Abrir menu principal

Pieter Robert Rensenbrink (Amsterdã, 3 de julho de 1947) é um ex-futebolista dos Países Baixos.

Rob Rensenbrink
Rob Rensenbrink 1969.jpg
Informações pessoais
Nome completo Pieter Robert Rensenbrink
Data de nasc. 3 de julho de 1947 (72 anos)
Local de nasc. Amsterdã, Países Baixos
Nacionalidade neerlandês
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1965–1969
1969–1971
1971–1980
1980
1981–1982
Países Baixos DWS
Bélgica Club Brugge
Bélgica Anderlecht
Estados Unidos Portland Timbers
França Toulouse
0141 000(39)
0074 000(36)
0348 00(200)
0018 0000(6)
0012 0000(1)
Seleção nacional
1968–1979 Países Baixos Países Baixos 0046 000(14)

Índice

CarreiraEditar

ClubesEditar

Não jogou em nenhuma grande equipe de seu país natal (jogou apenas no extinto DWS, time menor de Amsterdã em que debutara em 1965), tendo feito carreira no futebol belga onde permaneceu por onze anos, de 1969 e 1980.

Na vizinha Bélgica, jogou primeiro no Club Brugge, mas identificou-se mais com o Anderlecht: no clube da capital, Bruxelas, conquistou todos os seus troféus: dois campeonatos belgas, cinco Copas da Bélgica e os mais importantes, os únicos troféus europeus de um time do país: as Recopas de 1976 e 1978 e, nos mesmos anos, a Supercopa Europeia. Rensenbrink marcou em todos estes títulos continentais.

Competindo com Johan Cruyff e Piet Keizer pelas vagas de titular no setor ofensivo esquerdo, porém, demorou a garantir seu espaço na seleção. Até porque era um dos poucos jogadores que desconheciam o sistema tático inventado por Michels no Ajax e transferido para a seleção, o chamado "Futebol Total".

Com a ausência de Cruyff em 1978, na Argentina, Rensenbrink teve mais oportunidades de mostrar seu talento no ataque, jogando ao lado de Johnny Rep e Van der Kerkhof. Logo na estreia contra o Irã, marcou três gols. Diante da Escócia, entrou para a história ao fazer o milésimo gol das Copas. Fez mais um, de pênalti, na goleada sobre a Áustria.

Seleção HolandesaEditar

Pelos Países Baixos, fez parte dos dois vice-campeonatos nas Copas do Mundo de 1974 e 1978. No primeiro, marcou apenas um gol, contra a Alemanha Oriental; era, ao lado do ex-colega de DWS, Jan Jongbloed, o único titular que não pertencera a Ajax ou Feyenoord. [1]

Teve mais destaque no último, onde ele foi um dos muitos talentos neerlandeses que saíram da sombra de Johan Cruijff, que decidira não ir ao mundial. Rensenbrink fez linha ofensiva com Johnny Rep e René van de Kerkhof e marcou cinco vezes: três logo na estreia, contra o Irã; um contra a Escócia, no que foi o gol número 1000 do torneio; e outro contra a Áustria.

Esteve bastante perto de dar o inédito título mundial à Oranje: a segundos do fim do tempo normal na final, com a partida contra a Argentina empatada em 1 x 1, uma bola chutada por ele acabou batendo na trave. Os argentinos acabariam vencendo por 3 x 1, na prorrogação.

O futebolista brasileiro Rosembrick foi batizado em sua homenagem.

TítulosEditar

Club BruggeEditar

Referências