaba
Campeonato Mundial de Clubes
Ouro 1994 São Paulo Equipe

Ricarda Raquel Barbosa Lima (Taguatinga, 12 de setembro de 1970)[1] é uma ex-voleibolista brasileira que atuava como atacante e líbero.

CarreiraEditar

Ricarda iniciou no vôlei aos 15 anos de idade. Dois anos depois, mudou-se para Blumenau, onde defendeu o time da Hering. Sagrou-se Campeã Sul-americana e Mundial Juvenil com a Seleção Brasileira de Voleibol Feminino em 1989, atuando como atacante. Na Seleção principal, foi Vice-Campeã dos Jogos Pan-Americanos de Havana, em 1991, e Vice-Campeã do Gran Prix de 1995.Foi casada com seu ex-técnico de clube Sérgio Negrão.Após cirurgias no ombro viu sua carreira encerrar precocemente, mas com a integração da posição do líbero ela reencontrou sua longevidade no voleibol e com grande atuações conquistou vários títulos. Conquistou três títulos consecutivos da Superliga entre 1995 e 1997, defendendo o clube que inicialmente chama-se de Leite Moça/Sorocaba, mais tarde , Leites Nestlé de Sorocaba,encerrando o ciclo do projeto vitorioso como Leites Nestlé/Jundiaí. Como líbero, foi Vice-Campeã do Gran Prix de 1999, sendo eleita a melhor líbero da competição. Participou dos Jogos Olímpicos de Sydney em 2000[2], obtendo a medalha de bronze[3] e sendo eleita a melhor defensora da competição[4].

Em 2001, conquistou o título do Campeonato Sul-americano de Voleibol Feminino. Após um ano e sete meses afastada das quadras, foi contratada pelo Brasil Telecom/Força Olímpica, em 2003[5]. No ano seguinte, atuou no Rexona/Ades[6].

Após encerrar a carreira, Ricarda atuou como consultora da EVB (Escola de Vôlei Bernardinho), no Rio de Janeiro[7]. Foi gestora da Vila Olímpica “Rei Pelé”, em Samambaia, no Distrito Federal. Foi secretária-ajdunta na Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer no Governo do Distrito Federal, na gestão da então secretária e também ex-voleibolista Leila Barros, a Leila do Vôlei. Atualmente, é chefe de gabinete da senadora Leila Barros e representa o Conselho Nacional do Esporte na Comissão Técnica da Lei de Incentivo ao Esporte.

ClubesEditar

PrêmiosEditar

Referências

  1. a b c d Ricarda. Portal Brasil 2016
  2. Livre para defender Folha Online, acessado em 7 de agosto de 2009
  3. Brasil conquista o bronze no feminino e repete feito de Atlanta Folha Online, acsessado em 7 de agosto de 2009
  4. Entrevista Arquivado em 27 de setembro de 2010, no Wayback Machine. Revista Iate, acessado em 7 de agosto de 2009
  5. Superliga - 03/04 Arquivado em 10 de fevereiro de 2010, no Wayback Machine. Melhor do Vôlei, acessado em 7 de agosto de 2009
  6. Maio de 2004[ligação inativa] Planeta Vôlei, acessado em 7 de agosto de 2009
  7. VÔLEI - Futuro dourado Arquivado em 21 de março de 2009, no Wayback Machine. Redação Instituto Sabin, acessado em 7 de agosto de 2009
  8. SUPERLIGA 08/09: Os melhores em cada fundamento na história Arquivado em 2012-12-31 no Archive.is CBV, acessado em 7 de agosto de 2009

Ligações externasEditar