Abrir menu principal
Ricardo Young
Dados pessoais
Nascimento 7 de fevereiro de 1957 (62 anos)
São Paulo (cidade)
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Profissão Empreendedor, Professor e Pesquisador no campo de Política e Complexidade

Ricardo Young Silva (São Paulo, 7 de fevereiro de 1957) é um empresário, professor e palestrante nos Temas Cidades Sustentáveis, Política e Complexidade, Liderança e Responsabilidade Empresarial e Economia Colaborativa. Articulador de Parcerias Públicos Privadas (PPPs), tecnologias sociais e gestão inovadora. Foi vereador na cidade de São Paulo de 2013 a 2016. Atualmente, integra o Instituto de Estudos Avançados da USP na cátedra de Cidades Globais.[1]

Fundou a “Casa Amarela”, espaço de arte, cultura, sociedade e meio ambiente que reúne o Museu Xingu, Ponto Solidário e diversas atividades de discussão, reflexão e difusão de temas relacionados à economia criativa e sustentabilidade.

Em 2010, foi candidato a Senador por São Paulo e obteve mais de 4 milhões de votos, tornando-se uma das mais importantes lideranças empresariais e políticas na defesa da sustentabilidade e da justiça social. De 2013 a 2016, foi Vereador na Cidade de São Paulo, quando fundou e presidiu a Frente Parlamentar pela Sustentabilidade e criou as Segundas Paulistanas como canal de comunicação permanente com a população.

BiografiaEditar

Carreira profissionalEditar

Young foi presidente do Instituto Ethos e da ABF – Associação Brasileira de Franchising

Na juventude, participou de movimento estudantil nas lutas contra a ditadura e pelas liberdades democráticas.

É pós-graduado em administração de empresas pelo PDG/EXEC hoje IBMEC, um dos mais importantes grupos empresariais de educação do país, e também integrou o PNBE – Pensamento Nacional de Bases Empresariais, onde foi o primeiro coordenador em gestões alternadas (1996-1999 / 1999 – 2000) tendo contribuído para o projeto de adoção de escolas públicas por parte de empresas e a criação do instituto PNBE que desenvolveu o projeto minha rua minha casa para moradores de rua.

À frente do Instituto Ethos, fundou a Uniethos, sua divisão educacional, e projetou a entidade com importantes participações em fóruns internacionais, como o Pacto Global das Nações Unidas, o Global Report Iniciative e o ISO 26000 – Diretrizes sobre Responsabilidade Social. Foi integrante do grupo de empresários que Iniciou no Brasil a disseminação do conceito da responsabilidade social empresarial com uma nova dimensão de negócios.

Enquanto presidia do Instituto Ethos foi também o iniciador do Pacto de Integridade de Combate à Corrupção, numa iniciativa de uma articulação de entidades da sociedade civil, entre eles, Transparência Internacional e empresários que constitui um novo marco na luta contra a corrupção

Pioneiro na luta pela sustentabilidade, foi um dos disseminadores da Carta da Terra no Brasil e um dos signatários do Manifesto “Brasil com S” que deu início ao projeto que resultou na candidatura de Marina Silva à presidência da República. Participou da fundação do Movimento Nossa São Paulo e do Fórum Amazônia Sustentável.

Durante sua trajetória, aprimorou-se continuamente, com destaque para pós-graduação em administração pela, hoje Ínsper; Filosofia da Educação pela PUC/SP; Liderança Sistêmica - Teoria U do MIT nos Estados Unidos; Programa Política e Complexidade, do Schumacher College da Inglaterra e The Global Wellbeing Lab 2.0 - Transforming Society and Economy, também do MIT. Aplicou seus conhecimentos na revisão da versão brasileira da Carta da Terra em 2009, documento mundial que formula as bases éticas para uma nova interação humana no planeta, em equilíbrio social e ambiental. Representou o Ethos em Davos de 2004 a 2010.

Sua experiência e discernimento estratégico de tendências nacionais e mundiais, fez com que integrasse Conselhos de empresas e organizações sociais de destaque, como: presidência do Global Compact (2006/2008); Kimberly-Clark (2010 a 2013); Fibria (2009/2013); Amata (2011/2016); AccountAbility, organização líder mundial em Responsabilidade Social e responsável pela ferramenta de engajamento de Stakeholders chamada AA1000 (2004/2008); GRI - Global Reporting Initiative (2006/2010); ISE - Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bovespa (2007/2010); Planeta Sustentável da Editora Abril, (2007 a 2012) e o Fundo de Práticas Sustentáveis do Banco Santander (2008 até a 2012), entre outros.

Além disso, também foi sócio e membro do Conselho de Administração do Yázigi Internexus, uma rede internacional de ensino de idiomas, até out/2010; membro do Conselho Gestor da Fundação Brasil de Direitos Humanos, de 2006 até fev/2010 e membro do Conselho da AFRAS – Associação Franquia Sustentável - braço social da ABF, é uma organização sem fins lucrativos que visa fomentar as práticas de responsabilidade social e sustentabilidade nas empresas que fazem parte do sistema de franquias, até 2010. Foi membro do Conselho do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária ( CENPEC) - 2010 a 2012 e fundador e membro do Conselho do Todos Pela Educação - 2006 a 2011.

No fim de 2007, aproximou-se da ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, junto com outras lideranças empresariais e ambientais, e concebeu o movimento Brasil Sustentável, com o objetivo de engajar diversos segmentos sociais na construção de uma sociedade responsável, justa e sustentável.

Carreira políticaEditar

Em 2010 – filiado ao Partido Verde, teve sua 1ª disputa político-eleitoral .Young tornou-se uma das mais importantes lideranças empresariais e políticas na defesa da sustentabilidade e da justiça social ao ser o 4º colocado na disputa por uma das 2 vagas no Senado Federal por São Paulo com 4.117.634 votos (11,2% dos válidos) — tendo sido superado pelo então deputado federal Aloysio Nunes (PSDB) – o 1° colocado e senador eleito com 11.189.168 votos (30,42% dos válidos) –, por Marta Suplicy (PT) – a 2ª colocada e também eleita com 8.314.027 votos (22,61% dos válidos) – e por Netinho de Paula (PCdoB) – o 3° colocado com 7.773.327 votos (21,14% dos válidos) – e tendo superado o então senador e candidato a reeleição Romeu Tuma (PTB), o qual foi o 5° colocado com 3.970.169 votos (10,79% dos válidos)[2].

Young acredita no resgate e na ressignificação da política como instrumento legítimo de transformação da sociedade e a serviço do cidadão – por isso estavam dentre suas propostas como postulante ao Senado um novo conceito de governança para a gestão das cidades baseado na qualidade e eficiência dos serviços públicos com ética, transparência e produtividade bem como uma cidade mais humana, generosa, acolhedora e sustentável.

Em 2012, lançou-se candidato a vereador da cidade de São Paulo pelo PPS. Com 42.098 votos, foi eleito[3]. Atualmente está na Rede Sustentabilidade, onde colabora com a formação política de novos membros. Foi candidato a prefeito de São Paulo em 2016 por esse partido, para possibilitar a elaboração de um Programa de Governo para a cidade de forma colaborativa por 200 especialistas das mais variadas áreas e de diferentes correntes filosóficas.

PalestrasEditar

Ministrou palestras voltadas para os públicos empresarial, acadêmico, político e

internacional sobre os seguintes temas:

a) Responsabilidade Social Empresarial e Sustentabilidade;

b) Organizações em Rede, Mudança Tecnológica e Inteligência Corporativa Distribuída;

c) Educação Internacional, Globalização e Cidadania Global;

d) Franchising Como Novo Paradigma de Negócios;

e) O Sistema de Franchising como Agente Modernizador do Micro e Pequeno Negócio;

f) Learning Network Organizations and the 4th Generation in Franchise;

g) Gestão Sustentável e agregação de valor

h) A importância da pecuária e da agricultura na Sustentabilidade;

i) Cidades Sustentáveis;

j) Ética, Comportamento e Atitudes Sustentáveis nas organizações;

k) Responsabilidade Socioambiental nas Empresas;

l) Diálogo sobre os novos rumos da Sustentabilidade na Política.

Livros e publicaçõesEditar

AutorEditar

Do Yázigi à Internexus – Uma viagem pelos 50 anos de uma franquia brasileira que se

tornou global.

Co-autorEditar

O Dragão e a Borboleta

Quem está escrevendo o futuro

Política e Complexidade - um olhar sobre o mandato de Ricardo Young - vol 1 e 2

Um Mandato em 4 Atos

Biografia: Nunca na Solidão – de Rogério GodinhoEditar

Orientador geral e Organizador do Programa de Governo Colaborativo da RedeEditar

Sustentabilidade para a Prefeitura de São Paulo.

Artigos e programa de TVEditar

a) Colaborou como articulista nas revistas Pequenas Empresas - Grandes Negócios e Franchising, entre 1989 a 1993;

b) Escreveu vários artigos sobre o papel do empresário e as reformas da modernização do Estado;

c) Colaborador eventual dos jornais O Estado de São Paulo, Folha de S.Paulo, Gazeta Mercantil, Valor Econômico, El País e Huff Post Brasil.

Âncora do programa Sustentabilidade na TV Terra - 2011 a 2012.

Referências

Ligações externasEditar