Abrir menu principal

Rio Tocantins

É um rio brasileiro que corre no sentido sul-norte, com nascente na serra Dourada, estado de Goiás, e foz na baía do Marajó, estado do Pará.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Tocantins, veja Tocantins (desambiguação).
Rio Tocantins
Ponte Imperatriz.jpg

Ponte rodoviária sobre o rio Tocantins entre os municípios de Imperatriz (MA) e São Miguel do Tocantins (TO).

Localização
País
Localização
Coordenadas
Dimensões
Comprimento
2 450 kmVisualizar e editar dados no Wikidata
Hidrografia
Tipo
Bacia hidrográfica
Área da bacia
770 000 km2Visualizar e editar dados no Wikidata
País(es) da
bacia hidrográfica
Nascente
Afluentes
principais
Caudal médio
11 364 m3/sVisualizar e editar dados no Wikidata
Caudal máximo
70 000 m³/s
Foz

O rio Tocantins é um curso de água que nasce na serra Dourada, no estado de Goiás, passando logo após pelos estados de Goiás, Tocantins, Maranhão e Pará, até a sua foz no Golfão Marajoara (ou baía do Marajó), logo após o furo de Santa Maria (ou rio Pará).[1]

Após a união do rio das Almas, rio Maranhão e rio Paranã, entre os municípios de Paranã e São Salvador do Tocantins (ambos localizados no estado do Tocantins), o rio passa a ser chamado definitivamente de rio Tocantins. Durante a época das cheias, seu trecho navegável é de aproximadamente 2 000km, entre sua foz, no Pará e Lajeado, no Tocantins.

O rio Tocantins é o segundo maior rio totalmente brasileiro (perde apenas para o rio São Francisco), e também pode ser chamado de Tocantins-Araguaia, após juntar-se ao rio Araguaia na região do "Bico do Papagaio", que fica localizada entre o Tocantins, o Maranhão e o Pará. É no vale do médio e baixo rio Tocantins que se encontrava a maior concentração de castanheiras da Amazônia.

EtimologiaEditar

 
Bacia hidrográfica do rio Tocantins
 
Rio Tocantins na Praia da Graciosa, em Palmas
 
Barcos típicos dos rios da Amazônia, na Orla Sebastião Miranda

"Tocantins" é um termo com origem na língua tupi: significa "bico de tucano", através da junção de tukana (tucano) e tim (bico), e também nomeou o estado brasileiro mais recente surgido. [2].

CidadesEditar

A nascente mais longínqua do rio Tocantins fica localizada na divisa entre os municípios de Ouro Verde de Goiás - GO e Petrolina de Goiás - GO, bem próximo à divisa de ambos com o município de Anápolis - GO. A partir deste ponto, o rio surge com o nome de rio Padre Souza no município de Pirenópolis - GO [3]. A maior vazão registrada no rio tocantins foi em 3 de março de 1980, atingindo aproximadamente 70 000 metros cúbicos por segundo nas proximidades de Tucuruí. A maior cheia no rio Tocantins foi em março de 1980, período na qual o nível do rio em Tucuruí aumentou cerca de 20 metros. Em 8 de março daquele ano, Marabá ficou praticamente submersa.

Bacia do Araguaia-TocantinsEditar

Ocupando uma área de 803 250 quilômetros quadrados, é a maior bacia hidrográfica inteiramente brasileira, ainda que pertencente a Bacia Amazônica. Além de apresentar-se navegável em muitos trechos, é a terceira do Brasil em potencial hidrelétrico, encontrando-se nela a Usina Hidrelétrica de Tucuruí.

O Tocantins, principal rio dessa bacia, nasce no norte de Goiás e deságua no Golfão Marajoara (ou baía do Marajó), logo após o furo de Santa Maria ou Rio Pará (o braço estuarino do Rio Amazonas).[1] Em seu percurso, recebe o rio Araguaia, que se divide em dois braços, formando a ilha do Bananal; situada no estado de Tocantins, é considerada a maior ilha fluvial interior do mundo.

Nessa região, ocorrem rios de regime austral, ao sul, e equatorial, ao norte.

Usinas HidrelétricasEditar

 
Usina de Tucuruí

O potencial energético instalado no rio Tocantins é superior a 10 500 megawatts, através de suas três usinas hidrelétricas:

 
Lago da Hidrelétrica Serra da Mesa

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Catálogo ID: 48660. IBGE. 2019.
  2. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. 463 p.
  3. http://WikiMapia.org/#lat=-16.1604776&lon=-49.188323&z=14&l=9&m=h&v=2 Cabeceiras do Rio Tocantins/Padre Souza no WikiMapia
  Este artigo sobre hidrografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.