SMS Breslau

O SMS Breslau foi um navio cruzador rápido operado pela Marinha Imperial Alemã e a segunda embarcação da Classe Magdeburg, depois do SMS Magdeburg e seguido pelo SMS Strassburg e SMS Stralsund. Sua construção começou em 1910 nos estaleiros da AG Vulcan Stettin em Estetino e foi lançado ao mar em maio de 1911, sendo comissionado na frota alemã em agosto do ano seguinte.[1] Era inicialmente armado com doze canhões de 105 milímetros,[2] possuía um deslocamento de mais de cinco mil toneladas e conseguia alcançar uma velocidade máxima de 27 nós.[1]

SMS Breslau
Bundesarchiv DVM 10 Bild-23-61-22, Kleiner Kreuzer "SMS Breslau".jpg
Carreira  Alemanha
Operador Marinha Imperial Alemã
Fabricante AG Vulcan Stettin, Estetino
Homônimo Breslávia
Batimento de quilha 1910
Lançamento 16 de maio de 1911
Comissionamento 20 de agosto de 1912
Destino Transferido para o Império Otomano
Carreira  Império Otomano
Nome Midilli
Operador Marinha Otomana
Homônimo Midilli
Aquisição 16 de agosto de 1914
Destino Afundou perto de Imbros
em 20 de janeiro de 1918
Características gerais
Tipo de navio Cruzador rápido
Classe Magdeburg
Deslocamento 5 280 t (carregado)
Maquinário 4 turbinas a vapor
16 caldeiras
Comprimento 138,7 m
Boca 13,5 m
Calado 4,4 m
Propulsão 4 hélices
- 25 000 cv (18 400 kW)
Velocidade 27,5 nós (50,9 km/h)
Autonomia 5 820 milhas náuticas a 12 nós
(10 780 km a 22 km/h)
Armamento 1911:
12 canhões de 105 mm
120 minas navais
2 tubos de torpedo de 500 mm

1917:
8 canhões de 150 mm
120 minas navais
2 tubos de torpedo de 500 mm
Blindagem Cinturão: 60 mm
Torre de comando: 100 mm
Tripulação 18 oficiais
336 marinheiros

O Breslau foi designado para servir na Divisão do Mediterrâneo junto com o cruzador de batalha SMS Goeben.[3] Os dois navios atracaram em Messina na Itália logo depois do começo da Primeira Guerra Mundial em 1914.[4] Para que não fossem capturados pelos britânicos, os dois fugiram para o Império Otomano em agosto de 1914, sendo transferidos para os otomanos com o objetivo de atraí-los para entrarem na guerra pelo lado dos Impérios Centrais.[5] O Breslau foi renomeado para Midilli e atacou portos russos em outubro, o que fez com que a Rússia declarasse guerra.[6]

O cruzador realizou várias operações de implantação de minas navais perto do litoral russo, também bombardeando portos e instalações militares. Por uma falta de navios, o Midilli transportou tropas e suprimentos pelo Mar Negro para as tropas otomanas que lutavam na Campanha do Cáucaso. Ele foi levemente danificado em vários confrontos contra forças russas, com o dano mais sério ocorrendo em 1915, quando bateu em uma mina e ficou fora de serviço por meio ano.[7] O Midilli afundou em janeiro de 1918 perto da ilha de Imbros depois de bater em várias minas navais.[8]

Referências

  1. a b Gröner 1990, pp. 107–108
  2. Gardiner & Gray 1985, p. 159
  3. Halpern 1995, p. 15
  4. Halpern 1995, pp. 51–52
  5. Halpern 1995, pp. 57–58
  6. Halpern 1995, pp. 63–64
  7. Langensiepen & Güleryüz 1995, p. 45–49
  8. Hownam-Meek 2000, p. 95

BibliografiaEditar

  • Gardiner, Robert; Gray, Randal, eds. (1985). Conway's All the World's Fighting Ships: 1906–1921. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-0-87021-907-8 
  • Gröner, Erich (1990). Jung, Dieter; Maass, Martin, ed. German Warships: 1815–1945. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-0-87021-790-6 
  • Halpern, Paul G. (1995). A Naval History of World War I. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 1-55750-352-4 
  • Hownam-Meek, R. S. S. (2000). «Question 3/99: The Loss of the German Light Cruiser Breslau». Toledo: International Naval Research Organization. Warship International. XXXVII (1). ISSN 0043-0374 
  • Langensiepen, Bernd; Güleryüz, Ahmet (1995). The Ottoman Steam Navy 1828–1923. Londres: Conway Maritime Press. ISBN 978-0-85177-610-1 

Ligações externasEditar

  •   Media relacionados com SMS Breslau no Wikimedia Commons
  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.